quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

10000 visitantes ! Muito obrigado !


Hoje estamos atingindo a marca de 10000 visitantes !
Para um blog com um assunto tão específico, fico lisonjeado de ter alcançado essa marca em tão pouco tempo.
No ar há pouco mais de seis meses (desde 13/07/08), eu gostaria de agradecer a todos os leitores que sempre visitam o blog, enviam suas perguntas e ajudam a criar um blog cada vez melhor.

Continuem a enviar suas dúvidas, esse blog é um espaço seu.
Visitem ! Divulguem a todos !

Um grande abraço e boas vendas

Caio Camargo
FALANDO DE VAREJO
http://falandodevarejo.blogspot.com

Outros Blogs: Papo de Empreendedor - Pequenas Empresas &Grandes Negócios

Olá a todos !

Quase sempre tenho recebido e-mails de futuros varejistas que ainda buscam nortear suas idéias antes de iniciar um novo negócio.

Alguns precisam de dicas de franquias, de administração, ou apenas de uma força para elevar seu espírito empreendedor.

Para todos esses, e para todos que estão interessados em assuntos relacionados ao empreendedorismo, recomendo o "Papo de Empreendedor", blog da equipe da revista "Pequenas Empresas & Grandes Negócios".

Com assuntos que vão de destaques sobre empreendedorismo, à inovações e franquias, o blog é excelente não somente para aqueles que estão iniciando no varejo, mas também para aqueles que desejam permanecer atualizados sobre tudo o que acontece.

Visitem !

PAPO DE EMPREEDEDOR
http://www.papodeempreendedor.com.br/

Um grande abraço e boas vendas

Caio Camargo
FALANDO DE VAREJO
http://falandodevarejo.blogspot.com/

segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

Entrevista: Flávio Soares

Olá a todos !

Eu tenho recebido algumas perguntas referentes à como vender melhor nessa crise, e quais seriam os novos desafios desse ano.

Para responder melhor à essas perguntas, o FALANDO DE VAREJO hoje entrevista Flávio Soares, da ALTA PERFORMANCE, empresa voltada à soluções em vendas.

FALANDO DE VAREJO (FV): Apesar dessa crise ainda não ter sido detectada em muitos setores do varejo, existe um temor geral dos consumidores e dos vendedores sobre os efeitos que essa crise ainda poderia trazer para o varejo. Qual a palavra chave para motivar uma equipe em uma época de incertezas ?

Flávio Soares:
Caio, acredito que em momentos de crise se diferenciam os verdadeiros profissionais de vendas daqueles que estão na profissão sem muita motivação e identificação, apenas quebrando um galho e tirando pedidos. Existe uma diferença muito grande entre vender e tirar pedido... Quando cai a demanda imediatamente cai o fluxo no varejo... Com fluxo baixo é preciso aumentar a conversão, isso é , aproveitar cada cliente que entra na loja... Tem vendedor que só vende promoção... que só vende o mais barato... que não constroe sua carteira de clientes... qua não possui compreensão e conhecimento de técnicas de vendas. Para esse tipo de vendedor a crise será um grande perigo... ou talvez aoportunidade de rever o proparo profissional. A palavra chave para tempos de crise deve ser "conversão", aproveitamento maximo das aportunidades e de cada cliente que entra na loja e isso tem relação direta com a qualidade de atendimento.

FV: Como teoria, sempre é dito que o bom vendedor é aquele que atende bem, criando simpatia com o vendedor, entretanto, como resultado de vendas, normalmente são aqueles que não se preocupam com o atendimento, e sim, com a quantidade de pessoas que está sendo atendida, é que costuma apresentar os melhores resultados. Na sua opinião, qual o modelo de atendimento ideal ?

Flávio Soares:
Sim Caio, obviamente o vendedor que aborda mais clientes vende mais mesmo... a abordagem é a condição básica da venda... Prá vender tem que abordar.
O Problema é o vendedor que só vai na quantidade... que depende apenas do fluxo e da loja cheia... A abordagem é apenas uma das etapas que o profissional de vendas sabe fazer com qualidade, tem ainda que pesquisar o cliente, oferecer uma demonstração envolvente, contornar as objeções , negociar, fechar a venda e principalmente fidelizar o cliente, montar uma carteira.
O vendedor que depende da quantidade acaba prejudicando o negócio... pois se atender errado vai jogar muitos clientes pra fora da loja e prá concorrência... ele dá prejuizo em dobro, tirando a oportunidade de um melhor vendedor, que tenha mais tecnica, atender o cliente.
Na prática... no dia a dia das lojas existe por parte de um grande número de vendedores a dificuldade até para abordar o cliente .. ai aquele que apenas aborda é confundido com campeão de vendas.

