quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Pet Center Marginal investe em expansão e inaugura primeira megaloja pet de Brasília

Primeira loja do grupo fora do estado de São Paulo se destaca como primeira megaloja do mercado pet na região centro-oeste. Inauguração faz parte do grande projeto de expansão da rede, que tem como meta inaugurar no mínimo três megalojas por ano




Com o projeto de expansão a todo vapor, o Pet Center Marginal avança para disputar mercado em outros estados. O grupo pretende abrir ainda neste ano a sua primeira megaloja em Brasília, cidade considerada estratégica para o atual cenário do mercado pet.

Com dois pisos, o espaço, inaugurado no dia 29 de novembro, é o primeiro a ter uma área de recreação, para que crianças e pets possam brincar enquanto adultos fazem compras. “É uma forma de tornarmos a experiência mais agradável para todos. Não queremos que as pessoas venham aqui apenas pela necessidade dos produtos e serviços, desejamos uma visita agradável”, comenta Eugênia Fonseca, gerente de marketing da rede.

A megaunidade terá cerca de 2 mil m2, com clínica veterinária e centro de estética no piso superior, e pet safári, rações e acessórios no piso inferior. “Queremos que as pessoas nos elejam o melhor e mais completo pet shop de Brasília”, afirma Hélio Freddi Filho, diretor de marketing.

Outras duas unidades devem ser lançadas nos próximos meses, em São Paulo. Uma em Jundiaí, na Grande São Paulo, e outra na Avenida dos Bandeirantes, capital paulista. Recentemente, o grupo abriu um hospital veterinário 24 horas na Avenida Pacaembu, o primeiro a funcionar desvinculado de uma megaloja.

No total, o Pet Center Marginal reúne 15 megalojas. “O mercado está aquecido, com perspectiva de crescimento expressivo. Queremos aproveitar ao máximo esse momento”, afirma Sérgio Zimerman, responsável pelo grupo.

Especialistas no setor apontam um crescimento de 15,5% do mercado pet, o que resultaria no faturamento de R$ 21 bilhões. Nos últimos anos, o Pet Center Marginal tem apresentado crescimento médio de 35%.

Serviços diversificados – Embora a venda de rações seja o carro-chefe das megalojas, com 50% do faturamento de produtos, as unidades são elaboradas para oferecer um atendimento completo ao consumidor. Há centro de estética, serviço mais qualificado que um simples banho e tosa, e pet safári, para comercialização de aves e roedores, no qual são vendidos animais provenientes de criadores especializados e com todos os registros dos órgãos de controle. Isso sem contar no espaço destinado aos amantes do Aquarismo.

Nos corredores das megalojas, os clientes ainda encontram mais de 20 mil itens, como roupas, acessórios e brinquedos, alguns que inclusive despertam o instinto e estimulam a inteligência dos animais. O universo pet não está restrito à relação entre animal e dono, ele tem seu potencial de entretenimento explorado com desfiles de répteis, eventos recreativos para crianças e desfiles de moda pet, entre outras atividades.

Hospital 24 horas – Diferente dos outros hospitais da rede, a unidade 24 horas da Avenida Pacaembu é a primeira a ter funcionamento independente, sem estar no mesmo espaço físico de uma megaloja. O hospital aposta no conceito de atendimento mais intimista, com salas livres das tradicionais mesas que separam veterinário de paciente. “Queremos passar a sensação de proximidade”, explica a veterinária Valéria Correa, diretora técnica do Pet Center Marginal.

O hospital ocupa um espaço planejado, com sala de raio-x digital e ultrassom ao lado da área reservada para os laudos e próximo do moderno centro cirúrgico. Há salas particulares para aguardar a realização de procedimentos nos pets. Lá, o dono fica acomodado confortavelmente com poltrona reclinável, frigobar, televisão, telefone, entre outras facilidades.

Perfil – A loja matriz do Pet Center Marginal funciona 24 horas, inclusive os serviços no centro de estética. Há um programa de fidelização no qual o cliente recebe 10% do valor de compras acima de R$ 150,00 para consumir no mês seguinte. A rede ainda cobre ofertas anunciadas pela concorrência e devolve a diferença acrescida de 20%.

Há projetos sociais mantidos pelo grupo, como o “Eu Alimento Animal Carente”, que reverte parte dos alimentos vendidos às ONGs apoiadas por cada megalojas. Já no projeto “Meu Novo Amigo”, as unidades oferecem um espaço aos finais de semana para ONGs realizarem feiras de adoção. “Nos envolvemos com as necessidades do cliente e com a realidade do setor de forma ampla”, avalia Zimerman.
Post Anterior
Próximo Post