Buscar

Redes de varejo automotivo planejam triplicar de tamanho

Empresas e redes de franquias ligadas ao setor automotivo aproveitam o contínuo crescimento da venda de veículos no País e a malha rodoviária para ampliar a atuação no Brasil. É o caso da Bridgestone Bandag Tire Solutions (BBTS), braço da Bridgestone, líder mundial na fabricação de pneus, que opera lojas especializadas em produtos e serviços para caminhões e ônibus e deve quase triplicar o seu número de unidades até 2014. Hoje, possui 110 lojas no Brasil, mas quer chegar a 300 unidades e está investindo US$ 3 milhões na sua rede este ano, 15% mais do que investiu em 2009. Segundo Ricardo Drygalla, gerente de Marketing da BBTS, este ano a previsão é abrir 30 lojas, para as quais 18 contratos já estão fechados.

O gerente afirma que a empresa vinha planejando uma expansão mais acelerada. Em 2009 abriu menos unidades, 16 lojas, em função da crise econômica, mas agora está retomando o crescimento e abrindo até mais lojas do que antes da crise, quando inaugurava uma média de 20 franquias por ano. "O crescimento do Brasil a taxas de 6% também nos favorece e é importante, queremos agora atrair novos investidores", disse. No momento, estão conversando com quase 40 candidatos a franqueados e afirma que recebem cada vez mais consultas de interessados. O investimento para abrir uma loja da marca hoje é de R$ 150 a R$ 450 mil, sem incluir o ponto.

O Brasil também é um mercado que se destaca para a marca: é o segundo maior fora dos Estados Unidos, onde a empresa tem cerca de 2 mil lojas. "Com a crise na Europa, que está parecendo mais séria, a atividade industrial lá fora está muito parada, o que coloca o Brasil em uma situação ainda mais privilegiada, a de segundo mercado, tanto para veículos quanto para pneus", afirmou. O gerente de Expansão da rede, Jurandir Machado, completa que o País possui uma extensa malha rodoviária, pela qual caminhões rodam muito, sendo que o objetivo da rede é estar em pontos estratégicos nas rodovias federais e estaduais e com maior concentração de frotas.

Segundo o executivo, fabricantes de pneus como a Bridgestone, detentora da marca Firestone, "perceberam que não é só vender pneus", que para se manter no mercado precisavam oferecer mais serviços, como o de recapagem e manutenção de freios e suspensão, que rendem duas vezes mais que a venda de produtos e elevam o tíquete médio na loja. Com a estratégia de também reforçar esses serviços, a Brigestone adquiriu recentemente a Bandag, multinacional norte-americana que produz materiais e equipamentos para recapagem de pneus, de onde se origina o novo nome, Bridgestone Bandag Tire Solutions.

A companhia, que também estuda outros formatos de redes e franquias para alcançar o segmento de veículos mais leves, hoje faz concessão de sua marca para outras lojas e possui também revendas apenas de pneus.

Dos concorrentes, o grupo DPaschoal, que vende apenas pneus da Goodyear e também oferece produtos e serviços para veículos, é outro que passou por um grande processo de reestruturação nos últimos anos e está preparado para avançar. Hoje, está com 600 pontos-de-venda e faturou R$ 1,5 bilhão em 2009, mas está com a meta de crescer 25% este ano e chegar a 1 mil pontos-de-venda até 2011. Para atingir essa meta, a companhia, que conta com outras bandeiras e modelos de credenciados, e ainda este ano lançará um novo modelo, que acredita que fará com que a rede triplique de tamanho.

De acordo com Nelson Bechara, diretor da rede, "o modelo de credenciamento é mais simples e atrativo que o de franquias", porque não exige pagamento de royalties, por exemplo, e facilita a expansão do grupo em um setor altamente informal e com alta taxa de mortalidade, como é o de borracharias e de oficinas, disse o executivo, depois de participar do fórum de gestão de franquias promovido pelo Grupo Bittencourt mês passado. Os modelos que hoje são as âncoras de crescimento da marca são o Rec Center, para atender linhas de veículos pesados e que já tem 105 credenciados, e o Top Service, para atender os veículos leves de passeio e com 242 credenciados.

O grupo, fundado por Donato Pachoal, ainda possui outras unidades além da rede DPaschoal, como a DPK, distribuidora de autopeças com 17 centros de distribuição, e o AutoZ, portal na internet que vende acessórios.

Outra rede de serviços automotivos que deve crescer é a Oficina Brasil, que tem hoje mais de 100 unidades e usa outra estratégia, com a meta de nos próximos cinco anos conquistar espaços para abrir em estacionamentos de shopping centers. A rede já tem parcerias com diversos hipermercados, como Carrefour, Extra, Walmart, mas quer ser âncora de estacionamentos de malls, o que impulsionará sua expansão.

Fonte: DCI

Postar um comentário

0 Comentários