sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Beacons: Tudo o que realmente você precisa saber

Beacons: Tudo o que você realmente precisa saber sobre o assunto

Se há um assunto que está mais em voga do que nunca quando falamos de tecnologias para o varejo, nada atrai mais curiosidade e probabilidades de aplicação do que os beacons.

Mas o que é o beacon? Para alguém que for completamente leigo em tecnologia, entenda o beacon como uma “antena”, capaz de auxiliar na detecção e comunicação entre dispositivos móveis. O beacon não carrega nenhum software e deve ser compreendido como um intermediário entre os aplicativos móveis e os produtos ou a loja em si.

Uma outra maneira na qual eu gosto de descrever é o assunto é entender que o beacon possibilita que nossos aparelhos móveis (celulares e tablets) funcionem como uma etiqueta RFID sobre nós, possibilitando não somente a detectar a presença, como realmente “identificar” o usuário, de acordo com a complexidade do software envolvido para a comunicação, ou o app que será utilizado, em linguagem mais clara.

Na última NRF alguns cases interessantes foram apresentados sobre o assunto, entre eles, o da rede de lojas de Gamestop, especializada em videogames, onde o beacon se comunicava com o aplicativo e possibilitava que o usuário pudesse visualizar informações, vídeos e comentários sobre os jogos que estavam sendo vendidos na prateleira. Uma espécie de “segunda prateleira”, facilitando a decisão de compra do consumidor.

Mas ainda tudo é muito novo quando falamos em Beacons. Mesmo no brilhante caso acima, estamos falando de uma rede de lojas com mais de 4.500 unidades e que apenas 45, isso mesmo 0,1% das unidades da rede trabalha com os beacons. Embora o barulho, ainda trata-se de um piloto.

Para que o assunto seja realmente adotado pelo mercado, ainda há várias questões que varejistas, indústrias, shopping centers, e demais empresas precisam de respostas. São questões que se encontram em aberto no momento e provavelmente somente o tempo mostrará qual será a melhor solução para o problema.

O primeiro problema, que seria um problema de patente (e que limitaria o interesse do mercado), foi solucionado. Embora adotado como um nome genérico para o assunto, o próprio nome “beacon” é uma patente pertencente à Apple (iBeacon), e que funcionaria somente para a identificação de smartphones da marca. A indústria soube se posicionar rapidamente sobre a nova tecnologia e o termo correto para o hardware ou solução seria o de “dispositivo BLE”, que significa Bluetooth Low Energy, ou comunicação de Bluetooth de baixa energia, numa tradução literal.

Para que uma solução que utilize beacons funcione nos moldes que vem sendo apresentada, criando não somente um aplicativo que apresenta produtos, mas que também possa entender alguma informação do usuário, faz-se necessária a criação de um aplicativo (app). Isso possibilita, uma vez que o software é instalado em um celular, tablet ou outro dispositivo, que o consumidor “aceite” ser identificado no ponto-de-venda. São as famosos contratos de uso, ou o simplemente o “concordo” que assinalamos ao instalar qualquer software ou atualização. No mercado, costumamos a definir o termo “opt-in” para isso, ou seja, você ao instalar o software, optou por participar ou concordar com os termos exigidos, no caso, a identificação.

Para ilustrar, imagine que uma rede de lojas lança um aplicativo que além e mostrar informações sobre os produtos, lhe permita se conectar com redes sociais, seja para convidar amigos a participar da mesma experiência, seja para avaliar produtos e promoções. Todas as informações poderão ser colhidas a fim de se entender melhor os consumidores da marca/loja.

Outro uso bastante interessante seria para se avaliar áreas quentes (ou hotzones) da loja. Uma vez que eu consigo capturar um cliente assim que ele entra na minha loja, também é possível entender, cliente a cliente, quais são os caminhos e percursos quando este entra na loja e durante todo seu processo de compra, fornecendo informações essenciais para as áreas de marketing, merchandising, arquitetura e até mesmo vendas, possibilitando um melhor entendimento sobre o correto posicionamento de vendedores ou equipes de atendimento. Sai o achismo, entram as informações. O “eu acho” torna-se “eu sei”.

Entretanto, para que tudo isso funcione ainda existe uma grande barreira, o próprio Bluetooth. Embora uma tecnologia já consolidada, para que o beacon detecte que um dispositivo que contenha o aplicativo entrou na loja, é necessário que esse dispositivo esteja com o Bluetooth ativado, o que hoje é raro na maioria dos casos, dado o consumo de energia deste. Com o crescimento de tecnologias “vestíveis”, como relógios do tipo smartwatches ou soluções como o agora adiado para ajustes Google Glass, a tendência é que a questão do Bluetooth estar ativado ou não seja cada vez menos um problema. Mas em uma aplicação nos dias de hoje, uma simples comunicação talvez incentivando quem entra e tem o aplicativo a “ligar o Bluetooth” e conhecer as novidades pode solucionar o problema. É uma questão de “criar a cultura”.

Mas será que a comunicação via Bluetooth é a única solução? Com tanta gente disponibilizando sinais de wi-fi, nada poderia ser criado nesse sentido?

Pode, mas é preciso ainda se avançar muito sobre o tema. O que se tem hoje apresenta desde problemas de precisão, à problemas ligados à comunicação entre aparelhos e servidores.

É possível detectar alguém que esteja utilizando um sinal de wi-fi, desde que o wi-fi utilizado seja da loja/marca/espaço. Isso traz dois problemas. No primeiro, de fato, vai depender da qualidade de banda que você oferece e se é ou não uma vantagem ao consumidor adotar o seu sinal para navegar, sabendo que principalmente se este estiver em um local como um shopping center, que o seu sinal, por vezes será eficiente somente nas dependências de sua loja e não no período completo do consumidor no centro de compras. Nesse caso, talvez o cliente tenha preferencia pela rede que cobre todo o shopping do que somente sua loja.

De outra maneira, um segundo problema, é que todos nós como consumidores, esperamos que a qualidade de serviços de Internet e a acessibilidade à esses seja cada vez maior, ou seja, que cada vez mais as pessoas possam contar com seus próprios sinais, ao invés de depender de sinais de terceiros. Todos gostaria de ter Internet de qualidade o tempo todo, e a maior variável disso é o preço, que ainda torna o assunto inviável a maior parcela da população, mas que, como toda tecnologia, tende a se baratear e tornar-se mais acessível com o tempo. Sendo assim, apostar em sinais de wi-fi pode ser bom, mas não é possível afirmarmos ainda por quanto tempo.

Uma outra questão que o sinal de wi-fi não consegue trazer facilmente é a identificação do usuário. Se esse simplesmente se “conecta” com a rede da loja, da maneira como fazemos hoje em qualquer estabelecimento, o máximo que se pode entender é o registro MAC do aparelho, uma espécie de registro único de cada dispositivo. Dessa forma, você consegue entender a movimentação de um aparelho com um numero de registro “x”, entendendo qual sua frequência, quanto tempo ficou na loja, por onde andou, entre outros, mas não consegue entender quem este seria como consumidor. Não dá para saber se é homem, mulher, idade, ou qualquer outra informação. Nesse caso, tem-se aí um segundo problema, que seria a constante troca de aparelhos celulares por conta de usuário. Se você pensa que a cada ano, surgem novos aparelhos e que o consumidor vê-se intencionado a trocar por um aparelho melhor a todo o momento, na medida em que o troque, o registro MAC seria perdido, e, portanto, mesmo que esse indivíduo continuasse a frequentar a loja, esse seria lido como um cliente novo a partir do momento que entre na loja com um novo celular.

Para que isso não ocorra, uma solução seria novamente pensar em disponibilizar a conexão somente através de um aplicativo móvel (app), onde pudesse ser realizado um login. Como um login é sempre único, e à maneira que você troca de aparelho, você procura reinstalar os programas que utilizava, essa pode ser uma maneira de continuar a entender o consumidor, sem necessariamente perde-lo toda as vezes que esse optar por um novo aparelho (e que será cada vez mais frequente).

Há outras questões que ainda estão em aberto, como por exemplo: Se eu só sou reconhecido quando me conecto, toda a informação de quando eu não me conecto é perdida? O quanto perder essa informação pode impactar em uma decisão?

Ainda não é certo como veremos essa questão dos beacons nos próximos anos. De certo é que ela ainda fará parte de um cotidiano de compras que ainda não vivemos, e sua aplicabilidade ainda está sendo desenhada, o que permite ainda uma série de novas possibilidades.

Mas em tempos onde buscar se comunicar com o consumidor é cada vez mais essencial, sairá na frente quem conseguir entender primeiro. Quando todos estiverem usando, já não será vantagem competitiva, será essencial.

Um grande abraço e boas vendas

Caio Camargo
Editor
Falando de Varejo
+Falando de Varejo
www.falandodevarejo.com

Blitz: Cinquenta tons de cinza

Já que a onda é o sucesso do livro/filme "50 tons de cinza", olha a ideia desse sex shop no centro de Santo André (SP), que trouxe roupas e acessórios com a temática do filme para a vitrina.

Sim, o varejo é feito de oportunidades...
Parabéns ao pessoal pela boa sacada...



Um grande abraço e boas vendas

Caio Camargo
Editor
+Falando de Varejo

Blitz: Pequenos detalhes

Cada vez que entro em alguma livraria, sempre me deparo com uma surpresa, um pequeno detalhe de visual merchandising que sempre faz toda a diferença na hora de cativar a atenção do consumidor.

Olha que bacana essas duas soluções na vitrina da Livraria da Vila do Shopping Iguatemi JK (SP), para o destaque de dois livros. Parece que a capa ganha vida e transborda a vitrina.

Por lugares incríveis: Repetindo a capa, foram utilizados bloquinhos de construção para criar um visual atrativo ao produto na vitrina.

O presente do meu grande amor: Pequenos displays representam casais patinando ao redor do livro, tal qual representado na própria capa.

Também não posso deixar de destacar o incrível display de imagens e fotografias da Compota, confeccionado todo em madeira, e dando um toque mais do que especial nos produtos em exposição, à começar pela maneira como são expostas as descrições e preços. Incrível!

