Buscar

Saldo do Dia das mães: Movimento de clientes nas lojas cai em média 7% e decepciona varejistas

Entre os tipos de loja, a redução foi mais sensível para os pontos de vendas localizados em shoppings, com redução média de 24% na comparação 2012 x 2013, enquanto as lojas de rua reduziram 4% nesse mesmo comparativo

Fluxo do Dia das Mães (comparativo)

A Virtual Gate, empresa focada em fazer com que o varejista aumente suas vendas por meio da gestão do fluxo de consumidor e da taxa de conversão apresenta, pelo segundo ano consecutivo, o levantamento final pós- Dia das Mães, que indica uma queda no fluxo médio de clientes nas lojas de 7,1% em comparação a 2012.


Foi analisado o período de 15 dias que antecederam o Dia das Mães entre 2011 a 2013 em uma análise que contou com 709 lojas (sendo 407 em Shoppings e 302 em lojas de rua), divididas entre os segmentos de “Tecidos, vestuário e calçados” e “Equipamentos e materiais para escritório, Informática e de comunicação”.

Como explica a diretora geral da empresa, Heloísa Cranchi, a análise demonstrou uma redução de 7,1% no fluxo médio de cliente durante os quinze dias que antecederam o dia das mães na comparação entre 2012 e 2013, como mostra o gráfico acima.

“Essa redução ocorreu principalmente entre a última semana de Abril e a primeira semana de Maio, onde a redução atingiu 14,7% entre 2013 e o mesmo período do ano anterior. A semana do Dia Das Mães não demonstrou variação significativa”, explica a executiva.

Os shoppings foram os que mais sentiram essa retração, com redução média de 24% na comparação 2012 x 2013, enquanto as lojas de rua reduziram 4% nesse mesmo comparativo.

Ao analisarmos os principais segmentos, o de Tecidos, Vestuário e Calçados registrou redução de até 8,1% em relação ao mesmo período de 2012, com principal destaque para redução de fluxo de clientes na primeira semana do período analisado. Já p segmento de Equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação demonstrou redução de apenas 1,8% em relação ao ano de 2012.

Graças à tecnologia de captura de informações por meio de câmeras (vídeo-analytics), a Virtual Gate, empresa do Grupo Plastrom, oferece serviços e soluções diferenciadas, entre os quais se destacam a análise especializada das informações apuradas pelos sistemas e da taxa de conversão, ajudando na construção de resultados para seus clientes. Entre seus clientes estão grandes varejistas, como: mercado em geral, como C&A, Pernambucanas, Vivo, Telhanorte, Leroy Merlin, Livraria Cultura,Cybelar, Shoestock, Nokia, Via Uno, Reebok, Cantão, Redley, L'Occitane, Lacoste, Kate Spade entre outros.