FV: O que significa um bom atendimento em sua visão ?

Flávio Soares:
Começa com sorriso no rosto, motivação, alegria e vontade infinita de realizar o negócio. Tem "gente que não gosta de gente", não tem o perfil voltado ao contato e a comunicação... Ai vendas não é a profissão mais adequada.
Agora, dentro do perfil adequado é necessário muita técnica de vendas, método de trabalho, conhecimento do produto e treinamento contínuo.
É importante mesmo a gente sair da subjetividade da definição "bom atendimento"
Vender não tem nada a ver com sorte, fluxo, ter o melhor produto, o melhor preço... estar no melhor ponto!
Se uma empresa tivesse tudo isso não precisaria de vendedor... o produto venderia sozinho.
Bom atendimento significa criar relacionamento.... vender várias vezes para o mesmo cliente... estamos na era dos relacionamentos, da globalização, do network.
Técnica de vendas aliada a um perfil voltado a comunicação mais uma vontade imensa de ganhar dinheiro controem um vendedor que possui um "bom atendimento"

FV: Na sua opinião, qual o melhor tipo de remuneração para um grupo de vendas: fixo ou comissionado ?

Flávio Soares:
Caio, quanto a esse ponto sou bastante radical... No meu entendimento sem comissão não existe a possibilidade da existência da profissão do vendedor... sem comissão o vendedor vira atendente... perde a motivação...encosta.
Vendedor tem que ganhar por comissão e ainda ser muito bem comissionado é uma profissão especial.
Já prestei consultoria para empresas que não gostavam de remunerar bem o vendedor... Todo mundo ganhava bem menos ele... Sem vendedor não há negócios... sem negócios não a dinheiro e sem dinheiro não há empresa. Remunerar mal o vendedor é um erro estratégico infelismente ainda muito praticado hoje em dia.

FV: Conte um pouco sobre o processo de avaliação da Alta Perfomance.

Flávio Soares: A Alta Performance começa seu trabalho de consultoria que é totalmente voltado para resultados práticos e financeiros, realizando uma série de avaliações no formato de cliente oculto.
Visitamos todas as lojas da empresa-cliente onde um consultor especializado se passa por cliente, gravando todos os atendimentos que foram oferecidos a ele. (Essa gravação é em formato de DVD com som e imagem).
Um relatório minuncioso é elaborado a partir da realiação do cliente oculto.
Esse relatório é apresentado e discutido com a diretoria da empresa-cliente com o objetivo de identificar oportunidades de negócios e vendas que estão sendo disperdiçadas no dia a dia pelas equipes de vendas.
Após isso iniciam-se conforme cronograma as ações corretivas e de treinamento contínuo das equipes.
Os resultados numéricos e financeiros são acompanhados pois são eles que vão evidenciar a melhora ou não do atendimento.
Novos clientes ocultos são também realizados e é implantado um plano de incentivo e motivação voltado a qualidade do atendimento.
Melhorar os resultados de vendas em 20% não tem sido mais surpresa em em nossos trabalhos, pois muitas oportunidades reais de negócios são disperdiçadas no dia a dia do varejo em virtude da falta de qualidade e preparo das equipes de vendas.

Flávio Soares é psicologo, pós graduado em planejamento estratégico e qualidade total.
Sócio consultor da Alta Performance - Soluções em vendas - Consultoria especializada na implantação de programas de desenvolvimento contínuo de equipes de vendas.

Dúvidas de leitores: Montando uma loja de artigos de luxo.

Dúvidas de leitores: Montando uma loja de artigos de luxo.
Pergunta enviada por Aline Diorio

Olá Caio
Estava dando uma olhada em seu blog e me interessei bastante. Aproveito para pedir opinião sobre empreendimento.
Estou com um plano de negócios em fase final, quero montar uma loja de roupas femininas e masculinas, contando ainda com bijus e sapatos femininos. Quero atingir o público de classe alta e consequentemente em um ponto de fácil acesso a essas pessoas. Porém, estou um pouco insegura de colocar em prática esse sonho, devido a crise, mesmo sabendo que ela afetou apenas a classe média. Quero uma opinião sobre a implementação do meu sonho ou não.

Obrigada!

Aline Diorio

Olá Aline. Bem vinda ao blog !

Primeiramente parabéns por estar pensando em abrir um novo negócio. Antes de mais nada, lhe desejo muito sucesso nessa nova empreitada.
Bom, acho um pouco complicado eu opinar sobre se você deve ou não seguir seu sonho.
Sonhos são questão individuais, e na verdade o que importa muitas vezes, não é seu sonho em si, mas a motivação que esse sonho lhe traz, o qual essa é uma resposta que apenas você tem.

