Buscar

Alshop aponta que o varejo impulsiona a geração de empregos formais no Brasil

O Ministério do Trabalho e Emprego informou hoje (15/04) que a economia brasileira criou 266.415 postos de trabalho com carteira assinada em março, número recorde para o mês. Até agora, e ainda segundo o Instituto, o ano de 2010 registrou 657.259 postos de trabalho. O comércio varejista, por sua vez, promete ser um dos segmentos com maior contratação de trabalhadores durante este ano, sendo esperada a abertura de 850 mil novas vagas, 700 mil somente no estado de São Paulo.

Os shoppings serão responsáveis também por um grande volume de contratações, com expectativa de geração de 57,2 mil vagas nos 44 empreendimentos que serão inaugurados em 2010 por todo o Brasil. Até 2012 serão cerca de cem novos shoppings construídos, um investimento aproximado de R$ 8,9 bilhões por parte das empreendedoras do setor, cujo retorno financeiro será atribuído, em grande parte, ao fluxo de vendas nas lojas, aumentando ainda mais a importância de uma equipe de vendas bem preparada.

A alta rotatividade de trabalhadores em alguns Estados (demissão e admissão de empregados, geralmente por salário menor), também é outro ponto de destaque do desempenho do varejo, devido à escassez de mão-de-obra qualificada e experiente em algumas regiões do País. Cerca de 187,6 mil vagas não encontrarão candidatos habilitados a preenchê-las, apresentando índices diferentes entre os estados da Federação, havendo em São Paulo uma grande ausência de trabalhadores capacitados, enquanto que na Bahia, Pernambuco e Rio Grande do Norte, por exemplo, poderão registrar excesso de trabalhadores preparados para a ocupação destas vagas.

“Para o varejo acompanhar a atual expansão econômica e obter sucesso em seus negócios, inclusive mantendo cada vez mais ativa a geração de empregos, é preciso que os empresários do setor tomem as devidas providências, como programas de capacitação de funcionários, a fim de apresentar em seus pontos de venda trabalhadores cada vez mais preparados para a recepção ao público, pois o consumidor de hoje é extremamente criterioso e procura um atendimento cada vez mais personalizado, totalmente envolvido com a marca e o cliente”, afirma o presidente da Associação Brasileira de Lojistas de Shopping (Alshop), Nabil Sahyoun.


Postar um comentário

0 Comentários