Buscar

Demanda do consumidor por crédito recua 9,8% em setembro, aponta Serasa Experian

Greve afetou procura por crédito em setembro

 De acordo com o Indicador Serasa Experian da Demanda do Consumidor por Crédito, a quantidade de pessoas que buscou crédito recuou 9,8% em setembro/13 em relação ao mês imediatamente anterior. Na comparação com setembro do ano passado, houve aumento de 4,4%. No acumulado do ano, isto é, de janeiro a setembro de 2013, a demanda dos consumidores por crédito cresceu 4,6% frente ao período de janeiro a setembro de 2012.



De acordo com os economistas da Serasa Experian, a greve dos bancários, iniciada na segunda quinzena de setembro, provocando o fechamento de várias agências e restringindo o atendimento aos correntistas, afetou negativamente a busca do consumidor por crédito durante o mês passado. Já na comparação com setembro de 2012, a alta de 4,4% deveu-se ao fato de que setembro de 2013 contemplou dois dias úteis a mais (21 contra 19), já que o feriado do dia 7 neste ano caiu no sábado (no ano passado foi numa sexta-feira).

Análise por classe de renda pessoal mensal

Os consumidores de baixa renda exibiram as maiores quedas na busca por crédito no mês passado. Os que ganham até R$ 500 recuaram a sua demanda por crédito em 10,4% e os que recebem entre R$ 500 e R$ 1.000 mensais reduziram a busca por crédito em 10,8%. Em seguida, observaram-se recuos de 9,6% na demanda por crédito na faixa de R$ 1.000 a R$ 2.000 mensais e de 7,7% para aqueles que ganham entre R$ 2.000 e R$ 5.000 por mês. Os consumidores de mais alta renda – entre R$ 5.000 e R$ 10.000 mensais e aqueles com mais de R$ 10.000 mensais – reduziram as suas demandas por crédito em 5,3% e 5,0%, respectivamente, em setembro/13.

Apesar de terem demonstrado as maiores quedas em setembro, os consumidores de menores rendimentos lideram a expansão da demanda por crédito no acumulado do ano, isto é, de janeiro a setembro de 2013: crescimento de 11,1% para os consumidores que recebem até R$ 500 mensais e de 6,5% para aqueles que ganham entre R$ 500 e R$ 1.000 por mês. Para os consumidores com rendimentos mensais entre R$ 1.000 e R$ 2.000, o aumento acumulado de janeiro a setembro de 2013 da demanda por crédito foi de 2,8% e, para aqueles que ganham entre R$ 2.000 e R$ 5.000 por mês, o crescimento foi de 0,5%.

Já os consumidores das camadas de rendas mais altas exibem quedas em termos de demanda por crédito no acumulado do ano: recuo de 1,0% para os consumidores que recebem entre R$ 5.000 e R$ 10.000 mensais e queda de 0,2% para aqueles que ganham mais de R$ 10.000 por mês.

Análise por região

A maior queda na demanda dos consumidores por crédito em setembro ocorreu na região Sul (recuo de 15,4% frente a agosto/13). As regiões Norte e Nordeste também exibiram quedas expressivas – 14,1% e 14,5%, respectivamente — contra o mês de agosto/13. No Sudeste, o recuo mensal em setembro/13 foi de 6,4% e no, Centro-Oeste, de 2,6%.

Já no acumulado do ano, isto é, de janeiro a setembro de 2013, as regiões Norte e Nordeste acusam as maiores taxas de crescimento da demanda dos consumidores por crédito: altas de 13,7% no Norte e de 11,2% no Nordeste. No Sul, a alta de janeiro a setembro totalizou 4,2%. A região Sudeste acumulou crescimento de 2,8% na demanda dos seus consumidores por crédito. O Centro-Oeste é a única região que exibe queda na demanda do consumidor por crédito no acumulado do ano: recuo de 1,7% frente a janeiro a setembro de 2012.