Acredito que a base do sucesso de um novo negócio muitas vezes não está no negócio em si, mas sim na motivação e no espírito empreendedor que te move.
Quantas vezes já não vimos pontos e negócios micados, que sob uma nova direção, não se tornam empresas de sucesso ?
Quantas vezes já não vimos pontos e negócios de sucesso, que sob nova direção, se tornam micados ?

Eu acredito que o primeiro passo, é uma boa preparação. Independente do negócio que você pretende abrir, acredito que uma boa dica é procurar a unidade do Sebrae mais próxima de você e buscar um curso chamado EMPRETEC. Existem diversos cursos de empreendedorismos, alguns até voltados para negócios específicos, como os de hotéis ou pousadas. Entretanto, sempre escuto boas recomendações sobre esse curso. Penso até mesmo em fazê-lo algum dia, à título de curiosidade e conhecimento.
Conversando com o pessoal do Sebrae, caso não deseje fazer um curso como este, garanto que eles terão excelentes dicas para você !

Sobre o momento atual, se esse seria um bom momento ou não para abrir uma loja, eu acredito que sim.Independente de qualquer crise, será sua capacidade de chamar a atenção e de atrair os clientes é que realmente conta.
Uma boa campanha, um bom atendimento para com esses novos clientes é que lhe trará o sucesso desejado.

Estar no local certo (“um ponto de fácil acesso a essas pessoas”) também é uma boa sacada. Se quiser se voltar para a classe alta, pode tentar estar onde todos seus concorrentes estão, entretanto, para esse público, muitas vezes focado em exclusividade, estar em locais estratégicos, ainda não explorados comercialmente, funcionando mais como um “achado” para esse tipo de público, também pode ser um grande atrativo. Entretanto, o seu esforço em bom atendimento e em fidelizar sua clientela será maior, afinal, será a boa divulgação boca-a-boca (marketing viral) que lhe trará sucesso.

A crise atingiu em cheio as compras à prazo, principalmente às ligadas à imóveis e automóveis. As compras que não precisam de parcelamento maior do que três ou quatro vezes, ainda não sentiram tanto os efeitos dessa crise.


Espero ter lhe ajudado

Um grande abraço e boas vendas !
Caio Camargo
FALANDO DE VAREJO
http://falandodevarejo.blogspot.com

sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

Novidade: Participe de nossa comunidade no Orkut

Você já visitou nossa comunidade no Orkut ?
Estou disponibilizando um link permante na barra lateral do blog.

Se você é membro do Orkut, faça parte de nossa comunidade e troque informações com profissionais e interessados em merchandising, varejo, e marketing de varejo.

Para participar da comunidade, clique aqui, ou na figura.
Um grande abraço e boas vendas

Caio Camargo
FALANDO DE VAREJO
http://falandodevarejo.blogspot.com/

quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

Entendendo a crise: Copom abaixa a taxa Selic

Tivemos uma redução praticamente histórica, quando o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central decidiu na noite desta quarta-feira reduzir sua taxa básica de juros, a Selic, em 1 ponto percentual, passando de 13,75% ao ano para 12,75%.

Centrais sindicais e entidades como a Fiesp, reclamam que a redução nao foi suficiente para o que se fazia necessário, ao mesmo tempo que autoridades como o próprio Ministro da Fazenda elogiam a sensatez do COPOM.

Essa é a primeira redução desde Julho/2008, e os indices de inflação abaixo da média, assim como a necessidade de se reaquecer a economia fizeram com que o COPOM cedesse à essa redução.

Isso me faz pensar em algumas hipoteses e teorias:

Entidades defendem que o Brasil precisa de uma taxa de juros muito abaixo dos 10%, provavelmente na casa de 8 ou 9%.

Obviamente, mesmo que o COPOM entenda que o melhor para o Brasil seja uma taxa nesses níveis, nenhuma redução pode ser tão brusca.

Uma redução muito brusca, levaria à um impacto muito forte para nossa economia, que apesar de todo o cenário, parece estar em situação confortável e controlada. Mesmo com todo esse cenário de desemprego, 2008 fechou o ano com o menor índice de desemprego em 6 anos.

Uma redução muito brusca, levaria à uma corrida às compras, à uma escassez na oferta de produtos, e por consequência, alta nos preços e inflação.

Mesmo que nao houvesse uma escassez de produtos, teríamos um cenário irreal de oferta e demanda, parecida com a que desencadeou todo o começo dessa crise.