Compota Edições Limitadas: Incrível display na Livraria da Vila do Iguatemi JK (SP)


Um grande abraço e boas vendas,

Caio Camargo
Editor

Fórum de Shopping Centers debate o novo desenho do varejo brasileiro


"Precisamos reacender a confiança dos executivos do País. Já tivemos outros momentos de crises superados", disse Marcos Gouvêa de Souza, presidente do LIDE Comércio e da GS&MD, na abertura do 2º Fórum Brasileiro de Shopping Centers, ocorrido nessa quinta (26/02/2015), no Hotel Grand Hyatt. Promovido pelo LIDE e pelo LIDE COMÉRCIO, o evento recebeu 320 empresários do segmento para debater os desafios do crescimento do setor no Brasil.

João Doria Jr., presidente do LIDE, também reforçou o otimismo com relação ao desempenho de toda a cadeia do varejo: "há um ambiente que nos permite transformar a crise em oportunidade. Precisamos promover uma agenda construtiva para o setor varejista". Já o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, lembrou que o setor de shopping centers aquece a economia ao gerar emprego, renda e alavancar o setor de infraestrutura e logística.

Mas não só as reflexões sobre os desafios econômicos do cenário atual foram compartilhadas. Entre as tendências apresentadas para o setor, Bernardo Fort-Brescia, fundador da Arquitectonica, falou do design de centros comerciais, que valoriza a integração entre espaço urbano exterior. Mais uma vez, o shopping como espaço de convivência aparece como forte tendência.

Inclusão digital, convergência de preços, pressões inflacionárias, rigor na formalização da atividade e a entrada de novos players no mercado brasileiro são alguns dos fatores que configuram o atual varejo brasileiro, segundo Edson Kawabata, diretor de Estratégia e Desenvolvimento do Grupo Pão de Açúcar - que fechou o ciclo de palestra do 2º FÓRUM BRASILEIRO DE SHOPPING CENTERS.

Gouvêa de Souza finalizou o evento sugerindo um diálogo entre os segmentos de varejo, serviços e shopping centers para a busca de novos caminhos, que certamente trarão melhor competitividade, desemprenho e oportunidades.

Ao final, foi entregue o PRÊMIO LIDE SHOPPING CENTERS 2015 às empresas que se destacaram no ano passado, nas seguintes categorias: "Arquitetura e Design", "Comunicação Promocional", "Destaque Digital", Destaque em Marketing", "Destaque em Outros Formatos", "Eficácia Operacional", "Excelência em Tenant Mix", "Lojas Destaque em Shopping Centers", "Relacionamento com Lojistas" e "Serviços Especializados".

Com apoio institucional da ABRASCE – Associação Brasileira de Shopping Centers e GS&MD, o 2º FÓRUM BRASILEIRO DE SHOPPING CENTERS conta com patrocínio da ATHIÉ WOHNRATH e EMBRASE. Participação da CINÉPOLIS e REDE RECORD. Colaboração da AD SHOPPING, AD MALL, ALMEIDA JUNIOR, GOULART E COLEPICOLO ADVOGADOS e SOKS. CASTILHO E MONTANO COMMUNICATION HOUSE, DELONGHI, ECCAPLAN, F&Q BRASIL, FORMAG'S, GRUPO COMPANHIA, NUTTY BAVARIAN, RODOBENS e VIFRAN são fornecedores oficiais. BAND AM e BAND NEWS FM, PR NEWSWIRE, REDE RECORD, REVISTA LIDE e TV LIDE são mídia partners.

Franchising brasileiro cresce 7,7% em 2014

Números oficiais divulgados hoje pela ABF apontam ainda que o setor gerou 6,5% mais empregos e que 239 novas marcas ingressaram no mercado


Uma indústria resiliente e que se mostra vigorosa especialmente quando a conjuntura econômica é desfavorável. Este é o sistema de franquias no Brasil, cujo Balanço Final de 2014 é divulgado hoje pela ABF – Associação Brasileira de Franchising. Os dados oficiais consolidados foram apurados pela entidade ao longo de todo o ano passado, compondo uma série de quatro Pesquisas Trimestrais de Desempenho do Franchising. O franchising cresceu 7,7%, registrando um faturamento da ordem de R$ 127,331 bilhões no ano passado.

“A trajetória ascendente do faturamento do setor é uma demonstração clara do virtuoso ciclo de desenvolvimento do sistema de franquias brasileiro, amadurecido - regulamentado pela Lei do Franchising, 8.955/94 - que acaba de completar vinte anos”, avalia a presidente da ABF, Cristina Franco.



Geração de Empregos

Parte da cadeia do varejo, o franchising revela, por seus resultados ao longo do tempo, estar contribuindo para o desenvolvimento socioeconômico brasileiro. Quanto à geração de empregos diretos, o estudo da ABF aponta que o sistema de franquias aumentou em 6,5% o número de postos de trabalho gerados, passando de 1.029.681 para 1.096.859, em 2014.

“O franchising é berço do primeiro emprego e celeiro de empreendedorismo, oferecendo ao investidor chances de resultados potencializados pela própria natureza do negócio em rede, testado, com padrões pré-definidos, ganho em escala, treinamento e marcas consolidadas”, afirma Ricardo Camargo, diretor executivo da entidade.


Em termos comparativos, do total de 396.993 empregos formais criados no Brasil em 2014 (segundo o Ministério do Trabalho), o franchising respondeu por 67.178 deles – o equivalente a 16,9% dos empregados registrados no período, enquanto a indústria reduziu as contratações em 3,2%, de acordo com a Pesquisa Industrial Mensal de Empregos e Salários do IBGE.

“É de grande relevância para o franchising brasileiro contribuir para gerar emprego e renda, por meio de uma indústria cada vez mais profissionalizada”, observa a presidente da ABF. Ainda segundo Cristina Franco, os investimentos das redes em treinamento e capacitação de pessoas têm contribuído para que o setor cresça mesmo em períodos de instabilidade econômica.

Franchising pelo País e a Evolução das Unidades

O levantamento da ABF registrou uma expansão de 9,8% das unidades de franquia em operação no País. O número de pontos de venda das redes subiu para 125.641, o que representa a abertura de 11.232 unidades.

Reconhecido pelo reduzido risco de investimento, o franchising manteve também um baixo índice de fechamento de negócios. De acordo com o levantamento, a mortalidade de empresas no sistema de franquias foi de 3,7% em 2014. O índice de mortalidade dos negócios tradicionais, segundo o SEBRAE, é de 24,9% em dois anos.

“Nossa recomendação aos franqueadores é mantermos o setor em crescimento, melhorando a performance de cada unidade franqueada”, explica Cristina Franco. Nesse sentido, a ABF está investindo pesado na oferta de cursos e treinamentos tanto para quem deseja ingressar no sistema como para os empresários que já atuam no franchising.

Por meio do franchising, as marcas levam produtos e serviços para todos os cantos do País. De acordo com o levantamento da ABF, o índice de municípios brasileiros com operações de franquias em 2014 é de 37,8%. São Paulo (16,5%), Rio de Janeiro (7,4%) e Belo Horizonte (2,4%) são os municípios com maior número de unidades franqueadas.

O movimento de interiorização do franchising é exemplificado pela presença de marcas em 2.108 municípios do País.


Evolução do Número de Redes

O lançamento de novas redes de franquia no mercado nacional avançou 8,8% em 2014 comparado ao ano anterior. De acordo com o estudo, o número de marcas saltou de 2.703 para 2.942 no período, o que equivale à entrada em operação de 239 redes no País, em todos os segmentos do franchising. Em alimentação, por exemplo, ingressaram no sistema: Crepelocks, Fry’s, Keiretsu, O Bom Galeto. Em Casa e Construção, destaca-se a Arte Própria. Em vestuário, a Live!. No segmento de Esportes, Saúde, Beleza e Lazer, a Só Socks, Natural Quality, entre outras. Em Acessórios Pessoais e Calçados, a NYS Collection.

“Em todos os fóruns e organismos internacionais que participamos como representantes do franchising brasileiro, constatamos que o País alcançou uma posição de destaque por seu desempenho”, declara o diretor executivo da ABF.

O número de 2.942 marcas de franquia existentes no Brasil em 2014 posicionou o país em quarto lugar no ranking mundial do World Franchise Council (WFC). No topo da lista está a China, com 4.000 marcas; os Estados Unidos subiram do quarto para o segundo lugar, com 3.828 marcas, seguido da Coréia do Sul, com 3.691 redes.

Já em relação às unidades em operação, o Brasil manteve a sexta colocação no ranking do WFC, com 125.641 unidades. O ranking é liderado pelos Estados Unidos (769.683), com a China em 2º lugar (330.000), Japão em 3º (252.514), Coréia do Sul em 4º (203.349) e Filipinas na 5ª posição (130.000).

Crescimento do Faturamento por Segmento

A ABF também faz uma análise por segmento de forma relativa, isto é, cada segmento é comparado com o seu próprio desempenho em relação ao ano anterior. Os dados apurados confirmam o que já sinalizavam as pesquisas trimestrais de desempenho do franchising no ano passado.

Em 2014, o segmento que mais cresceu sobre ele mesmo foi o de Comunicação, Informática e Eletrônicos, com faturamento 27% maior do que em 2013. O aumento do número de empresas prestadoras de serviço e agências digitais, além da crescente venda de smartphones, computadores e aparelhos de TV favoreceram a expansão desse mercado. Entre as marcas que atuam nesse segmento estão a loja de eletrônicos virtual Nexar e as agências de marketing digital Guia-se Negócios pela Internet e Ligue Site.

Em segundo lugar está o segmento de Acessórios Pessoais e Calçados que cresceu 19% no ano passado. Fatores como o ingresso definitivo das mulheres no mercado de trabalho e a melhora do poder aquisitivo da classe média são os grandes impulsionadores desse segmento. São exemplos neste mercado Chilli Beans, Morana e Óticas Carol.

Na sequência, Casa e Construção foi o terceiro segmento que apresentou maior variação de faturamento: 17% a mais de 2013 para 2014. A pesquisa revela que o mercado de manutenção doméstica, decoração, colchões e itens para pequenos reparos alavancaram esse crescimento, mesmo com o setor de construção civil apresentando sinais de desaquecimento. São representantes desse segmento as marcas Anjos Colchões, First Class (cama, mesa e banho) e Multicoisas (utilidades e reparos domésticos).

