Buscar

Consumidor deve ter cautela nas compras de fim de ano para fugir do superendividamento, orienta Serasa Experian

Pesquisar, pechinchar preços e fazer uma lista dos presentes que pretende comprar são algumas das dez dicas que ajudam a economizar; consumidor pode aproveitar o momento para abrir
gratuitamente o seu Cadastro Positivo

Os consumidores estão indo às compras de fim de ano, aproveitando principalmente a primeira parcela do 13º salário. É neste momento em que os economistas da Serasa Experian recomendam cautela e planejamento para que o cidadão não comprometa ainda mais a sua renda, evitando assim o superendividamento. Pechinchar preços, pesquisar boas condições de pagamento e fazer uma lista dos presentes que pretende comprar ajudam a economizar na hora das compras, principalmente em um momento de constante oscilação do dólar, que pode ter deixado alguns produtos mais caros.



Segundo os economistas da Serasa Experian, não há problemas em parcelar, no entanto, eles orientam que essas parcelas não sejam muito altas e nem a longo prazo. O consumidor deve considerar que acumular dívidas envolve uma incerteza no futuro, além do perigo de perder o controle do que tem a pagar. Por isso, evitar parcelar os presentes em muitas vezes é a melhor saída. Os prazos mais curtos reduzem o risco do superendividamento.

Se o consumidor optar por usar o cartão de crédito ou o cheque pré-datado, ele precisa, antes, fazer um levantamento das dívidas que já possui para saber o quanto da renda já está comprometida. De acordo com os economistas, muitas vezes, o cidadão não consegue visualizar o que está devendo, faz mais compras e, quando a fatura chega ou o cheque cai na conta, o valor extrapola a sua capacidade de pagamento. A compra de um presente não deve ser a desculpa para o cidadão recorrer às linhas caras de crédito, como o cheque especial, por exemplo.

Outra orientação é resistir aos apelos de marketing e reunir a família para decidir o que é preciso comprar nesta época. Isso porque deve se levar em conta, por exemplo, as promoções realizadas pelo comércio no início de 2014. Pode ser um bom negócio esperar pela sonhada geladeira até janeiro, quando geralmente as lojas fazem suas liquidações.

Também é preciso lembrar que o início de 2014 chega repleto de gastos para o consumidor, como IPVA, IPTU, matrícula, material escolar e despesas com as férias, como passeios e viagens. Essas contas já devem ser consideradas no planejamento da família.

10 dicas para o consumidor planejar melhor as compras de fim de ano:

  1. Planeje os gastos. Antes de ir às compras, faça uma relação das dívidas pendentes para saber o quanto da renda já está comprometida e o quanto pode ser gasto;
  2. Lembre-se das dívidas já realizadas com o cartão de crédito. Tenha em mente o que uma compra pode significar na fatura mensal;
  3. Faça uma lista dos itens que pretende comprar. Essa é uma das regras básicas para evitar gastar por impulso. Com o papel nas mãos, o consumidor só vai atrás dos produtos que realmente estão na lista sem cair em tentação. Especifique ainda o valor máximo a ser pago em cada presente;
  4. Pense no número de presentes necessários. Priorize as pessoas mais próximas;
  5. Deixe os filhos em casa. Assim não há o risco de ceder aos desejos da criançada. E se não tiver jeito, estipule um valor máximo que as crianças poderão gastar;
  6. Pesquise sempre: preços e condições de pagamento;
  7. Substitua itens. Caso encontre um item interessante e com preço menor, substitua;
  8. Evite parcelas altas e a longo prazo para evitar o superendividamento;
  9. Prepare-se para os gastos no início de 2014: IPVA, IPTU e despesas escolares;
  10. Se puder, espere as liquidações no início de 2014.

Postar um comentário

0 Comentários