Dessa forma, temos que comemorar que pela primeira vez em muito tempo, a montanha-russa dos juros parece estar iniciando uma rota de descida. Já subimos muito, espero que a descida seja suficiente.

Ao que parece, bons ventos estão em nosso caminho. Que venha a bonanza.

Um grande abraço e boas vendas !


Caio Camargo
FALANDO DE VAREJO
http://falandodevarejo.blogspot.com

quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

Dúvidas de leitores: Loja de comunicação visual

Dúvidas de leitores: Loja de comunicação visual
Pergunta enviada por Erika Nunes

Oi, estou pensando em abrir uma loja de comunicação visual e gostaria de saber quais os equipamentos que preciso,máquinas e tudo mais q vc possa me informar.
Desde ja agradeço.


Erika Nunes


Olá Erika.
Bem vinda ao blog.

Bom, na verdade, como eu sempre digo, ao montar uma loja, nao há uma regra exata sobre equipamentos, máquinas, etc. Tudo vai depender de qual o tipo de cliente que voce quer atingir, e isso é crucial para definir o mix que você vai oferecer.
Entretanto, sua pergunta remete à duas possibilidades:

1.) Se voce estiver falando de uma loja de suprimentos, eu aconselho você a visitar algumas boas lojas do ramo antes de optar por vender alguns materiais. Talvez uma visita à uma loja dessas lhe ajude em alguma decisão. Aqui em São Paulo, duas boas lojas são a Vick (http://www.vick.com.br/) e a Day Brasil (http://www.daybrasil.com.br/)

2.) Se você estiver falando de uma empresa que executa serviços de comunicação visual, como banners, adesivos e mais produtos de sinalização, eu acredito que o primeiro equipamento que você deve ter em mente deve ser uma plotter de recorte, para o corte de adesivos em vinil.
Quanto maior a "boca" dessa impressora, que pode ser de 0,80m/1,20m, para um começo de trabalhos, melhor para sua empresa. Entretanto, quanto maior a boca, para melhor aproveitamento, mais largos deverão ser as bobinas de adesivos. Se voce pensa em adquirir apenas bobinas pequenas, nao tem porque, num primeiro momento, possuir uma maquina de boa maior.
Outro equipamento em questão pode ser uma boa plotter de impressão, principalmente para a confecção de banners e outros materiais. Normalmente, esses equipamentos são bem mais caros dos que as plotters de recorte. Num primeiro momento, você pode tentar terceirizar sua impressão com outra empresa.
Obviamente, para gerir arquivos nessas duas máquinas é necessário um bom computador.
O que nao significa que voce precise de uma super maquina, a nao ser no caso de trabalhar com arquivos de imagens muito pesados. A maquina ideal deve ter potência suficiente para rodar e trabalhar arquivos em programas como Corel Draw e Photoshop.
Além do programa que voce precisará para sua plotter de recorte (cada empresa tem seu software compatível), acredito que esses dois programas (Corel e Photoshop) são suficientes para a grande maioria dos trabalhos que você realizará.
Se houver espaço, voce deve reservar uma área de sua empresa para a confecção e montagem de placas e banners. Nessa sala é necessário uma boa mesa. Quanto maior esta, melhor para a confecção de seus trabalhos.
Essa mesa será usada para cortar placas, adesivar, e até mesmo embalar as mesmas.

Espero ter lhe ajudado.
Um grande abraço e boas vendas

Caio Camargo
FALANDO DE VAREJO
http://falandodevarejo.blogspot.com/

terça-feira, 20 de janeiro de 2009

Varejo prevê demitir menos do que a média nacional

Varejo prevê demitir menos do que a média nacional
Apesar da inevitável perda de ritmo no crescimento com a crise, o comércio varejista deverá registrar desaceleração mais branda do que os demais setores em 2009, inclusive no mercado de trabalho, avaliam especialistas. A justificativa é que os segmentos que dependem da renda, como super e hipermercados, devem manter o desempenho positivo.
O comércio tem a maior fatia de participação (19%) no total de ocupados nas seis principais regiões metropolitanas do país, segundo a Pesquisa Mensal de Emprego do IBGE.
Segundo os dados divulgados pelo Caged, o setor foi o que registrou menor redução no número de vagas (15.092) em dezembro, enquanto a indústria, por exemplo, desempregou 270 mil trabalhadores.
O chefe do departamento de economia da Confederação Nacional do Comércio (CNC), Carlos Thadeu de Freitas, avalia que não haverá demissões significativas no setor pelo menos até março, quando a atual queima de estoques terá fim e ficará mais claro o cenário para o varejo em 2009.
Já Christian Travassos, economista da Fecomércio-RJ, prevê que haverá diferenças regionais importantes nos efeitos da crise no setor, inclusive no emprego.


