terça-feira, 2 de outubro de 2012

Setor supermercadista atinge maior nível de otimismo desde janeiro

Boas perspectivas em relação aos juros e à inflação são destaques em setembro

A Pesquisa de Confiança dos Supermercados do estado de São Paulo (PCS/APAS) registrou em setembro elevação em relação ao mês anterior, atingindo 42% de otimismo. Isso corresponde ao aumento de 6 pontos percentuais em relação a agosto. Este é o maior nível desde janeiro de 2012 (45%), mês em que geralmente o otimismo é mais elevado, diante da passagem de ano e da expectativa do ano que se inicia.


O aumento na confiança no mês de setembro está diretamente relacionado ao maior otimismo em relação à expectativa futura das vendas (73%), aumento nas contratações (50%), expectativa de redução futura dos juros (70%) e inflação futura, com 40% de otimismo.

O destaque deste mês é o aumento de 12 pontos percentuais no otimismo em relação ao futuro (de 40% para 52%): este é o maior nível de toda a série histórica. Aliado a isto, outro destaque é a queda do pessimismo quanto à expectativa futura, de 18% em agosto para 10% em setembro, menor nível já registrado.

Em setembro, 42% dos entrevistados apontaram otimismo com relação ao ambiente econômico atual e futuro, enquanto 17% se mostraram pessimistas e 41% se mantiveram neutros. Com relação ao momento atual, o otimismo atingiu 30,6%, enquanto o pessimismo foi verificado em 24,3% dos respondentes e 45,1% se mostraram neutros.

Dois fatores vêm contribuindo com a melhora da confiança do setor supermercadista, de um modo geral, nesses três últimos meses: a proximidade das festas de fim de ano, que influenciam positivamente na confiança dos empresários do setor por ser o período com maior volume de vendas no ano; e a redução da taxa de juros, que proporciona um ambiente mais favorável para a tomada de decisões quanto aos investimentos em expansão, ampliação ou reformas. “As medidas macroeconômicas do Governo Federal estimulam a economia, favorecendo o comércio, também com reflexo positivo no otimismo dos empresários. A expectativa é que os níveis de confiança se mantenham em patamares elevados nos próximos meses, em razão da continuidade deste ambiente”, afirma o diretor de Economia da APAS, Martinho Paiva Moreira.

Post Anterior
Próximo Post