No final do ano passado, um estudo divulgado pela FIA (Fundação Instituto de Administração) indicava que as perdas no setor varejista, no Brasil, atinge, em média, a marca de 2,05% do faturamento de uma organização.

O índice, já bem significativo, torna-se mais alarmante quando analisado em conjunto com novos estudos que apontam os prejuízos registrados anualmente no setor. No início do mês foi a vez da Provar (Programa de Administração do Varejo) divulgar um estudo que analisa as perdas no setor varejista brasileiro e revela que esse montante alcança a casa dos R$ 11,6 bilhões/ano.

Segundo a Provar, as grandes redes chegam a investir 30% do seu lucro em tecnologia para estancar o problema. Além do prejuízo causado por furtos externos e internos, 14% desse montante escoa em razão de erros administrativos; 5,8% problemas com fornecedores. De acordo com o Centro de Pesquisas do Varejo, da Grã-Bretanha, o Brasil é o sétimo país com mais problemas de perdas nesse segmento.

A tecnologia tem sido uma aliada na busca por soluções, com recursos para minimizar essas perdas em muitas frentes – uso de sistemas integrados e prevenção a furtos, por exemplo.

Fonte: Revista NoVarejo