Fonte: Monitor Mercantil

Um grande abraço e boas vendas
Caio Camargo
FALANDO DE VAREJO
http://falandodevarejo.blogspot.com

Matérias: Seu estabelecimento de cara nova



Matéria publicada na última edição revista ALIADOS VIP´S da FEMSA/COCA-COLA, distribuída aos pontos de venda.
Crédito: Alexandre Feliciano

Confira o que avaliar na hora realizar obras e reformas

Promover melhorias que contribuem para aumentar a capacidade de atendimento ou acomodação dos clientes são sempre tarefas que devem ser bem planejadas.
A primeira grande dúvida que surge em uma obra é: fechar durante a reforma, ou manter o local aberto e contar com pequenos transtornos no dia-a-dia para que o faturamento da empresa não seja tão prejudicado?
É claro que isso depende do impacto da mudança, mas há prós e contras em ambas as opções. Segundo o arquiteto Caio Camargo, “a obra ganha agilidade com o local fechado, mas certas atividades, como reformas de piso e pinturas, por exemplo, podem ser realizadas por etapas, nos finais de semana, ou quando o estabelecimento estiver fechado. O importante é tornar as mudanças bem evidentes”. Também vale ressaltar que o conjunto da obra é o que chama a atenção do cliente e desperta o desejo de compra ou consumo. “Reformas na fachada destacam o local e atraem novos clientes. Por isso, o interior também deve oferecer atrativos para que novos clientes concretizem compras e para que os antigos aumentem o consumo. O ideal é trabalhar as duas coisas”, complementa o arquiteto.

Outros aspectos que você deve avaliar:


Cores
Cores brancas e claras são básicas e representam higiene. Mas é preciso mesclar com outros tons. Se o estabelecimento funciona durante o dia e tem alta rotatividade, o ideal é acrescentar cores como o vermelho, que aguça os sentidos, como a fome, e o amarelo, que contribui para diminuir a permanência dos clientes no local. Já estabelecimentos noturnos necessitam criar um ambiente aconchegante, que convide os clientes a passarem mais tempo consumindo. Neste caso, utilize cores como vermelho escuro, verde escuro e tons amadeirados.

Materiais
Pisos e revestimentos de cerâmica são mais práticos e fáceis de limpar, sendo indicados para estabelecimentos que possuem grande fluxo de clientes, como bares e restaurantes que servem almoço. Já estabelecimentos noturnos e mais requintados, que necessitam de um ambiente com decoração mais trabalhada e tem menos rotatividade de clientes podem utilizar assoalhos e revestimentos de madeira, além de porcelanatos ou materiais mais nobres e delicados.

Iluminação
Estabelecimentos que atendem principalmente durante o dia devem ter iluminação clara e fria para evidenciar os produtos e dar amplitude, fazendo com que o local pareça maior. Já estabelecimentos noturnos precisam de iluminação amena para criar um clima de conforto e aconchego, que faça as pessoas sentirem-se à vontade, como se estivesse em casa e estenderem sua permanência, consumindo mais.





Um grande abraço e boas vendas
Caio Camargo
FALANDO DE VAREJO
@falandodevarejo
http://www.falandodevarejo.com.br/

segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

Entrevista: Caio Camargo - A importância do design

Essa é uma entrevista minha que saiu publicada no site da Itambé Empresarial, o qual eu acho que ficou com conteúdo bem interessante, por isso, estou re-publicando ela aqui no blog.

A importância do design
O design como fator de diferenciação de mercado e construção da marca

Para esclarecer alguns pontos sobre a importância do design fizemos uma entrevista com Caio Camargo*.


IE - Qual a influência do design do produto?

Caio Camargo - O design do produto dentro do ponto de venda pode influenciar a visibilidade e dar destaque dentre os concorrentes da mesma categoria. Neste caso, um bom design de embalagem pode ser crucial para as vendas. Uma embalagem que crie forte identidade e grande destaque dentro da gôndola pode ser a isca essencial para impulsionar o consumidor.Caso o produto seja revolucionário, e não evolucionário, ele só terá sucesso no ponto de venda se, de alguma maneira, conseguir educar o consumidor sobre suas vantagens e benefícios, frente aos produtos que ele conhece.

IE - Qual a importância do design para as empresas?

