Buscar

Consumidor irá gastar até R$ 100 com o presente

Segundo pesquisa da CDL/BH, 71,04% dos entrevistados não gastarão mais do que esse valor com o presente das mães. Compras serão pagas em dinheiro e roupa é o item escolhido
 Pesquisa realizada pela Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL/BH) no período de 12 a 20 de abril com 410 consumidores da capital mineira, apontou que o ticket médio para o Dia das Mães não deve ultrapassar os R$ 100 de acordo com 71,04% dos entrevistados, já que 36,14% responderam que gastarão entre R$ 51 e R$ 100 e 36,14% desembolsarão até R$ 50 com o presente. Em seguida estão 20,54% dos consumidores que escolherão presentes no valor entre R$ 101 e R$ 250 e 6,19% apontaram que desembolsarão entre R$ 251 e R$ 500 para presentear. Apenas 2,23% dos entrevistados afirmarão que comprarão presentes com valores acima de R$ 500,01.

A forma de pagamento preferida para este ano continua sendo o dinheiro, de acordo com 42,14% dos consumidores. Após o dinheiro as formas escolhidas de pagamento são: parcelado no cartão de crédito (25,94% das respostas), cartão de débito (18,95%), à vista no cartão de crédito (6,23%), a prazo no cheque (2,24%), parcelado no cartão da própria loja (2,0%), à vista no cheque (1,5%), à vista no cartão da própria loja (0,75%) e carnê/crediário (0,25%).

Quem respondeu que comprará o presente parcelado, não deve ultrapassar duas parcelas. Esta foi a resposta de 35,66% dos entrevistados. Em seguida estão: três parcelas (30,77%), uma (15,38%), quatro (7,69%), cinco (6,99%), dez (2,1%) e seis (1,4%). “O consumidor está mais atento ao planejamento financeiro”, afirmou o economista da CDL/BH, Fernando Sasso.

O presente ideal segundo 35,94% dos consumidores é roupa. Em segundo lugar os calçados e acessórios com 16,2% da preferência, seguido de perfumes/cosméticos (15,27%), jóias e bijuterias (8,38%), livraria e papelaria (4,66%), flores (4,1%), eletro/eletrônicos (3,35%), cama, mesa e banho (3,35%), CD´s/DVD´s (2,98%), bombons (2,61%), telefone celular (1,49%), móveis (0,93%) e 0,74% afirmaram ainda não saber o que comprar.

A cada dia o consumidor está ficando mais exigente. Segundo 30,77% dos entrevistados, o que mais os agradam na loja é o atendimento qualificado. Em seguida estão: preço (28,04% dos entrevistados), ambiente agradável (9,68%), facilidade de pagamento (8,44%), qualidade/mix de produtos (6,7%), acesso e estacionamento (6,2%), proximidade de casa (3,72%), segurança (3,72%) e grife/marca (2,73%).

Data das compras – Como nos anos anteriores os consumidores deixarão para a última hora as compras. De acordo com 58,6% dos entrevistados, as compras só serão feitas no mês de maio; 15,21% dos consumidores afirmaram que comprarão o presente ainda este mês; 13,72% responderam que estão comprando e 12,47% disseram que já compraram.

Crescimento – A expectativa da CDL/BH é de um crescimento entre 3,0% e 4,0% em relação ao mês de maio do ano passado, que fechou as vendas em R$ 1,92 bilhão. Em 2010 as vendas do comércio varejista de Belo Horizonte, neste período, cresceram 3,4% em relação ao mesmo período de 2009.

Postar um comentário

0 Comentários