Composição do Faturamento por Segmento

Ao avaliar a participação dos segmentos na composição do faturamento do setor em 2014, o estudo da ABF é liderado por Negócios, Serviços e Outros Varejos, que responde por 21% de participação. Nesse segmento estão agrupadas várias atividades de negócio distintas, o que justifica essa participação no desempenho geral. Entre as marcas classificadas nesse segmento estão AM PM Mini Market, BR Mania e Correios.

O segmento de Alimentação é responsável por 20,1% do faturamento do franchising nacional, ocupando o 2º lugar. Resiliente, o segmento de alimentação é bastante ágil e aproveita de forma criativa todas as oportunidades do mercado.

O terceiro segmento mais representativo do sistema é o de Esportes, Saúde, Beleza e Lazer, com 18,3%. Seguindo as tendências do mercado e o desejo dos consumidores, as marcas desse segmento oferecem uma gama enorme de produtos e serviços voltados para a qualidade, bem estar e estética, que cabem no bolso de brasileiros de todas as classes sociais.

Internacionalização

Os dados apurados pela ABF indicam que dentre as 2.942 redes existentes no Brasil, cerca de 94,4% são originalmente nacionais. Desse total, 106 marcas possuem presença internacional, sendo 96 com operações em 51 países e 10 redes que realizam exportação.

Os segmentos com maior participação no exterior são Esporte, Saúde, Beleza e Lazer, com 18,30%; Acessórios Pessoais e Calçados, também com 18,30% e Alimentação, 16,10%.

Ainda de acordo com o estudo, a presença de marcas estrangeiras no Brasil é de 5,6%.

Microfranquias

Essa modalidade de negócio cresceu 14,7% de 2013 para 2014. O desejo de ter o próprio negócio com um pequeno investimento inicial - até R$ 80 mil – é o grande motivador do avanço das microfranquias. Para atender esse empreendedor, em 2014, registrou-se também um movimento de empresas oferecendo modelos híbridos, ou seja, franquias tradicionais adotando modelos de microfranquias sob a mesma marca.

Das 2.942 redes existentes no Brasil, 433 possuem modelo de microfranquias.

Projeções para 2015

Com base nos estudos trimestrais da entidade e em dados macroeconômicos, a ABF estima que o crescimento do faturamento do setor em 2015 fique entre 7,5% e 9,0%. Já o número de marcas deve aumentar 8% e o de novas unidades, crescer entre 9% e 10%.

Essas projeções poderão ser atualizadas ao longo das pesquisas trimestrais de 2015 devido as alterações da economia e da consequência das restrições hídricas e energéticas que o País enfrenta.

“Nosso objetivo é continuar municiando o mercado com dados fidedignos para que todos os seus atores tenham subsídios para a tomada de decisão ao longo dos próximos 12 meses”, afirma Cristina Franco e conclui: “Os números da indústria do franchising confirmam que somos um setor amadurecido que está fazendo a sua parte nos esforços da sociedade para o desenvolvimento da Nação”.

Metodologia

Envolvendo o mercado como um todo, inclusive não associados, os números do desempenho do setor são apurados em pesquisa por amostragem, cruzados com levantamentos feitos por entidades representantes de setores correlatos ao sistema de franquias – tais como CNC e ABRASCE – órgãos de governo como o IBGE, e instituições parceiras, caso do SEBRAE.

Auditados por empresa independente, os dados divulgados pela ABF servem ainda de referência para governos, entidades internacionais do franchising, como World Franchise Council e FIAF – Federação Ibero-americana de Franquias.

Sobre a ABF

A ABF – Associação Brasileira de Franchising é uma entidade sem fins lucrativos, criada há 28 anos para divulgar, defender e promover o desenvolvimento técnico e institucional do modelo de negócio batizado como Franchising/Franquia.

Sendo assim, a instituição reúne todas as partes envolvidas na franquia – franqueadores, franqueados, consultores e prestadores de serviços – para garantir e disseminar a prática do bom franchising no Brasil. Entre as funções desempenhadas pela entidade, estão orientar o investidor como pesquisar corretamente uma franquia, indicar literaturas especializadas e fornecer dados sobre as empresas franqueadoras no Brasil e no exterior.

Para as empresas interessadas em expandir seus negócios por meio do sistema de franquia, a ABF indica quais ações são necessárias para formatar o negócio, assim como relaciona profissionais de consultoria em Franchising para auxiliarem o processo.

Mais informações: www.portaldofranchising.com.br

Shoppings da BRMalls entram na comemoração do Rio 450 Anos

A partir desta sexta-feira (27/02), os cariocas poderão ver alguns dos shoppings da BRMalls do Rio de Janeiro vestidos de azul. Iniciando as homenagens pelos 450 anos da cidade, comemorados em 1º de março, o Casa & Gourmet, Center Shopping, Ilha Plaza, NorteShopping e Shopping Tijuca ganharão iluminação especial nas suas fachadas e jardins. A iniciativa é fruto da parceria entre a BRMalls, maior empresa de shoppings do país, e o Comitê Rio 450 Anos.

Ao longo do mês de março, os clientes poderão conferir as novidades dos shoppings e também participar da homenagem à Cidade Maravilhosa. Os shoppings Ilha Plaza e Casa e Gourmet, localizados na Ilha do Governador e em Botafogo, respectivamente, terão a fachada iluminada de azul neste fim de semana, nos dias 27 e 28 de fevereiro e 1º de março. Já o NorteShopping, no Cachambi, e o Shopping Tijuca ficarão o mês inteiro vestidos de azul, de 1º a 31 de março. No NorteShopping, os clientes também poderão conferir homenagens internas em comunicações espalhadas pelos corredores do shopping. O Center Shopping, em Jacarepaguá, também ganhará iluminação especial na cor azul durante o próximo mês, de comemorações na Cidade Maravilhosa.

Serviço

Casa & Gourmet – Rua General Severiano, 97, Botafogo.

Center Shopping – Avenida Geremário Dantas, 404, Jacarepaguá.

Ilha Plaza – Avenida Maestro Paulo e Silva, 400, Ilha do Governador.

NorteShopping – Avenida Dom Hélder Câmara, 5474, Cachambi

Shopping Tijuca – Avenida Maracanã, 987, Tijuca.

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Cia de Moda ingressa no mercado de franquias

Tradicional marca de moda feminina aposta na expansão através do varejo de rua


Prestes a completar 50 anos de história, a Cia de Moda inaugura uma nova fase em sua trajetória e passa a atuar através de franquias. O novo passo foi bem pensado pela marca, destaque no segmento de moda feminina. Apesar do plano de expansão ter sido formato neste ano, a empresa já atua com duas franquias, usadas como laboratório para formular o melhor negócio para todas as partes.

Com 10 lojas abertas, a Cia de Moda tem sido um tremendo sucesso no varejo de rua e vai manter a mesma aposta para a expansão através de franquias – um diferencial entre as tantas marcas que apostam no crescimento dentro dos shoppings.

“Um dos principais valores da Cia de Moda é a fidelidade. Somos uma empresa com 50 anos de histórias e temos clientes, fornecedores e colaboradores que esteve conosco durante todo esse tempo. Entramos no segmento de franquias e não queremos fazer negócios pontuais, mas começar uma parceria bem sucedida e de muitos anos”, diz Maurice Marcel Zelazny, diretor da Cia de Moda.

Raio-x de franquia:
Canal de venda: Loja de rua
Tamanho de loja: 60m2
Investimento médio inicial: 370 mil
Taxa de Franquia: 20 mil
Royaties: 5%
Fundo de Promoção: 4%
Retorno estimado: de 24 a 36 meses

Inaugurada a 180ª loja do Divino Fogão

Unidade foi aberta no Pantanal Shopping em Cuiabá

Dando continuidade aos planos de expansão para o ano de 2015, o Divino Fogão inaugurou no último dia 5 de fevereiro a 180ª loja da rede. A loja abriu suas portas no Pantanal Shopping, em Cuiabá, Mato Grosso.

Para o ano de 2015, a rede que agora conta com 180 lojas presentes em todos os estados brasileiros, prevê um crescimento de 20% no faturamento. A rede espera também expandir para o interior do Brasil, levando o tempero da fazenda para as mais variadas cidades do Brasil.

Considerada a maior rede de comida 100% brasileira no mundo, a empresa foi criada por Reinaldo Varela há 30 anos. “Nenhuma rede de comida 100% brasileira está em tantos lugares. Além do padrão de excelência adotado pelos nossos franqueados, outro diferencial é que em cada região, servimos em nosso buffet pratos típicos”, comenta Reinaldo.

Serviço:
Pantanal Shopping
Local: Av. Historiador Rubens de Mendonça, 3300 - Jardim Aclimação.
Cuiabá – Mato Grosso
Horário de funcionamento: De 2ª feira a sábado, das 10h às 22h
Domingos e feriados: Alimentação e Lazer: das 11h às 22h;
Demais operações: das 14h às 22h.

Ficha técnica:

Nome da franquia: Divino Fogão
Segmento que atua: Fast Food
Ano de fundação da empresa: 1984
Ano de início no sistema de franquias: 1994
Número de unidades em funcionamento no Brasil: 180
Investimento inicial: R$ 600 mil
Taxa de franquia: R$ 100 mil
Capital de giro: R$ 30 mil
Royalties: 4% a 6% sobre o faturamento mensal
Taxa de publicidade: 0,7%
Área mínima: 52 m²
Nº de funcionários: 18 funcionários por unidade, em média
Faturamento bruto: R$ 190 mil
Lucro líquido: em torno de 15% a 18%
Prazo de retorno: 36 meses
Prazo de contrato: (5 anos)
Telefone: (11) 3811-1560
Site: www.divinofogao.com.br
Contato: paulohurtado@terra.com.br

1Divino Fogão: Desde 1984, o Divino Fogão lançou-se no mercado com uma estratégia inovadora, servindo o que há de mais saboroso e variado da comida típica da fazenda. Hoje, o Divino Fogão é nacionalmente reconhecido por seus produtos de excelente qualidade e com sabor genuinamente brasileiro. Receitas próprias e exclusivas foram desenvolvidas ao longo dos anos, procurando atender o gosto e o paladar brasileiro. A rede conta hoje com mais de 180 restaurantes presentes em todas as regiões do País.