Caio Camargo - O design hoje não é utilizado somente em produtos voltados ao segmento de luxo, mas já está consolidado e permeado entre os de uso comum. Ele pode funcionar como fator de diferenciação de mercado e, atualmente, é considerado essencial para construção da marca. Existem empresas e produtos que são facilmente reconhecidos pelo design de produto que oferecem.

IE - Qual a importância do designer na gestão?

Caio Camargo - Um bom designer é essencial para a concepção (desenho) do produto, a criação do conceito, o porquê do produto possuir determinada forma, determinado material, determinada cor.Mais do que formas inusitadas, o designer viabiliza, para a empresa, a criação de produtos adequados às necessidades do mercado, com elaboração refinada.

IE - Qual é o risco de se fazer um produto, ou uma peça, sem um bom design?

Caio Camargo - Design é diferencial de mercado, e deve ser sempre levado em consideração. Produtos bem desenhados caem na moda, ganham simpatia do consumidor, e podem virar mania de mercado.Produtos com qualidade sempre terão lugar no mercado, entretanto, sempre há o risco de aparecer um produto “mais bonitinho” ao consumidor. Existem casos em que apenas o design diferenciado já ganha dos concorrentes, mesmo que eles tenham outros atributos melhores.

IE - Como a empresa pode usar (ou utilizar) bem um design? (de forma estratégica)

Caio Camargo - Adequando a forma às necessidades de seus clientes ou consumidores. Design sem necessidade é peça de decoração. O design não cria necessidades, mas pode se alimentar delas para oferecer bons produtos.

IE – O design garante a sobrevivência de um produto?

Caio Camargo - O que garante a sobrevivência do produto é a constante comunicação com seu público final, seja ele cliente ou consumidor, de modo a estar sempre atendendo às suas necessidades. Quando se torna obsoleto, não existe design que crie sobrevida.

Referência: Créditos: Caroline Veiga

sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

Varejo brasileiro cresce 5,1% em novembro

Varejo brasileiro cresce 5,1% em novembro
Matéria publicada no site da Gouvêa de Souza (GSMD)

As vendas no varejo brasileiro tiveram em novembro um crescimento de 5,1% em relação ao mesmo mês de 2007, de acordo com números divulgados nesta manhã pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O resultado, embora ainda positivo, ficou bem abaixo dos 9,8% de expansão registrados em outubro, também na comparação anual. Com isso, o varejo acumula no ano uma expansão de 9,8%, mesmo índice de crescimento em 12 meses.O desempenho em novembro foi prejudicado pela crise financeira global. As vendas de móveis e eletroeletrônicos cresceram apenas 4,5% na comparação anual, contra 15,7% em outubro. O setor de equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação (que inclui computadores e telefones celulares) apresentou uma expansão de 20,8% no mês, menos da metade dos 42,8% de outubro. Em “Outros artigos de uso pessoal e doméstico”, que agrega uma série de categorias consideradas supérfluas, a alta foi de 6,5%, também um forte desaquecimento em relação aos 12,1% de outubro.No comércio varejista ampliado, que inclui veículos e materiais de construção, as vendas recuaram 4,1% em novembro na comparação anual e 3,4% sobre outubro. Esses números confirmam o desaquecimento do mercado de crédito em função do cenário financeiro mundial, já que em outubro as vendas haviam caído 8,3% mês a mês, embora crescido 4,1% ano a ano. O desempenho foi derrubado pelos automóveis, que tiveram vendas 20,3% menores em novembro na comparação anual (contra -7,4% em outubro) e 7% inferiores em relação a outubro (acompanhando a queda de 18,6% de outubro sobre setembro). Em materiais de construção, a falta de crédito também derrubou as vendas: queda de 6,2% ano a ano e de 1,4% na comparação mensal.Uma nota positiva veio de “Super, hipermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo”, que registrou seu primeiro desempenho acima da média do varejo desde janeiro de 2007, com uma expansão de 6% em relação a novembro de 2007 e de 0,7% sobre outubro de 2008. No ano, porém, o setor acumula uma alta de 5,7%, inferior aos 9,8% do varejo total.

Um grande abraço e boas vendas
Caio Camargo
FALANDO DE VAREJO
http://falandodevarejo.blogspot.com

quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

Setor de material de construção cresce 9,5% no ano

Setor de material de construção cresce 9,5% no ano
Matéria publicada no site da Gouvêa de Souza

O setor de materiais de construção aumentou suas vendas em 9,5% no ano passado, de acordo com a Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção (Anamaco). O faturamento do setor em 2008 foi de R$ 43,23 bilhões. Para 2009, a entidade está otimista e projeta uma expansão de 8,5%, já que o número de obras lançadas e vendidas no ano passado, cujos contratos têm de ser cumpridos, irá gerar a necessidade de consumo de material de construção. Segundo a Anamaco, somente o término das novas obras lançadas pelas construtoras trará um crescimento de 4% nas vendas.

