terça-feira, 15 de setembro de 2009

Dúvidas de leitores: Música para atacadistas e sacoleiras

Pergunta enviada por Carmen Michelle, da Paraíba.

Olá Caio tudo bem?

Me chamo Carmen , tenho 26 anos e sou gerente de uma loja que distribui roupas no atacado para sacoleiras e lojistas na Paraíba.

Eu vi uma matéria sua sobre "musica x influencia nas vendas". Gostaria então de saber qual seria o estilo de musica que poderia influenciar o comportamento das minhas consumidoras.

Musicas regionais, estilo forró, muito comum por aqui, ou músicas mais modernas e mundialmente conhecidas (Lady Gaga, Britney Spears, Madonna, etc.) ou algo mais tradicional como Elton John?

Grata, Carmen

Olá Carmen!

Saudações e obrigado pela participação.

Apesar do título do artigo que você leu, no qual falava sobre "impacto" nas vendas, o correto é afirmarmos que a musica é um dos componentes da imagem que seu consumidor tem de sua marca.

Nesse caso, dentro as opções que você me passou, lhe indico quais são os cenários mais favoráveis para estas:

Forró: O forró é uma música bem aceita na região, entretanto possui um apelo muito popular. Se o foco é este, se a questão é imaginar chegando vans e onibus às lojas, com o ambiente de lojas abarrotado de pessoas, o forró pode ser uma boa pedida, pois ele tende também à "acelerar" o passo das pessoas. Se você precisa de alta rotatividade de pessoas, se você deseja que elas comprem e saiam rapidamente, pode ser uma boa pedida.

Musicas moderninhas: A receita é parecida: as musicas mais aceleradas vão acarretar em compras mais rápidas, o que pode impedir que comprem algumas mercadorias também por impulso.

Por outro lado, existe uma questão muito importante. Vamos imaginar que seu ponto-de-venda distribui hoje roupas de linha jovem, entretanto possuem consumidoras (sacoleiras) com idade mais avançada. Qual o alvo ?

Se focarmos em musicas jovens, moderninhas, elas irão dar um ar "descolado" a loja, e por sua vez, podem até mesmo gerar valor ao produto, entretanto, como estamos falando de atacado, em alguns casos, o que vale é o preço ou até mesmo a referência ou tradição do local. Nesse caso, recomendo que o foco seja "o seu consumidor", a sacoleira, e não o consumidor final do produto, o cliente da sacoleira.

Por outro lado, se o atacado tiver o perfil dos atacadistas como os da região do Bom Retiro em São Paulo, onde o consumidor é misto e até mesmo o consumidor final acaba aproveitando para comprar, atraído pelos bons preços, aí talvez seja interessante focar nas musicas que agregam valor ao produto.

Tradicional: Nós também chamamos também de Flashback ou Internacional (ou ainda, Música Lenta). Eu acho que pode funcionar bem, mas lembrando o caso acima, de acordo com a situação pode parecer meio "cafona" junto à imagem da marca. O mais interessante é o efeito final: Uma musica mais suave vai fazer com que o cliente passe mais tempo no ponto-de-venda e possivelmente compre mais. Aproveite, ofereça um cafezinho ou uma água, ofereça um lugar para que ele sente-se e descanse um pouco e provavelmente verá os lucros aumentarem.

Em tempo: Existem duas coisas importantes a serem lembradas: 1.) Para tocar musica na loja, procure pagar corretamente as taxas de ECAD. 2.) Não importa o ritmo, não importa quem esteja cantando, música na loja deve ter volume suave, onde seja possível conversar sem precisar elevar o volume da voz, do contrario ao invés de ajudar, irá afugentar seus clientes.

É isso aí. Espero ter lhe ajudado

Um grande abraço e boas vendas

Caio Camargo
FALANDO DE VAREJO
www.falandodevarejo.com.br
Post Anterior
Próximo Post

0 comentários:


Não deixe de participar!
Qual sua opinião sobre o conteúdo acima?