Vendas em supermercados sobem 3,42% em um ano, diz entidade


As vendas em supermercados no Brasil em janeiro subiram 3,42% sobre o mesmo período do ano passado, informou nesta quarta-feira (25) a associação que representa o setor, Abras. "O resultado do primeiro mês do ano é bom, mas o nosso setor segue com muita expectativa e certa preocupação com os acontecimentos econômicos em curso", avaliou o presidente do conselho consultivo da entidade, Sussumu Honda. Em 2014, as vendas de janeiro tiveram crescimento anual de 4,5%. A Abras informou ainda que espera que o setor tenha manutenção do patamar de vendas do ano passado durante o período de comercialização da Páscoa.

Fonte: UOL

Final de semana recreativo na Feira Literária do RIOSUL

No próximo final de semana, dias 28 de fevereiro (sábado) e 01 de março (domingo), o RIOSUL Shopping Center vai promover atrações infantis na Feira Literária, que acontece na Praça de Eventos, no 1º piso do Shopping, a partir das 14h. No sábado, as crianças poderão conferir o teatrinho ‘Encontro com a Fada Madrinha’. No domingo, acontece novamente o ‘Encontro com a Fada Madrinha’, e, em seguida será apresentado o Espetáculo infantil sobre o Carnaval.

As atrações gratuitas fazem parte da programação da Feira Literária ‘O Mundo Fantástico da Leitura e dos Fantoches’, que acontece no mall até o dia 11 de março. No espaço aconchegante, são desenvolvidas diversas atividades educativas e recreativas, totalmente gratuitas. Ao longo da semana, estarão disponíveis livros para leitura e venda, a preços atrativos. Aos finais de semana, atrações especiais também fazem parte da programação.

Serviço:

Dia 28 de Fevereiro (Sábado):
Teatro infantil - Encontro com Fada Madrinha – Horário: 14h

Dia 01 de Março (Domingo):
Encontro com Fada Madrinha – Horário: 14h
Espetáculo Carnaval – Horário: 15h

Endereço:
RIOSUL Shopping Center – Av. Lauro Muller, 116 – Botafogo, Rio de Janeiro – RJ.
Site: www.riosul.com.br
Entrada Gratuita

Casa Show comemora 450 anos do Rio de Janeiro em sua loja virtual

Em comemoração aos 450 anos do Rio de Janeiro, a Casa Show promove neste final de semana, uma mega promoção em sua loja virtual http://www.casashow.com.br. Serão 450 produtos com descontos de até 50%, de 27 de fevereiro a 01 de março. Ainda como parte da ação, pedidos acima de R$ 99,00, para serem entregues no Rio de Janeiro, contarão com frete grátis.

O site também oferece a possibilidade de parcelamento em até 12 vezes sem entrada e sem juros no cartão exclusivo da rede. Caso o consumidor tenha alguma dúvida sobre a quantidade de produtos necessários para a sua obra, a página virtual da Casa Show conta com aplicativos para ajudar no cálculo de tintas e cerâmicas. O blog também possui dicas exclusivas de construção, reforma e decoração: http://blog.casashow.com.br/.

Pátio Alcântara promove a campanha ‘Chute nos Preços’ de 23 a 28 de fevereiro

Lojas de calçados buscam aquecer as vendas com descontos de até 70%


O Pátio Alcântara promove, de 23 a 28 de fevereiro, a queima de estoque de calçados ‘Chute nos Preços’, com descontos de até 70%. Diversas lojas no segmento de calçados participam da campanha a fim de atrair clientes atentos aos melhores preços de São Gonçalo.

Durante a promoção, os lojistas têm a possibilidade de zerar os seus estoques, criar oportunidades de vendas adicionais e principalmente fidelizar o consumidor do segmento de calçados. Participam da campanha as seguintes lojas: Angel Feet, Fun Shoes, Valéria Daflon, Vip Shoes, Agito dos Pés, Bom Pisar, Giza e Sonho dos Pés.

De acordo com André Leandro, responsável pelo Marketing do Pátio Alcântara, a ação é uma forma de aumentar as vendas e trazer o cliente ao shopping. “ A promoção é uma oportunidade dos lojistas liquidarem seus estoques e incrementarem as vendas”, ressalta André.

O horário de funcionamento do shopping será normal durante a liquidação, de segunda a sábado de 9h às 21h.

O Shopping Pátio Alcântara fica na Praça Carlos Gianelli, s/nº, Alcântara – São Gonçalo. Tel. (21) 2025-6706.

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Óticas Carol é a primeira empresa do setor ótico a implementar RFID

Com esta tecnologia implementada em suas cinco lojas próprias, a empresa automatizou estoques e ampliou em mais de 50% sua eficiência operacional, além de aperfeiçoar controles e processos de segurança para evitar furtos.

Há aproximadamente um ano, a Óticas Carol investiu inicialmente cerca de 45 mil reais para implementar, pela primeira vez no ramo ótico, a tecnologia RFID (Radio Frequency Identification – Identificação por Rádio Freqüência) em suas cinco lojas próprias, para depois estender seus benefícios a rede de 700 lojas distribuídas em todo o Brasil.

Essa tecnologia, que é utilizada para identificar, rastrear e gerenciar produtos e documentos, bem como pessoas, objetos e animais, é inserida em etiquetas com chips encapsulados, que são controlados por ondas eletromagnéticas enviadas para antenas externas e recebidas ao serem ativados os leitores de RFID. “Esta tecnologia tem a capacidade de ler e de gravar informações que permitem identificar um produto de forma única e em série, o que torna mais rápido e eficiente o rastreamento de produtos (controle de lotes, datas de validade, entre outros), além de garantir a identificação de uma peça de forma inequívoca e única, evitando pirataria”, afirma Maurício Ferrante, diretor Comercial e de Operações da Óticas Carol.

A implementação da tecnologia RFID, oferecida pela Vip-Systems, nas Óticas Carol teve o intuito de gerar mais produtividade nas operações, assertividade nas reposições, eficácia no controle de estoque/inventário e segurança contra roubos. A iniciativa priorizou em um primeiro momento as lojas próprias da rede para que fossem realizados testes e aperfeiçoamento da tecnologia para atender às demandas da empresa. O próximo passo é avaliar os resultados e propor a adoção aos 299 franqueados da companhia.

O executivo adiantou que a empresa já constatou aumentos significativos de produtividade com melhorias expressivas de controles dos processos internos, principalmente em relação ao inventário de produtos em estoque. “Antes o processo era muito manual, precisávamos de seis funcionários e cerca de 24 horas para concluí-lo. Hoje, temos um scanner com leitura rápida capaz de fazer esse mesmo serviço em apenas 30 minutos, com uma equipe de três pessoas, ou seja, obtivemos um ganho de mais de 50% em estrutura operacional das lojas próprias”, afirma Ferrante.

Na prática cada franquia compra hoje, em média, 1.000 unidades de óculos e o objetivo é que o lojista possa fazer a reposição de forma inteligente, com foco nos produtos com alto giro e lançamento. Por exemplo, o lojista pode comprar cerca de 250 peças e, conforme o estoque gira, fazer a reposição de forma mais inteligente ao adotar o RFID. “Assim, nosso franqueado não vai ter capital parado e pode apostar seu dinheiro onde tem giro de verdade”, destaca o diretor das Óticas Carol.

Regiane Relva Romano, CEO da Vip-Systems, acrescenta que a tecnologia RFID é fundamental para o controle de estoques e inventários, especialmente em empresas com grandes volumes de produtos, como as varejistas, porque permite identificar cada produto e sua exata localização. “No caso das Óticas Carol, nossa tecnologia possibilita manter a loja organizada e, assim, agilizar os processos”, completa a CEO. Ela explica ainda que, no futuro, as lojas da rede poderão fazer o recebimento de forma automatizada, pois se vierem etiquetadas de fábrica, poderão ser comparadas com a NFe e o processo ainda será mais eficaz.

Além disto, a tecnologia RFID também possibilita saber quantas vezes um produto foi retirado do expositor e não foi comprado, gerando diversas informações importantes para a tomada de decisão.

Expansão para toda a rede

A tecnologia RFID foi apresentada aos franqueados em agosto de 2014 na Convenção de Vendas da Óticas Carol e teve excelente receptividade dos parceiros de negócios da companhia. “Eles gostaram muito, fizeram várias perguntas, visando entender com exatidão como esta ferramenta pode auxiliar no dia a dia de seus negócios”, detalha Ferrante.

A ideia da franqueadora é disponibilizar a tecnologia para os franqueados que se interessarem a partir fevereiro de 2015. “O investimento do franqueado consistirá na aquisição dos equipamentos (hardware e software), por volta de R$ 20 mil, e o custo mensal das etiquetas, de aproximadamente R$ 800,00”, explica Ferrante. Ele ainda acrescenta que quanto maior a escala, mais esses valores são diminuídos.

Sobre a Óticas Carol

Fundada em 1997, a Óticas Carol é a maior rede de lojas de óculos do Brasil, segundo o ranking publicado pela Associação Brasileira de Franchising (ABF). Com mais de 700 unidades distribuídas em todo o País, a rede se diferencia por oferecer as melhores marcas internacionais a preços acessíveis e com forma de pagamento facilitada. Em 2009, a gestão familiar deu lugar a uma gestão profissional e a empresa passou a apresentar crescimento constante e consistente. Em 2014, a rede fechou o ano com receitas de R$ 580 milhões de reais – equivalentes a aumento de 32% comparado a 2013.

A Óticas Carol tem a menor taxa de royalties do setor de franquias. É a única rede de óticas brasileira com laboratório digital próprio, responsável pela produção de lentes de alta qualidade e performance, que chegam a custar entre 30% e 50% mais barato se comparadas a produtos similares à disposição no mercado. Além disso, a rede conta com marcas exclusivas de óculos, como TNG e Lorrane.