Ontem foi lançada uma nova linha de crédito pelo governo, e espera-se que os juros dessas linhas abaixem ainda mais para as camadas mais populares, de modo a reaquecer o mercado.
A tendência, principalmente se contarmos que 85% do mercado é formado por pequenos varejistas, que atendem as classes mais populares, é de um mercado ainda mais fortalecido, na rota contrária do que vem acontecendo com o segmento de automóveis, por exemplo.

Um grande abraço e boas vendas

Caio Camargo
FALANDO DE VAREJO
http://falandodevarejo.blogspot.com/

segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

Magazine Luiza freará expansão em 2009

O desempenho nas vendas de fim de ano aquém do esperado, a crise de crédito e a perspectiva de um primeiro semestre difícil podem ter sido os motivos que levaram o Magazine Luiza, terceira maior varejista de eletrônicos e móveis do país, a rever os planos de expansão para a Grande São Paulo em 2009. A meta era abrir mais 50 lojas na região e chegar a 100 pontos de venda, mas a empresa vai rever esse plano. A empresa aguarda o desempenho de janeiro para definir o tamanho do ajuste. A expectativa era que neste semestre as vendas crescessem cerca de 10%, já um recuo em relação ao ritmo de 15% registrado até outubro, mas agora a rede projeta crescer apenas no ritmo da inflação.
Fonte: DCI


Olá a todos !

Eu fico me perguntando onde estamos no meio dessa crise...
Muitos dizem que estamos ainda no olho do furacão, aquele momento em que tudo parece calmo, mas se trata apenas de um pequeno momento antes que tudo vire um furacão novamente.
Outros dizem que essa crise passa longe, e que já estamos rumando à bonanza novamente.

Uma coisa todos concordam: Março é o mês decisivo, para o bem ou mal de nossos rumos.
Alguns dizem que é em Março que a crise chegará com força no país, outros dizem que esse será o mês da virada.

As notícias de demissões tem aumentado dia após dia. Apesar de termos passado por um Natal acima das expectativas, o reflexo desse desemprego crescente e da dificuldade de crédito, só aparecerá nos próximos meses.

Infelizmente algumas empresas estao demitindo antes mesmo que o efeito chegue. Algumas empresas já se armaram para um verdadeiro furacão antes mesmo de soprar uma leve brisa.

Temos um tipo de consumidor que está ávido por comprar, resultado de uma economia que ainda se mantém aquecida. Muitos estao tendo oportunidade de adquirir seus bens de consumo desejados somente nesse momento.

É como dizia a propaganda do governo pouco antes do Natal: Comprando, você investe no Brasil.

Maiores vendas, é um varejo mais forte, que precisa de mais produtos, o que traz empresas melhores, mais funcionários empregados, mais dinheiro na praça e por consequencia, mais vendas, formando um circulo benéfico ao país.

Infelizmente algumas empresas buscam ao invés de fortalecer o mercado, se fechar em uma concha própria, e buscar maximizar seu lucro, muitas vezes demitindo.

O jeito é esperar para ver.
Se temos um país que tem por tradição "funcionar" apenas depois do Carnaval, é a partir dessa data que saberemos o real impacto de toda essa situação.

Um grande abraço e boas vendas
Caio Camargo
FALANDO DE VAREJO
http://falandodevarejo.blogspot.com/

segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

Duvidas de leitores: Loja para produtos para festas

Duvidas de leitores: Loja para produtos para festas
Pergunta enviada por Flaviana Morais

estou pensando em montar meu negocio , e decidi por produtos de festas , preciso de fornecedores , dicas , novidades etc...

Olá Flaviana !

Que bom que esta montando um negócio próprio.

Eu acredito que lhe propor fornecedores é um assunto delicado.
A negociação tem que ser sempre a que lhe for mais favorável, portanto, quais fornecedores e quais produtos que voce irá dispor em sua loja pede um pouco mais de atenção e cautela.

Entretanto, vale a máxima: Dentro de um bom mix de produtos, sempre aconselho trabalhar com pelo menos tres marcas: a marca lider de mercado, uma marca com foco somente em preço e uma marca que traga um bom custo x benefício, ou seja, de preço mediano.
Nao se assuste se a de preço mediano acabar por vender até mesmo mais do que a marca líder. Esse é um resultado comum, que ocorre em muitos casos.

