Buscar

FecomercioSP: Região Metropolitana de São Paulo apresenta alta de 4% no saldo de empregados formais em março

Apesar de alta, ritmo de contratações diminui e impacta o resultado do primeiro trimestre

O estoque de empregados formais na Região Metropolitana de São Paulo (RMSP) em março aumentou 4% em relação ao mesmo período do ano passado e registrou um estoque de 975.781 posições ocupadas, segundo análise realizada pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) sobre os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). Na comparação com fevereiro o resultado é -0,02%.
Analisando separadamente o número de admitidos, houve um acréscimo de 3.677 vagas em março - alta de 8,1% em relação a fevereiro de 2012. Por outro lado, 49.403 funcionários foram demitidos do comércio varejista na RMSP em março contra os 44.006 desligados no mês anterior, acréscimo de 12,3%.
No primeiro trimestre de 2012 o saldo de registros formais no comércio da Região Metropolitana de São Paulo foi de -5.510 trabalhadores, sendo 136.926 novos funcionários incorporados ao mercado e 142.136 desligados.

Embora o desempenho percebido na contratação formal seja ainda de arrefecimento nas taxas de crescimento desde meados do ano passado, é importante ressaltar que o primeiro trimestre sazonalmente costuma registrar um ritmo de atividade menos pronunciado em virtude dos inúmeros compromissos financeiros, tanto para empresas como para consumidores (pagamento de impostos, início do ano letivo etc.). Há também o efeito estatístico diante de uma elevada base de comparação como as assinaladas em 2011. Este quadro pode se reverter a partir do segundo trimestre de 2012, tendo em vista as constantes medidas para estimular o consumo interno que têm sido adotadas tanto pelo Governo como pelas as instituições financeiras.

Rotatividade

A taxa de admitidos aumentou para 5% em março de 2012, enquanto a de demitidos subiu 5,1%. A rotatividade no comércio geral ficou estável em 5,1%. Os setores que encerraram março com taxas de admissão maiores foram os de Vestuário, Tecidos e Calçados e Supermercados (Alimentos e Bebidas), com taxa de 6% e 5,9%, respectivamente.

Salários

Pelos próximos meses a análise do Caged não contemplará a média salarial, pois a FecomercioSP está reestruturando toda a metodologia de cálculo dos salários para que se mostre dados mais fidedignos a realidade.

Nota metodológica

A pesquisa analisa o nível de emprego do comércio na Região Metropolitana de São Paulo por meio de dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados do Ministério do Trabalho (Caged). São utilizados os dados primários do Caged e em posse do código CNAE do comércio varejista consolida os dados em 12 ramos de atividades se obtém o número de empregados mensais, salário médio, demitidos e admitidos. A pesquisa de Emprego e Salário é apurada mensalmente desde janeiro de 2008.

Sobre a FecomercioSP

A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) é a principal entidade sindical paulista dos setores de comércio e serviços. Responsável por administrar, no Estado, o Serviço Social do Comércio (Sesc) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac), representa um segmento da economia que mobiliza mais de 1,8 milhão de atividades empresariais de todos os portes e congrega 153 sindicatos patronais que respondem por 11% do PIB paulista - cerca de 4% do PIB brasileiro - gerando em torno de cinco milhões de empregos.

Postar um comentário

0 Comentários