Quase metade da classe C está comprando menos produtos no supermercado, aponta pesquisa do Data Popular

Pesquisa inédita do instituto Data Popular revela que os brasileiros da classe C não conseguem mais levar para a casa a mesma quantidade de produtos que compravam no supermercado há seis meses. O estudo mostra que 47% dos brasileiros da classe C disseram que estão comprando menos produtos no supermercado comparando com os últimos seis meses. Já 41% afirmaram que compram a mesma quantidade e 12% disseram que estão comprando mais.

“A classe C está apreensiva com a atual situação econômica do País e preocupada com o aumento dos preços e a estagnação da renda. Por isso, já prevê que as compras no supermercado devem ficar mais criteriosas”, analisa Renato Meirelles, presidente do Data Popular.

A pesquisa também quis saber se nos próximos seis meses, pensando na condição financeira atual, os brasileiros da classe C esperam comprar mais ou menos no supermercado. O resultado mostra que 45% dos entrevistados disseram que devem comprar menos produtos no supermercado, 36% afirmaram que vão comprar a mesma quantidade e 19% acreditam que vão comprar mais.

A pesquisa quantitativa nacional foi feita entre os dias 18 e 29 de janeiro, com 3.050 pessoas – recorte classe C 1.603 entrevistas, em 150 de todo o Brasil. A margem de erro máxima é de 1,77% para um intervalo de confiança de 95%.

Campanha da Drogaria Venancio conta com “quiosques pop up”

A Drogaria Venancio lançou a campanha “Curta um Verão Saudável”. Pensando no bem-estar e conscientização, as ações tem o intuito de estimular os cuidados com a saúde durante a estação mais quente do ano, enfatizando, por exemplo, a importância do uso de protetor solar.

Assinada pela BBlender, a campanha conta com peças para PDV, impresso e mobiliário urbano, além de spot para rádio. A campanha também acontece online, através de um hotsite feito especialmente para a ação (www.curtaumveraosaudavel.com.br). Nele, o internauta pode ler matérias sobre dicas de saúde para o verão, além de poder utilizar uma ferramenta que indica o fator de proteção solar adequado para a radiação solar de cada dia e para todos os tipos de pele. As ações também são integradas com as mídias sociais, com as hashtags #CurtaUmVerãoSaudável e #VerãoSaudável.

A campanha também conta com três quiosques temporários, localizados nas estações de metrô Cantagalo e Siqueira Campos, em Copacabana, e na Barraca do Pepê, na praia da Barra. A estratégia de Pop Up tem como objetivo atender os clientes que chegam à praia e precisam de comprar produtos como protetores solares e água termal. Diversas ações como Shiatsu, Caricaturista, Blitz da Rádio Cidade e distribuição de brindes acontecem nos quiosques. A expectativa é que os três quiosques juntos impactem cerca de 80 mil pessoas até março.

Outra novidade é o aplicativo para celular “Te Encontrei”. Gratuito e com versões para Android e iOS, o app tem como principal função funcionar como um localizador de amigos na praia. Interligado ao Facebook e com sistema de localização, o aplicativo mostra os amigos que estão por perto e permite a abertura de chats com eles. O “Te Encontrei” também mostra a previsão do tempo, ajuda a localizar a loja da Drogaria Venancio mais próxima e ainda tem o “Meu FPS”, que dá dicas personalizadas de protetor solar para cada tipo de pele e de acordo com a incidência solar do dia consultado.

Marcas realizam ação conjunta para incentivar uso de protetor solar

A Drogaria Venancio e a marca Solar Expertise de L’oreal Paris, se uniram para realizar uma ação de verão no próximo sábado, dia 21 de fevereiro. Quem visitar o quiosque temporário de verão da drogaria, localizado no quiosque do Pepe, na praia da Barra, entre as 10h e as 12h, vai poder tirar fotos em uma câmera UV.

O equipamento produz imagens que mostram os danos causados pelo sol na pele e que não podem ser vistos a olho nu. A câmera também permite visualizar a diferença de proteção da pele com e sem o uso de protetor solar. A ação é realizada em parceria com a marca. Os visitantes poderão levar a foto com o registro dessa experiência, além de ganhar amostras do Solar Expertise de L’oreal Paris, entre outros brindes.

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

Blitz: Comunicação demais?


Nunca foi tão importante para as marcas se comunicarem com seus consumidores.
Nunca foi tão importante que as lojas transmitissem toda a imagem ou lifestyle que a marca deseja criar.

Não criticando a mensagem, que até é bacana, mas exatamente a proposta, para um espaço de loja, na minha opinião, esse é um texto muito grande para o curto momento que temos para ganhar a simpatia e atenção dos clientes que passam por um corredor de shopping center. Pode até ter alguém que leia, mas para a grande maioria, todo o esforço da marca para se comunicar será apenas paisagem...

Se tem muito a explicar, é que não está claro ao consumidor o que está querendo oferecer.

Um grande abraço e boas vendas

Caio Camargo
Editor
+Falando de Varejo

Xiaomi deve iniciar fabricação no Brasil em março

A Xiaomi, quinta maior fabricante de smartphones no mundo e número um na China, deve iniciar em março a produção dos primeiros protótipos no Brasil.

A informação sobre o início da produção foi passada a EXAME.com por uma pessoa que se diz ligada à Foxconn, uma das empresas que fabricam os smartphones da Xiaomi na China. Como se trata de um informe não oficial, não há 100% de certeza de que esteja correto.

Xiaomi Redmi Note 4G
Oficialmente, a Xiaomi só diz que pretende estrear no mercado brasileiro neste semestre. É um cronograma compatível com o relato que recebemos. No Brasil, a Foxconn tem fábricas em Manaus, Jundiaí (SP) e Indaiatuba (SP).

A empresa estaria adaptando uma das linhas de produção no interior de São Paulo para fabricar os produtos da Xiaomi. Com os primeiros protótipos saindo dela na segunda quinzena de março, a produção regular deve se iniciar em abril. Teríamos, então, um provável lançamento no final de abril ou em maio.

A Xiaomi já obteve homologação da Anatel para vender no Brasil o Redmi Note 4G, smartphone com tela de 5,5 polegadas (mesmo tamanho da tela do iPhone 6 Plus), câmera frontal de 13 megapixels e câmera traseira de 5 megapixels.

Como outros modelos da marca, o Redmi Note 4G roda uma versão modificada do sistema Android. Na Índia, esse aparelho custa o equivalente a 454 reais.

Na Ásia, a Xiaomi vende seus produtos pela internet, diretamente aos consumidores. É uma maneira de cortar custos e manter os preços baixos. Mas não sabemos qual será o modelo de vendas no Brasil. Rumores do mercado dizem que a empresa estaria negociando parcerias com operadoras.

A combinação de produtos atraentes com preços agressivos permitiu à Xiaomi conquistar a liderança do mercado chinês em 2014, ultrapassando a Samsung e outros fabricantes.

Mundialmente, a Xiaomi está em quinto lugar no ranking, atrás de Samsung, Apple, Lenovo/Motorola e Huawei. Ela teve 16,6% de participação no mercado no último trimestre de 2014, segundo dados da IDC. Seu crescimento no ano passado, em número de aparelhos vendidos, foi de espantosos 179%.

Fonte: Revista Exame

47% dos brasileiros dizem que nunca contratariam um morador da favela para trabalhar em sua casa

Pesquisa do Data Popular também mostra que mais da metade dos moradores do asfalto sente medo quando passam em frente a uma favela

Pesquisa do instituto Data Popular, que mostra a visão dos moradores do asfalto sobre os moradores da favela, revela que 47% dos brasileiros nunca contratariam um trabalhador que morasse na favela para trabalhar em sua casa. Já 69% dos moradores do asfalto disseram que sentem medo quando passam em frente a uma favela. Quando perguntados sobre o que pensam quando ouvem a palavra favela, 51% disseram que pensam nas palavras droga e violência.

Renato Meirelles, do Data Popular
O levantamento, realizado com 3.050 pessoas em 150 cidades, entre os dias 15 e 19 de janeiro, também mostra que 65% dos brasileiros acreditam que quem mora na favela sabe se virar melhor do que quem não mora no morro e 87% acreditam que quem nasce na favela tem menos oportunidades do que quem nasce no asfalto.

O estudo foi feito para o 2º Fórum Nova Favela Brasileira, que acontecerá no dia 3 de março, no Instituto Tomie Ohtake, em São Paulo. Organizado por Renato Meirelles, presidente do instituto de pesquisa Data Popular, e Celso Athayde, fundador da CUFA (Central Única das Favelas) e presidente da Favela Holding, o evento contará com a participação de representantes dos setores públicos, privado e do terceiro setor, que vão participar de painéis, além de discutir e analisar a favela brasileira, um território que vive em constante desenvolvimento.

Realizado pela primeira vez em 4 de novembro de 2013, o 1º Fórum Nova Favela Brasileira ocorreu no hotel Copacabana Palace, no Rio de Janeiro, e contou com a participação da apresentadora Regina Casé, do então ministro da Saúde, Alexandre Padilha, do sociólogo Luiz Eduardo Soares, do rapper MV Bill, do cineasta Cacá Diegues, do ator Lázaro Ramos, do presidente do Sebrae, Luiz Barreto, da diretora de Comunicação da P&G, Gabriela Onofre, e do presidente da CUFA (Central Única das Favelas), Preto Zezé.

Serviço:
2° Fórum Nova Favela Brasileira
Data: 3 de março de 2015 (terça-feira), das 9h às 18h
Local: Instituto Tomie Ohtake (avenida Faria Lima, 201, Pinheiros, São Paulo)

Inadimplência com cheques tem aumento em janeiro, segundo Serasa.

O percentual de devoluções de cheques pela segunda vez por insuficiência de fundos foi de 2,06 % em janeiro de 2015. É o que revela o Indicador Serasa Experian de Cheques Sem Fundos.

