Buscar

Mais lojas, menos franqueados: "expansão caseira" impulsiona crescimento de franquias

Bom momento do setor e lucratividade impulsionam expansão dos franqueados na própria rede

A proliferação do número de franqueados, antes símbolo do crescimento de uma rede de franquias, em alguns casos vem sendo parcialmente substituída por outra forma de incremento dos negócios: a “expansão caseira”. São franqueados que já atuam na marca e partem para a sua própria expansão dentro da mesma rede, com a aquisição de segunda e até terceira unidades.


A Spedini Trattoria Expressa, especializada em culinária italiana, é um exemplo de rede que tem experimentado essa tendência nos últimos tempos. A rede, que possui 19 unidades em operação em São Paulo, Brasília, Rio de Janeiro, Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul, conta cada vez mais com franqueados que investiram ou estão investindo em mais de uma loja. É o que aconteceu com o dono de uma franquia na capital paulista, que também possui uma unidade na região do ABC, e um franqueado em Santa Catarina, que possui duas unidades em Florianópolis, nos shoppings Iguatemi e Beiramar e negocia uma terceira, no Floripa Shopping. No Paraná, um franqueado que possui uma unidade em São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba, também se prepara para abrir sua segunda unidade da rede, no Pátio Batel, novo shopping curitibano. Em Brasília, o primeiro franqueado do estado já tem acordo firmado para a abertura de ao menos mais duas unidades no Distrito Federal. E no caso mais recente de expansão caseira, o investidor que traz a marca Spedini para Sorocaba já assina contrato com a aquisição de mais uma unidade.

“Esse modelo de negócio cada vez mais adotado por franqueados e franqueadores é extremamente interessante, já que, para os primeiros, propicia a otimização de custos e, como resultado, aumento considerável em sua lucratividade; para os segundos, a oportunidade de crescer com segurança e qualidade, tendo já bastante conhecimento dos empreeendedores que carregam sua marca. Trata-se de um jeito diferente, mas cada vez mais consistente de crescimento”, explica Romano Fressato Neto, gerente comercial da rede.

“Principalmente quando a unidade é pioneira na cidade ou no estado, os contratos, por interesse do próprio franqueado, têm sido feitos já para a abertura de mais de uma unidade. Eles observam que a curva de aprendizagem é muito menos acentuada, o que tende a acelerar o retorno do investimento das novas unidades”, afirma Fressato Neto.

Além da lucratividade do negócio, o bom momento vivido pelo segmento contribui para esse tipo de expansão. De acordo com levantamento da Associação Brasileira de Franchising (ABF), esse modelo de negócio cresceu 16,2% em 2012, com faturamento de R$ 103 bilhões. O setor de alimentação foi um dos que registrou grande crescimento (18,3%).

Para a abertura de uma unidade da Spedini o investimento é de cerca de R$ 430 mil, sem contar o ponto comercial. O faturamento médio mensal de uma franquia é de R$ 110 mil e a rentabilidade varia de 12% a 20%.