Sobre dicas, lhe dou a melhor de todas: Para que um negocio tenha sucesso hoje, é necessário ser bom em pelo menos alguma coisa, seja ela qual for: Se voce nao consegue ser o unico em sua cidade ou regiao, busque um bom produto, ou em ultimo caso, busque ter o melhor preço da região. A questão é: BUSQUE UM DIFERENCIAL de mercado. Quanto melhor e unico for esse diferencial, maior sera sua probabilidade de sucesso. Pode ser um serviço que somente sua loja ofereça, por exemplo.


Espero ter lhe ajudado.

Um grande abraço e boas vendas !
Caio Camargo
FALANDO DE VAREJO
http://falandodevarejo.blogspot.com

Duvidas de leitores: É uma boa sacada abrir um varejo de construção ?

Duvidas de leitores: É uma boa sacada abrir um varejo de construção ?
Pergunta enviada por Michel Sarmento de Belém-PA

Olá, Caio,tenho 26 anos, sou formado em engenharia da computação e sou louco por empreendorismo, estou estudando o mercado de Belém-Pa e vejo que abrir uma loja de materiais de construção será uma boa sacada, estou aki pois gostaria de uma informações sobre o posso fazer para montar uma e quais os cuidados que devo tomar, desde já agradeço sua atenção

Olá Michel.

Primeiramente um bom 2009 para você.
Eu realmente acredito que voce deve ter cuidado com as "sacadas" de mercado.
Boa parte das empresas que surgem no mercado morrem exatamente pelo fato de que seus empreendedores nao conhecem muito bem nem do negócio, nem tampouco sobre o mercado.
Ja vimos os empreendedores passarem por diversas febres, como as das videolocadoras, as das pizzarias, lanhouses, etc. Acredito que da grande maioria que você deve ter assistido nascer até hoje, dá para contar nos dedos quais ainda estão em pleno funcionamento.
Há sempre um vizinho, um parente ou um amigo recomendando o que ele chama de "negócio da china", sendo por que fulano, beltrano ou ciclano estao ganhando horrores montando tal empreendimento.

Eu digo isso nao apenas para voce michel, mas para todos que de alguma maneira, pensam da mesma forma, ou parecido.
Para aqueles que ainda nao conhecem ou trabalharam em um varejo, saibam que abraçar o varejo, é abdicar de finais de semana, feriados, e tudo o que às vezes, um trabalho de carteira assinada pode oferecer. Para aqueles que pensam que "ser patrão", é apenas mandar, na grande maioria das vezes, o "patrão", acorda mais cedo e dorme mais tarde do que todos seus funcionários.

Para voce Michel, eu recomendo as seguinte sugestão:

1.) Realmente o mercado de construção anda promissor, mesmo com a crise. O setor é uma das principais alavancas de crescimento do atual governo federal e tem sido favorecido pela abertura de novas e mais fáceis linhas de crédito, bem como a expansão e o desenvolvimento das classes mais populares. Ha uma enorme defasagem de novas moradias e de infra-estrutura de moradias já existentes, sendo este ainda, um vasto filão a ser explorado.

2.) Eu recomendo que voce procure a ACOMAC de seu estado, ou ainda a própria Anamaco (www.anamaco.com.br), que poderão lhe fornecer melhores dados sobre o setor, ou sobre como operar melhor sua loja.

3.) Para se preparar como um bom empreendedor, acredito que o caminho seja procurar o SEBRAE de seu estado e se informar sobre o EMPRETEC, um curso voltado à formação de novos empreendedores. Dentro desse curso, voce poderá ter algumas respostas sobre o quão preparado você está até este momento para montar esse tipo de negócio.


Espero ter lhe ajudado,
Qualquer duvida é so mandar aqui para o blog !

Um grande abraço e boas vendas

Caio Camargo
FALANDO DE VAREJO
http://falandodevarejo.blogspot.com

2009 !

2009 !
Voltamos !

Um Feliz 2009 para todos !!!
E o que 2009 nos aguarda ?

Ao que parece, a crise esta se dissipando, e o comércio colheu otimos resultados no fechar do ano.
Tal como queria o presidente Lula, o Brasil nao parou de comprar ! Ufa !

Sera que essa onda passou, ou sera que estamos apenas nos aproximando da real tempestade ?

Como diria minha avó: Cautela e canja de galinha nunca fizeram mal a ninguem, portanto, nao é necessário frear, mas tambem ainda nao é o momento de pisarmos no acelerador.


Um grande ano e boas vendas !

Caio Camargo
FALANDO DE VAREJO
http://falandodevarejo.blogspot.com