No mês anterior, dezembro, o total de cheques devolvidos foi de 1,94%. Já em janeiro do ano passado o número chegou a 2,11%. Segundo os economistas da Serasa Experian, o acúmulo de compromissos financeiros típicos de início de ano (impostos, mensalidades escolares, gastos com as compras de final de ano, despesas com férias, etc.) e os aumentos de preços/tarifas ocorridos (transporte urbano, energia, etc.) afetaram o bolso do consumidor, acarretando a elevação da inadimplência com cheques em janeiro/15 na comparação com o último mês do ano passado.

Coop implanta sistemas para reduzir consumo energético e hídrico

Como forma de contribuir para a redução do consumo energético e hídrico em toda sua rede, a Coop está investindo pesado em modificações na área de refrigeração no autosserviço.

De acordo com o gerente de Engenharia da Coop Fábio Dugaich, o sistema de refrigeração, que abrange os balcões da área de perecíveis, congelados e câmaras frias de armazenamento, passaram a utilizar fluido à base de CO2, que além de ser totalmente ecológico e não impactar o meio ambiente, possui capacidade frigorífica sete vezes maior que os demais sistemas.

Loja Coop localizada em São Bernardo do Campo, SP.
A loja piloto que está recebendo esse novo sistema é a Joaquim Nabuco, localizada em São Bernardo do Campo. A unidade Coronel Seabra, a ser inaugurada até o final deste ano na cidade de Tatuí, também será contemplada, além de outras duas em Santo André, Perimetral e Queirós.

“Não podemos nos esquecer de outra grande vantagem na utilização do fluido CO2 no sistema de refrigeração: sua instalação é muito compacta, requer tubulações de diâmetros menores e menor espaço físico, fazendo com que economizemos também grande quantidade de material. Vale ressaltar ainda que este sistema, por possuir condensação a ar, permitiu evitar um gasto de 3 mil litros de água por dia utilizadas no resfriamento e perdidas por evaporação no meio ambiente”, acrescenta.

Outra medida que a Coop adotou foi a substituição das luminárias fluorescentes comuns pela tecnologia do led, que reduz em 90% o consumo de energia elétrica e sua durabilidade é três vezes maior que as convencionais. “Até o momento, conseguimos abranger apenas 30% da rede e o centro administrativo, mas estamos com dificuldades para comprar as luminárias de led em razão da grande demanda do mercado. No próximo mês chegarão mais 12 mil luminárias, o que permitirá uma substituição em quatro outras unidades. Ao adquirirmos novos equipamentos, tanto para as áreas administrativas como autosserviço, estamos priorizando os motores eletrônicos, que por serem inteligentes trabalham com menor sobrecarga de energia elétrica e apresentam menor manutenção”, acrescenta Dugaich.

Griletto abre terceira unidade em Pernambuco

Loja em Caruaru reforça o plano de expansão da marca para o Nordeste

O Griletto, a maior rede de grelhados do Brasil, inaugurou neste Carnaval sua terceira unidade no estado de Pernambuco. O mercado nordestino está nos planos de expansão da rede, que planeja, somente este ano, a inauguração de outras oito lojas na região, das 30 previstas em todo o Brasil. A nova unidade do Nordeste está instalada no North Shopping Caruaru. As outras lojas estão localizadas em Recife (Shopping Recife) e Vitória de Santo Antão (Vitória Park Shopping). A expectativa de faturamento de toda a rede para 2015 é de R$ 240 milhões.

De acordo com dados divulgados pela ABF (Associação Brasileira de Franchising) no último dia 27 de janeiro, o setor de franquias cresceu 7,7% em faturamento no ano passado, totalizando R$ 127 bilhões. Com base nos estudos trimestrais da entidade e em dados macroeconômicos, a ABF estima que o crescimento do faturamento do setor em 2015 ficará entre 7,5% e 9,0%. Ainda segundo a ABF, a participação da região Nordeste no franchising brasileiro é de 2% do faturamento total e concentra 7,7% das empresas franqueadoras.

“Os números nos permitem um olhar otimista para o setor de franquias em 2015. E é com essa perspectiva que olhamos para o Nordeste, investindo na região, oferecendo ao público consumidor serviços e produtos de qualidade e, aos franqueados, excelência em apoio e consultoria”, afirmou Ricardo José Alves, fundador da rede Griletto e presidente do grupo J. Alves.

Prêmios

Em 2014, o Griletto venceu, pela segunda vez, o prêmio de melhor franquia de alimentação do Brasil, conferido pela revista Pequenas Empresas Grandes Negócios. A empresa repete o feito de 2012. Em 2014, a rede também venceu o 16º Prêmio Lojista Alshop como melhor rede de alimentação de culinária rápida e recebeu, pelo quarto ano consecutivo, o Selo de Excelência em Franchising entregue pela ABF às empresas que demonstram qualidade em relação à atuação como franqueadora.

Aquisição da rede de restaurantes Montana Express e Montana Steaks

No dia 1° de setembro do ano passado, o Grupo J. Alves, holding brasileira com 20 anos de atuação no segmento de franquias de alimentação e fundadora da rede Griletto, anunciou a aquisição da rede de culinária rápida Montana Express e Montana Steaks, após seis meses de negociação. Com o cardápio baseado em alimentos grelhados, o Montana Express está no mercado há quase 20 anos e presente em 18 estados brasileiros. Para 2015, a previsão do Montana Express é vender 8 milhões de pratos. Com a aquisição, o Grupo J. Alves passa a administrar 95 pontos da rede, totalizando 240 pontos franqueados e com previsão de R$ 400 milhões de faturamento para este ano.

Sobre o Griletto

Fundado em 2004, em Itu (SP), o Griletto é uma rede de restaurantes fast-food especializada em grelhados e parmegianas. Em pouco tempo estava formada uma rede de 14 lojas próprias em diversas cidades e a marca passou a ser reconhecida como sinônimo de qualidade, sabor e preço justo. Em 2009, a primeira franquia foi aberta em Araraquara (SP). Com o know-how adquirido, a marca Griletto continuou a sua expansão por meio do sistema de franchising, atingindo atualmente 170 lojas instaladas exclusivamente em praças de alimentação dos melhores shoppings centers de todo o Brasil.

Serviço
Loja Griletto – North Shopping Caruaru
Endereço: Av. Adjar da Silva Casé, 800 - Indianópolis – Caruaru (PE)
Segunda a sábado, das 10h às 22h. Domingo, das 12h às 21h.
Informações: www.griletto.com.br

Promoções Absurdas: Restaurante Canibal?


Opa! Todo cuidado é pouco quando o assunto é o português.

A diferença e clareza de interpretação entre o que escrevemos e o que gostaríamos de ter escrito por vezes é gigante!

Olha só esse exemplo:

Um simples comunicado avisando a partir de qual idade deveria ser cobrado o valor do buffet, parece muito mais um comunicado de que as crianças "fariam parte" do mesmo...rs.

Conhece o "Promoções Absurdas" aqui do blog? Confira mais promoções clicando aqui.

Um grande abraço e boas vendas!

Caio Camargo
Editor
+Falando de Varejo

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Assaí Atacadista abre mais de mil vagas de emprego para todo Brasil

Entre as oportunidades, vagas para profissionais com deficiência

A rede Assaí Atacadista, negócio de atacado do GPA oferece mil vagas, entre elas oportunidades para profissionais com deficiência, para 85 lojas da rede no Brasil. O processo acontecerá no dia 23 de fevereiro, às 9h da manhã. As vagas são para operador de caixa e repositor. É imprescindível facilidade de acesso à loja e disponibilidade de horário.

Os candidatos interessados devem dirigir-se a loja do Assaí mais próxima munidos de carteira profissional, RG e CPF. O Assaí está presente em 13 estados brasileiros (AL, BA, CE, DF, GO, MS, MT, PB, PE, PR, RJ, RN, SP), confira a loja mais proxima no site www.assai.com.br

Confira abaixo as descrições e necessidades dos cargos:

Operador de Loja/ Repositor – Ensino Fundamental Completo. É imprescindível interesse em atuar com reposição de mercadorias.

Operador de Caixa – Ensino Médio Completo ou Cursando. É imprescindível interesse em atuar com atendimento a clientes e frente de caixa.

Top Cau inicia contratação de mais de 1.400 promotores de vendas em todo o país

Empresa estima a produção equivalente a 10,5 milhões de ovos nesta Páscoa. Com 600 vagas temporárias já preenchidas na fábrica, a empresa abre mais de 1.400 oportunidades para promotores. As agências oferecem treinamento para os selecionados que deverão ter no mínimo 18 anos e ensino médico completo ou cursando

Com uma produção estimada de 10,5 milhões de ovos de Páscoa, número 7% maior que a produção da Páscoa anterior, a Top Cau (www.topcau.com.br), empresa voltada para o desenvolvimento, fabricação e a comercialização de produtos de chocolate como tabletes, bombons, mini ovos com brindes e ovos de Páscoa, já contratou 600 funcionários temporários para reforçar o trabalho da fábrica, e agora abre mais de 1.400 vagas para promotores de vendas.

Os interessados devem ter no mínimo 18 anos e ensino médio completo ou cursando. Para se candidatar às vagas, os profissionais devem entrar em contato com as agências responsáveis pela seleção de promotores de cada região. Não é preciso experiência, pois os selecionados terão o treinamento necessário disponibilizados pelas próprias agências.

A agência Nonna (www.grupononna.com.br / (31) 3228-0080) será responsável pelo recrutamento de profissionais de Minas Gerais, Goiás, Espírito Santo, Distrito Federal, Mato Grosso do Sul e Tocantins. Já a GDA.2 Comunicação (www.gdaponto2.com / (11) 2135-6565) ficará com as cidades de São Paulo, litoral, Acre, Mato Grosso e Rondônia.

A agência Start (www.startpromocoes.net / (81) 3092-6393) fará a seleção para a região Nordeste com exceção do estado da Bahia na qual a agência RhPromo (bahia@rhpromo.com.br/ (11) 2763-6950 é que fará a seleção. A agência Energia (energiapromocoes@terra.com.br / (51) 3336-4630) está responsável pelas vagas da região Sul do País. A Promocenter (http://www.promocentereventos.com.br/ (41) 3336-2924) fará a seleção do Paraná e para a região do Rio de Janeiro a agência responsável é o Grupo R. Cunha (www.rcunha.com.br/ (21) 96411-2898).



