quarta-feira, 16 de março de 2011

Comunicação no pdv: sua marca consegue se expressar corretamente no ponto-de-venda?

Ola a todos

É difícil encararmos hoje o ponto-de-venda apenas como um local onde as mercadorias são negociadas. Há muito tempo o ponto-de-venda deixou de ser apenas um canal de negócios, podendo ser considerado pela grande maioria das empresas e marcas, sejam elas da indústria ou varejo, não somente como seu principal ponto-de-contato entre a marca e o shopper, mas também como sua principal mídia.

Diversas empresas estão descobrindo o real valor de se investir corretamente no ponto-de-venda: Trade Marketing, BTL, Shopper Marketing, Merchandising, ou qualquer outra terminologia ou processo, tudo está convergindo em meios para aprender, desenvolver e principalmente encantar os consumidores no momento da compra.

Entretanto, mais do que apenas citar a questão da valia do ponto-de-venda nos processos de comunicação, gostaria de trazer à luz a questão de como a maioria das marcas não consegue traduzir no ponto-de-venda o que trazem em sua comunicação.

Não se trata apenas de uma questão visual, não se trata apenas de uma questão de treinamento, mas a grande maioria das redes e marcas, mascaram-se em suas peças de comunicação, esquecem-se de seus principais atributos e como resultado disso temos uma grande leva de consumidores que chegam com uma intensa expectativa ao ponto-de-venda e por muitas vezes, saem completamente frustados.

Experiencia no ponto-de-venda é tão importante hoje quanto qualquer outra peça de comunicação. Mas é cada vez mais fácil encontrarmos casos e empresas que não conseguem juntar com a mesma propriedade e principalmente causarem a mesma percepção nos dois mundos, o da comunicação e o da experiência.

Onde se situa sua empresa?


Um grande abraço e boas vendas

Caio Camargo
FALANDO DE VAREJO
@falandodevarejo
Post Anterior
Próximo Post