Primeira base logística fora de São Paulo ficará no município do Cabo de Santo Agostinho, no Armazenna Suape. Investimento aumentará capilaridade na região e será capaz de reduzir prazo mínimo de entrega de mercadorias para dois dias úteis, com frete grátis para membros Prime

A Amazon, empresa norte-americana de inovação com mais de 25 anos de atuação em e-commerce, deu a largada para seu plano de expansão no Brasil e Pernambuco foi o estado escolhido para a instalação do Centro de Distribuição (CD) na região Nordeste. Desde que chegou ao País, esta será a primeira operação física da empresa fora de São Paulo, validando a vocação de Pernambuco como o hub logístico regional. A base pernambucana ficará no centro logístico Armazenna Suape, no Cabo de Santo Agostinho, e será capaz de reduzir prazo mínimo de entrega, no Recife, para até dois dias úteis. A nova operação ocorrerá de forma plena já no primeiro trimestre de 2020, e a expectativa é a de gerar centenas de empregos diretos e indiretos.


O governador Paulo Câmara sela a atração do empreendimento em reunião com o presidente da Amazon no Brasil, Alex Szapiro, na manhã desta quinta-feira (12), em São Paulo. Também participam do encontro o secretário de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco, Bruno Schwambach, o presidente da AD Diper, Roberto Abreu e Lima, e o presidente do Complexo Industrial Portuário de Suape, Leonardo Cerquinho. Por parte da empresa, estarão presentes Ricardo Pagani, diretor de Operações, e João Barroso, gerente de Políticas Públicas. O valor de investimento ou a previsão de faturamento do CD não serão divulgados, devido às questões de sigilo que envolvem companhias com capital aberto.

“Estamos satisfeitos que a Amazon tenha escolhido Pernambuco para sediar seu mais novo centro de distribuição no Brasil. Esse investimento, tendo em vista a qualidade das instalações, ajudará a impulsionar a nossa economia, gerando emprego e renda, além de reforçar a nossa condição de hub natural do Nordeste. O centro traz novas oportunidades para avançar no futuro da inovação e da produtividade, dialogando com o que queremos para o nosso Estado e região. Seremos grandes parceiros da Amazon, que vai encontrar, aqui, uma mão de obra qualificada e as condições necessárias para o crescimento dos seus projetos”, destaca o governador.

“Nós estamos felizes em levar mais conveniência aos consumidores brasileiros e em contribuir para a economia da região. O anúncio de hoje representa o compromisso de longo prazo da Amazon com o Brasil e, principalmente, com nossos clientes em todas as regiões”, reforça Alex Szapiro, presidente da Amazon no Brasil. “Além de oferecermos entrega mais rápida para a região Nordeste, clientes do Amazon Prime, programa de benefícios que lançamos em setembro, poderão usufruir dessa rapidez no envio com frete grátis em qualquer pedido”, acrescenta o executivo.

Com o anúncio oficial da companhia, o Estado atinge a marca das 114 empresas que anunciaram novos negócios ou a expansão de suas operações em Pernambuco, neste ano - empreendimentos que, juntos, somam R$ 14,4 bilhões em investimentos e têm potencial para abertura de 22 mil postos de trabalho formais, no médio e longo prazos.

A localização geográfica e o suporte de infraestrutura apresentado pelo Governo foram determinantes para a estratégia de crescimento da Amazon no Nordeste. O secretário Bruno Schwambach reforça que o Estado tem feito um trabalho forte de inteligência de mercado para que sejam identificados grandes players nacionais e internacionais, em segmentos diversos. Além disso, a centralidade de Pernambuco, dentro da região - que concentra PIB superior a R$ 1 trilhão - é uma vantagem natural. Não foi à toa que o local escolhido para sediar o CD fica em um centro logístico adjacente a Suape, importante ativo da economia pernambucana, que agrega mais de cem empresas e investimentos superiores a R$ 50 bilhões.

“Temos acesso a 90% do PIB da região localizados num raio de 800 quilômetros, conectando o Recife a outras sete capitais nordestinas. Essa facilidade, de o estado ser um hub logístico, foi determinante nesse trabalho de atração da Amazon. Mas além de localização privilegiada, a gente constrói todo o apoio complementar no diálogo com o setor privado, seja oferecendo apoio em infraestrutura ou incentivos fiscais e de inteligência de mercado”, detalha Schwambach. “Ter uma gigante de tecnologia e logística no Armazenna Suape, condomínio logístico contíguo ao porto e próximo ao Aeroporto Internacional do Recife, mostra que a confiança de empresas como a Amazon na eficiência do nosso polo logístico”, ressalta Leonardo Cerquinho, presidente do Complexo de Suape.

INCENTIVOS FISCAIS - Por ser uma empresa que atua exclusivamente no e-commerce, o Governo de Pernambuco possui um incentivo fiscal específico para esse modelo de negócio, que amplia a competitividade estadual na atração de investimentos. Trata-se do Decreto 44.650, de 2017, que garante um desconto (crédito presumido) no resultado das operações, de acordo com a alíquota do produto, destinado a vendas para fora do estado.

“Essa é uma conquista histórica para Pernambuco. Desde o primeiro contato, a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, a Sefaz e a AD Diper montaram uma ampla estratégia, estudando as solicitações feitas pela empresa para propormos soluções, como alterações na legislação tributária, para torná-la mais competitiva”, informa Roberto Abreu e Lima, presidente da AD Diper.

Além do mecanismo assegurado a empresas como a Amazon, que atua no e-commerce, o governo estadual oferece à iniciativa privada benefícios por meio de diferentes programas, a exemplo do Prodepe - Programa de Desenvolvimento do Estado de Pernambuco, instituído em 1999 e considerado um dos mais robustos do gênero. A Agência de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco (AD Diper) capitaneou, em 2019, cinco reuniões do Conselho Estadual de Políticas Industrial, Comercial e de Serviços (Condic), colegiado que avalia os projetos para instalação de novos empreendimentos no estado, via concessão de incentivos fiscais. Até o momento, foram aprovados 98 projetos, sendo 49 para indústrias, 30 de importadoras e 19 de centrais de distribuição.

SOBRE A EMPRESA - A Amazon é, atualmente, a empresa mais valiosa do mundo, com valor de mercado acima de US$ 1 trilhão. O site amazon.com.br possui um catálogo superior a 20 milhões de artigos, distribuídos em mais de 30 categorias e comercializados pela própria companhia ou por vendedores parceiros, no modelo de marketplace.

Apesar da presença no e-commerce brasileiro desde 2012, o primeiro centro de distribuição no Brasil foi implantado em janeiro deste ano, na cidade de Cajamar, em São Paulo. Nos últimos meses, outros dois foram implementados em território paulista. O de Pernambuco será o quarto do Brasil.

Atualmente, há 122 vagas de emprego abertas pela empresa no País. Oportunidades que se somam aos mais de 3,2 mil empregos criados desde 2012, em solo brasileiro.