Sobre a Top Cau (www.topcau.com.br)

Fundada em 1994, a Top Cau é uma empresa voltada para o desenvolvimento, produção e a comercialização de produtos de chocolate como tabletes, bombons, mini ovos com brindes e ovos de Páscoa.


Desde o ano 2000, a empresa passou a investir em licenciamento de personagens e marcas populares entre o público infanto-juvenil e, também, na produção de ovos exclusivos para as redes varejistas, o que deu maior visibilidade à empresa junto ao mercado e ao público em geral.


Em 2011 a empresa recebeu a certificação ISO 22000, a primeira norma internacional direcionada a sistemas de gestão de segurança dos alimentos que assegura controles de riscos em toda a cadeia produtiva e reforça ainda mais a qualidade dos produtos Top Cau.

Shopping Taboão promove Liquida Mania com descontos de até 70%

Mega promoção será realizada de 19 a 22 de fevereiro

O Shopping Taboão entra no clima de liquidação e promove o Liquida Mania entre os dias 19 e 22 de fevereiro. A ação foi um sucesso de vendas nas outras edições e já faz parte do calendário do empreendimento. Com descontos de até 70%, os lojistas esperam esgotar seus estoques de primavera/verão. Para os clientes é uma excelente oportunidade de comprar mais gastando pouco.

Durante os 4 dias de Liquidação, o shopping disponibilizará flyers promocionais nos canais de atendimento e guichê do estacionamento com tickets que valem descontos adicionais em algumas lojas. Segundo a gerente de marketing do Shopping Taboão, Deise Moreira, muitas lojas participam do Liquida Mania e colocam à venda produtos com até 70% de desconto. “Para o lojista é uma oportunidade de dar baixa ao estoque e para o cliente, a chance de comprar produtos bem abaixo do valor de mercado. É uma relação onde todos saem ganhando”, avalia.

Shopping Taboão
Endereço: Rodovia Régis Bittencourt, 2643 – Taboão da Serra
Mais informações pelo site: www.shoppingtaboao.com.br ou pelo telefone (11) 2699-4000.
Estacionamento: R$ 7,50 (carros) e R$ 6,00 (motos) – Sistema de Pagamento Eletrônico “SEM PARAR / VIA FÁCIL/ CONECT CAR”

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

Negócios são feitos entre pessoas, não entre empresas


Uma das grandes lições sobre vendas, senão a maior, que aprendi na vida, é sobre como devemos entender, em praticamente todos os casos e situações, como se dá uma venda.

A maior das lições resume-se à uma única frase: Nenhum negócio é feito entre CNPJs, e sim entre CPFs.

Pense em uma situação: Sua empresa deseja vender seu produto ou serviço para uma empresa do mercado. De fato, é um negócio do tipo B2B, ou seja, “empresa-com-empresa”.

Agora imagine que na reunião de apresentação, deu tudo errado. Imagine que o seu desempenho durante a apresentação não conseguiu motivar a pessoa do outro lado à compra. Por mais que o produto ou serviço até fossem adequados, o que você apresentou (ou deixou de apresentar) não causou o efeito ou o resultado esperado.

Mas e se fosse um amigo ou um grande conhecido dessa pessoa (o comprador) que tivesse apresentado o mesmo produto ou a mesma ideia, e até mesmo com o mesmo desempenho? Você acredita que seria diferente? Você acredita que seria possível uma nova chance ou relevar sobre alguns aspectos que não agradaram na primeira apresentação?

Mesmo num ambiente objetivo e profissional, com certeza a avaliação seria mais “amigável”.

Eu simplesmente acredito que a primeira regra de uma boa venda parte da empatia, parte de realmente mostrar que se importa com a pessoa que está do outro lado, e não a vê somente como uma porta de entrada para novos negócios.

O quanto você realmente se interessa em conhecer e entender seus contatos comerciais? O quanto você consegue realmente se conectar, trabalhar seu networking com todos que o cercam? O quanto você consegue desenvolver novas conversas ou ser agradável (e entenda que agradável e chato são palavras distintas, mas muito próximas) com novas pessoas?

Não se trata de ser arroz de festa, brincalhão, excessivamente simpático ou coisa do gênero. Se tem uma coisa que aprendi, é que principalmente em nosso país, empatia e confiança andam juntas. E ninguém faz negócios com quem não confia.

Também não adianta se abastecer de informações sobre qual time o comprador torce, ou qual a banda de rock favorita dele e coisas do gênero. O excesso de curiosidade hoje não somente não impressiona como soa falso.

Mas sabendo sobre isso, também há uma grande oportunidade, mesmo que tudo tenha dado errado num primeiro momento. Imagine novamente o primeiro caso apresentado. Imagine a situação: Quando você apresentou (e não foi bom), o contato do outro lado (o comprador) era um. Passado algum tempo, você descobre que a pessoa não ocupa mais o cargo e que há uma nova pessoa na empresa. Como negócios são feitos entre pessoas, e não entre empresas, você tenta novamente o contato, e surpresa! Obtém uma nova chance.

Se ainda tiver sorte (e uma boa rede de relacionamentos), e por um acaso o novo comprador for um conhecido ou amigo, suas chances de uma nova visita/chance serão ainda maiores. Então, nada nunca está perdido para sempre quando falamos de negócios!

Eu acredito que a única exceção a essa regra seja quando estivermos falando de leilões eletrônicos, totalmente impessoais, onde se tem restrito ou nenhum contato com o outro lado, tal como manda a regra. Nesse caso, o que manda mesmo é um menor preço, ou a melhor qualidade de seus produtos e serviços, de acordo com a empresa solicitante estiver procurando. Dessa forma também, acredito que mesmo perdendo uma oportunidade, novas oportunidades naturalmente aparecem, desde que a empresa seja qualificada para a disputa do leilão. O processo não depende de pessoas.

Se pensarmos no mundo do varejo, onde lojas possuem vendedores, onde restaurantes possuem garçons, ou em qualquer outro caso onde as marcas possuem intermediários entre seus produtos e seus consumidores, o princípio é o mesmo. Duvida?

Você vai a uma loja, e um vendedor super atencioso lhe vende um novo produto eletrônico. Você comprou, pois gostou do atendimento DAQUELE vendedor. Ele soube lhe convencer (e foi um negócio entre pessoas e não empresas).

Porém, passado algum tempo, você percebe que foi enganado e que o produto de fato é uma porcaria, bem abaixo em qualidade do que lhe foi oferecido por AQUELE vendedor. Não importa o tamanho da empresa que esse vendedor trabalhe, ou o quanto a empresa tenha investido em treinamentos, todo o esforço de ganhar aquele consumidor foi perdido, pois devido ao mau vendedor, talvez ele nunca mais compre na loja. E se bobear, ainda espalha negativamente a notícia.

É por essas e outras que nas grandes empresas há um grande esforço para se padronizar atendimentos. Não somente visando criar uma qualidade exemplar ou única de atendimento, mas para que seja possível oferecer um atendimento que tenha um nível mínimo de qualidade.

Então para ser um bom vendedor, não se esqueça: Seja você, seja único. Defenda aquilo que gosta e acredita. Pense que uma conversa de vendas, tal como deveria ser qualquer conversa, deve ser mais do que tudo, natural. Pense em criar mais do que contatos, criar amigos. Algumas vezes você de fato não terá sucesso, mas terá conhecido um monte de gente bacana e verdadeiramente interessante no seu caminho.

Pense nisso.

Grande abraço e boas vendas

Caio Camargo
Editor
+Falando de Varejo

Brasão Supermercados cria universidade corporativa

Unibrasão fortalece a marca, reduz o turnover e aumenta a produtividade da rede

A rede de supermercados Brasão, com quatro lojas em Santa Catarina, iniciou a implementação da educação corporativa na empresa, em 2013, com o objetivo de tornar a empresa mais inovadora e criar um novo conceito para a marca.

O processo começou com a aplicação de técnicas de coaching voltadas para os líderes da rede e, em seguida, foi criada a Universidade Corporativa do Brasão – Unibrasão.

O diretor da rede, Marcos Antônio Moschetta, afirmou que a iniciativa ganhou importância estratégica para a empresa. “Os princípios tornaram-se claros, os processos foram padronizados e pode-se perceber o crescimento profissional e pessoal dos funcionários”. Para a varejista, um dos resultados dessa implementação foi uma redução média de dois pontos percentuais no turnover.

De acordo com Surama Jurdi, consultora responsável pela implantação da universidade, foram desenvolvidos 80 cursos específicos, pelos quais passaram mais de 600 colaboradores da Brasão. A consultora explica que a rede está na segunda etapa do processo, que consiste em atualizar a comunicação visual da empresa para efetivar a comunicação com o público externo.

O trabalho é realizado com o intuito de fortalecer a marca, reduzir a rotatividade de funcionários e fazer com que as equipes trabalhem mais motivadas e comprometidas, o que aumenta a produtividade e, consequentemente, a lucratividade da empresa.

“As empresas que conseguem definir e transmitir sua proposta de valor, de modo que todos os públicos identifiquem imediatamente a missão da organização, podem se considerar diferenciadas no mercado corporativo”, afirma Surama.

A educação corporativa existe para que as empresas se pautem em valores coerentes com as necessidades da organização, dos funcionários, fornecedores e clientes. De acordo com a consultora, a cultura de serviços de uma organização é importante para estruturar valores e atitudes que devem ser incorporados por todos os colaboradores.

Fonte: Portal Novarejo

Mercadão dos Óculos quer abrir 40 lojas neste ano

Lojas apostam no autoatendimento

Com 28 lojas espalhadas por São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná, Rio Grande do Sul, Mato Grosso, Tocantins, Ceará e Pernambuco, a franquia Mercadão dos Óculos aposta em um conceito diferente de loja para manter o ritmo de crescimento - que foi de 24% em 2013 e 28% em 2014.

Com espaço colorido e sem prateleiras, a marca permite aos consumidores experimentar a armação que desejar, sem precisar de vendedor para tirar o item de caixas de vidros trancadas. A aposta é na classe C, pois oferece produtos cujo valor, segundo a rede, é 60% mais baixo que a média do mercado.

