Buscar

Comércio de BH cresceu 2,4% em agosto

O termômetro de vendas da Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL/BH) registrou crescimento de 2,4% nas vendas no mês de agosto, em relação ao mês imediatamente anterior. O aumento foi atribuído ao Dia dos Pais, data comemorativa que acabou impulsionando as vendas. “Os segmentos de moda masculina e artigos de livraria puxaram o crescimento nesta base”, afirmou a economista da CDL/BH, Ana Paula Bastos. “Outro fator que contribuiu para o desempenho positivo do comércio foi o nível de desemprego em patamares baixos e a oferta de crédito que ainda mostra expansão significativa apesar dos recentes aumentos da taxa básica de juros”, completou.



Nesta base de comparação (Ago.13/Jul.13), os segmentos que apresentaram os melhores desempenhos foram: papelarias e livrarias (+6,87%); tecidos, vestuário, armarinho e calçados (+5,97%); supermercados e produtos alimentícios (+5,25%); produtos farmacêuticos (+3,1%) e máquinas, eletrodomésticos, móveis e louças (+2,7%).

Comparando agosto com o mesmo mês do ano anterior (Ago.13/Ago.12), o comércio belo-horizontino cresceu 1,87%. “Um fator determinante para este resultado foi o crescimento real da renda dos trabalhadores, que de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) cresceu 2,41% nesta mesma base de comparação”, explicou Ana Paula Bastos.

Os segmentos que apresentaram os melhores desempenhos nesta base de comparação (Ago.13/Ago.12) foram: papelarias e livrarias (+4,5%); produtos farmacêuticos (+4,27%); máquinas, eletrodomésticos, móveis e louças (+4,04%); supermercados e produtos alimentícios (+2,92%) e ferragens, material elétrico e de construção (+2,28%).

No acumulado do ano (Jan.13/Ago.13), o comércio varejista de Belo Horizonte fechou com crescimento de 3,49%, em relação ao mesmo período em 2012. O desempenho é resultado da atual conjuntura econômica de expansão crédito e desemprego em baixa. “Tais fatores alavancaram o comércio em Belo Horizonte”, afirmou a economista da CDL/BH.

De janeiro a agosto deste ano, os setores que apresentaram crescimento foram: papelaria e livrarias (+7,72%); máquinas, eletrodomésticos, móveis e louças (+6,26%); tecidos, vestuário, armarinho e calçados (+5,6%); ferragens, material elétrico e de construção (+5,42%); artigos diversos que incluem acessórios em couro, brinquedos, óticas, caça, pesca e cutelaria, material esportivo (+4,69%); produtos farmacêuticos (+3,25%) e supermercados e produtos alimentícios (+3,24%).