O plano é abrir 40 lojas em 2015 e aumentar o faturamento para R$ 10 milhões, com lojas de rua em uma estratégia de expansão nacional, sem prioridades por região. Para dar suporte ao crescimento, a marca conta com indústria própria que fornece as armações.

Fonte: Portal Novarejo

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

Virtual Gate registra aumento na procura por ferramenta de gestão de fluxo

Crescimento expressivo na busca pela tecnologia mostra preocupação de varejistas em estabelecer estratégias para alavancar vendas

A Virtual Gate, empresa que fornece tecnologia para gestão de fluxo de clientes em lojas de varejo, registrou crescimento de 100% em 2014 se comparado a 2013, na procura pela ferramenta. Ao todo, são 1500 pontos monitorados com 3500 câmeras instaladas.

“Esses dados sinalizam a preocupação do varejista em usar o comportamento do consumidor para estabelecer suas estratégias de vendas”, destaca Caio Camargo, diretor de Relações Institucionais da Virtual Gate. Na opinião de Heloísa Cranchi, diretora geral da Virtual Gate, o lojista já constatou que o momento pede atenção. “O mercado está passando por um período delicado que precisa de soluções inteligentes e rápidas. O varejista já sabe que não dá mais para confiar na intuição e que a tecnologia hoje está ao alcance de todos os portes de negócios”, conclui a executiva.

A previsão da empresa é de que essa procura continue a crescer em 2015, chegando a 2 mil pontos monitorados até o próximo ano.

Sobre a Virtual Gate

Fundada em 2002, a Virtual Gate, fornece soluções para o aumento de faturamento dos varejistas através de tecnologia que permite a gestão do fluxo do consumidor e da taxa de conversão.

A Virtual Gate atende alguma das maiores empresas do País e grandes redes varejistas, além de oferecer soluções de grande valor agregado para médias e pequenas empresas de todo o Brasil, com clientes em todas as regiões.

A Virtual Gate, conta com alguns cases de sucesso em seu portfólio como: C&A, Pernambucanas, Telhanorte, TendTudo, Casa Show, Nike, Livraria Cultura, Saraiva, Lojas Americanas, Farm, Animale, Paquetá, Calvin Klein, Loungerie, L’Occitane, Sephora, entre outros.

Varejo deve crescer 1,7% em 2015

Considerando a trajetória de crescimento do setor em 2014, CNC projeta queda no ritmo

O volume de vendas do varejo deve encerrar 2015 com alta de 1,7%, segundo projeta a CNC (Confederação Nacional do Comércio), com base na trajetória que o setor vem desenhando.
Segundo dados divulgados ontem (11), pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o setor cresceu 2,2% em 2014 - o pior resultado desde 2003, quando o setor avançou 4,3%.

"Apesar do ritmo menos intenso da inflação dos bens comercializáveis, a maior pressão oriunda dos reajustes nos preços administrados e a tendência de encarecimento do crédito ao consumidor ao longo de 2015 impedirão a recuperação das vendas ao longo do ano”, afirmou, em nota, Fabio Bentes, economista da CNC.

Os preços no varejo cresceram menos em 2014 (+6,1%) do que no ano anterior (+7,3%). Alguns segmentos, como o de informática e comunicação, registraram queda nas vendas (-1,7%), apesar da deflação (-2,3%) registrada ao longo do ano passado.

Fonte: Novarejo

Criatividade gera oportunidades para os lojistas durante o carnaval

Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Rio Grande do Sul - FCDL-RS lembra que os lojistas podem gerar receita com ações diferenciadas


O varejo gaúcho pode gerar boas oportunidades de negócios durante o carnaval. As cidades litorâneas aumentam as vendas naturalmente por causa da densidade de turistas que querem aproveitar os dias de folia na praia. Já nas cidades que esvaziam durante os quatro dias de feriado, a criatividade pode fazer a diferença no comércio.

- Uma boa maneira de conquistar clientes durante o carnaval é apostar naquelas pessoas que não gostam ou não costumam comemorar o carnaval. Muitos aproveitam os dias de folga para viajar para o interior e ficar com a família. Assim, os lojistas podem apostar na criatividade de promoções e ações para atrair estas pessoas - afirma o presidente da FCDL-RS, Vitor Augusto Koch.

De acordo com o gerente do Sebrae/RS, Fábio Krieger Lopes Reis, aproveitar os temas atuais e relevantes, como o carnaval, é uma forma de gerar fatos para estar na mídia e na memória do consumidor.

- Dependendo do segmento de atuação, o ambiente da loja pode também comemorar o carnaval com uma ambientação adequada. É muito importante moldar a loja pois esse é um ambiente vivo e moderno. Para muitos casos recomenda-se a mudança da vitrine com periodicidade semanal - destaca Fábio Krieger Lopes Reis.

Antes de implementar qualquer ação, a empresa deve sempre considerar seu foco estratégico para não perder sua essência. A loja deve analisar seu histórico no carnaval para planejar o estoque e a gestão de equipes. Deve neutralizar riscos e ampliar o diferencial competitivo das suas ações, pois carnaval é época de alta para alguns segmentos e regiões e baixa para outras.

O Sebrae/RS alerta que nunca deve-se promover apenas os produtos que não possuem giro, pois esses o consumidor indiretamente já informou que não possui tanto interesse. O ideal é mesclar produtos que estão parados no estoque com as novidades e de muito interesse do consumidor, podendo inclusive criar pacotes promocionais.

Marisa - Lucro Líquido cresce 73% e alcança R$ 44,5 milhões no 4T14


A Marisa Lojas S.A. (BM&FBOVESPA: AMAR3; Bloomberg: AMAR3 BZ), maior varejista de moda feminina e íntima do Brasil com foco na Classe C, anuncia os resultados do 4º trimestre de 2014 (4T14).

Destaques do período:

  • EBITDA aumenta 56,0%;
  • Margem Bruta de Varejo cresce 2,7 pp, para 49,0%;
  • Despesas SG&A de varejo foram reduzidas em 1,5% e representaram 39,3% da ROL de Varejo;
  • Operação de Serviços Financeiros novamente com sólidos resultados;
  • Abertura de 3 novas lojas.

Maior evento de franchising mundial recebe delegação brasileira

Os executivos terão a oportunidade de conhecer como o negócio, que se tornou uma das grandes novidades da fotografia, foi estruturado, além de ver de perto um case bem sucedido de internacionalização de uma marca brasileira e saber mais sobre a expansão sólida e consistente da Nothing Bundt Cakes

Inovação constante, estratégia e relacionamento são algumas das características que um negócio precisa ter para crescer de forma segura e consistente. Pensando nisso, o Grupo BITTENCOURT organiza pelo quarto ano consecutivo, uma delegação para participar da 55.ª edição da Convenção Anual da International Franchise Association (IFA), maior evento do franchising mundial, que acontecerá entre os dias 15 e 20 de fevereiro de 2014, em Las Vegas, Nevada (EUA). Já estão confirmados executivos do Rei do Mate, Pandora, Chopp Germânia, Sebrae, Itatiaia, PEGN, Brain Box, Fast Gerenciadora, Sushi Taw, entre outros.

Este ano, além dos executivos do Grupo BITTENCOURT, Lyana e Claudia Bittencourt, e de Marcos Gouvêa de Souza, da Gouvêa de Souza, também fará parte da delegação, Marcos Hirai, da BG&H. Hirai é um dos principais executivos, quando o assunto é imóveis comerciais para o varejo, e partilhará de sua expertise para a análise e discussão das tendências e novidades do mercado de real estate americano.

Visitas técnicas

Um dos pontos altos do evento são as visitas técnicas organizadas pelo Grupo. A primeira delas é o Polaroid Fotobar, que está no mercado desde 2012, e possui cerca de dez operações nos EUA. A visita será realizada na flagship de Las Vegas onde também está localizado o museu da marca. Os fotobares permitem que as pessoas tenham uma grande experiência em fotografia digital transformando-as em produtos inovadores e memoráveis.

A visita será conduzida por Jennifer Lier, diretora de eventos da Polaroid, que irá discorrer sobre temas como plano de expansão, avaliação sobre o sistema de franquias, o modelo de negócios, além do conceito que está sendo multiplicado em suas operações.

Também no período de visitas técnicas, o grupo será conduzido para a loja recém-inaugurada da Chilli Beans, em Las Vegas, e será recebido por Gustavo Bernhoeft, COO da marca, que no Brasil conta com mais de 500 lojas e já está presente nos EUA e em países como Portugal, Colômbia, Peru, Emirados Árabes e Israel. O grupo vai conhecer de perto o processo de internacionalização da Chilli Beans, a seleção dos países para expansão, o processo de identificação do perfil dos consumidores e da aceitação do produto, estratégia e modelo de expansão internacional utilizado, entre outros assuntos.

A delegação do grupo BITTENCOURT ainda será recebida pelas fundadoras da Nothing Bundt Cakes, Dena Tripp e Debbie Shwetz. A marca é uma franquia de produto único - os bolos chamados "bundt" - ou seja, bolos com toque caseiro e sem recheio. Diferente das franquias de produto único que no Brasil muitas vezes surgem como onda passageira (casos como frozen yogurt, cupackes etc) a Nothing Bundt Cakes existe desde 1997 e possui mais de 90 unidades franqueadas, com uma expansão sólida e consistente.

De acordo com a diretora de marketing e desenvolvimento do Grupo BITTENCOURT, Lyana Bittencourt, trata-se de uma seleção interessante de visitas técnicas. “Essas são as primeiras visitas técnicas confirmadas – são conceitos inovadores e em franca expansão que reinventaram seus mercados. E a ideia é surpreender a todos pela exclusividade e diferenciação dos negócios visitados!”, comenta.

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

Blitz: Em clima de carnaval...


Já que estamos em clima de carnaval, olha que interessante essa sacada dessa marca de salgadinhos.

Um display simulando um "trio elétrico", incentivam os foliões à pega do produto.

Ideia muito interessante.

Um grande abraço e boas vendas,

Caio Camargo
Editor
+Falando de Varejo