terça-feira, 31 de março de 2015

Virtual Gate participa do Brazil Promotion Day

Caio Camargo, diretor de Relações Institucionais da empresa, ministra palestra sobre tecnologia em varejo

Caio Camargo, durante palestra no Brazil Promotion Day
A cada dia, empresas e marcas estão mais atentas em aprimorar o relacionamento com o seu público-alvo. É nesse cenário que está a chamada “Internet das Coisas” (IoT), termo usado para definir a conexão entre dispositivos e aparelhos usados no dia a dia à rede mundial de computadores. Este é o tema da palestra de Caio Camargo, diretor de Relações Institucionais da Virtual Gate, no Brazil Promotion Day que acontece dia 29 de abril em Curitiba e 28 de maio no Rio de Janeiro.

“Fizemos nossa estreia com este tema no evento de Belo Horizonte e tivemos uma excelente receptividade”, avalia. De acordo com o palestrante, a maneira como a tecnologia afeta o consumo nos dias atuais é algo que desperta a curiosidade de comerciantes e clientes. “Como fornecedor de tecnologia, a ideia é mostrar como essas ferramentas podem auxiliar o lojista no aprimoramento da relação com seu cliente”, comenta. Ainda segundo Camargo, houve um aumento na procura por essas tecnologias nos últimos tempos. “Tivemos depoimentos de clientes dizendo que estão priorizando este tipo de investimento ao invés de abrir novas unidades. Isso como uma estratégia para driblar as dificuldades econômicas do momento”, completa.

Sobre a Virtual Gate

Fundada em 2002, a Virtual Gate fornece soluções para o aumento de faturamento dos varejistas por meio de tecnologia que permite a gestão do fluxo do consumidor e da taxa de conversão.

A Virtual Gate atende alguma das maiores empresas do País e grandes redes varejistas, além de oferecer soluções de valor agregado para médias e pequenas empresas de todo o Brasil, com clientes em todas as regiões.

A Virtual Gate, conta com alguns cases de sucesso em seu portfólio como: C&A, Pernambucanas, Telhanorte, TendTudo, Casa Show, Nike, Livraria Cultura, Saraiva, Lojas Americanas, Farm, Animale, Paquetá, Calvin Klein, Loungerie, L’Occitane, Sephora, entre outros.

Frases: Tendimento


Na minha opinião, atendimento é tão raro, que deveria se chamar somente de "tendimento".
O resto seria o atendimento ao qual estamos acostumados...

E você, concorda com essa frase?
Deixe sua opinião!

Um grande abraço e boas vendas

Caio Camargo
Editor
+Falando de Varejo

La Rouge Belle abre e-commerce próprio

Marca de lingerie possui uma loja física, em São Paulo, e está presente em mais de 10 Estados

Site da loja La Rouge Belle
A marca de lingerie La Rouge Belle foi criada pela blogueira de moda Lala Rudge, em 2012, e inaugurou seu e-commerce próprio, que atenderá todo o Brasil.

De acordo com Bruno Rudge, CEO e sócio da empresa, a loja on-line é um passo importante para a expansão da marca. "Acreditamos muito nesse movimento digital e, enquanto estamos negociando novos pontos de venda físicos, essa loja nos ajudará a atender os clientes de todo País, porque a demanda vem crescendo cada vez mais", afirmou.

De acordo com Lala Rudge, sócia e diretora de estilo da marca, 90% das peças à venda nas lojas físicas estão disponíveis virtualmente. A marca comercializa suas peças também pela plataforma Shop2Gether.com.

A La Rouge Belle possui uma loja física no Shopping Iguatemi, em São Paulo, e os produtos são distribuídos em mais de 10 Estados brasileiros por meio de lojas multimarcas.

Fonte: Portal Novarejo

Hope inaugura flagship em SP

Marca investirá em outras cinco unidades do mesmo modelo até junho deste ano


A Hope, rede de franquias de lingerie, inaugurou flagship no shopping Pátio Higienópolis, em São Paulo. O modelo foi feito na unidade da marca que já existia no shopping. Foram R$ 200 mil em investimentos para a reformulação da loja de 50 metros quadrados.

A loja, segundo a marca, é parte de um plano de expandir o conceito wonder closet, com oferta de produtos premium.

“Com essa reformulação, nosso objetivo é incrementar em 10% o número de clientes e, até o mês de junho, nossa meta é inaugurar outras cinco lojas no mesmo modelo”, disse, em nota, o diretor de expansão da marca, Sylvio Korytowski.

A rede tem 131 lojas espalhadas em todo o País, também atua no comércio eletrônico e com varejo multimarcas.

Fonte: Portal Novarejo

Em Almoço-Debate do Lide, Joaquim Levy diz que não podemos errar agora

"O ajuste econômico-fiscal prevê forte redução das despesas do governo. Nossa programação financeira é chegarmos aos níveis de 2003, com uma redução de 30% nos gastos. É forte. Precisamos ter muita disciplina fiscal", declarou o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, durante Almoço-Debate promovido hoje, 30 de março, pelo LIDE – Grupo de Líderes Empresariais. Liderado pelo empresário João Doria Jr., o evento aconteceu no Hotel Grand Hyatt, em São Paulo, e contou com a presença histórica de 622 pessoas.

Joaquim Levy - ministro da Fazenda
Desde janeiro no cargo, um dos desafios do ministro é promover os ajustes necessários na economia para que o País volte a crescer. "É preciso reverter a deterioração fiscal e das contas externas, descontinuar as políticas anticíclicas entre o Brasil, a China e os EUA – reconhecendo que o cenário desses parceiros mudou -, proteger ganhos sociais, fortalecer a nova classe média com a inclusão por oportunidades, além de garantir a segurança e competitividade da nossa economia", disse.

"O resultado do PIB mostrou que estamos em uma transição. Começa uma recuperação das exportações. No ano passado a contribuição foi neutra. Esse ano esperamos que ela possa ajudar o setor externo", disse. "Cortar na carne é importante. Mas não tendo muita carne, não é fácil. No período à frente, temos que estar muito atentos para não aumentar despesas e gastos, Isso é essencial para garantir o equilíbrio e a sustentabilidade fiscal", recomenda.

O ministro finalizou afirmando confiar no empresário, no seu poder de inovar, de ganhar novos mercados para nos tornarmos mais competitivos.

Segundo João Doria Jr., presidente do LIDE, abrir a agenda dos almoços de 2015 com a presença do ministro da Fazenda, Joaquim Levy, reforça a relevância dos encontros. "Não tenho dúvida que o evento de hoje aumentou a confiança do empresariado nas ações do ministro, que tem um cenário extremamente desafiador – frente a uma crise institucional e política –, e será necessário refazer os processos e fazer com que a economia volte a crescer".

O evento, uma iniciativa do LIDE – Grupo de Líderes Empresariais e realização do GRUPO DORIA, contou com a chancela de importantes marcas. AMIL, BOA VISTA, BRASKEM, COUROMODA, EMS, GOCIL, GVT, HSBC, KIA, MAPFRE, MAN, MASTERCARD, PPG, SOUZA CRUZ, TOTVS e WHIRLPOOL foram os copatrocinadores. Entram como fornecedores oficiais: CDN, DELONGHI, ECCAPLAN e MISTRAL E VINCI. DCI, PR NEWSWIRE, RÁDIO JOVEM PAN, REVISTA LIDE e TV LIDE foram mídia partners.

Fonte: PR Newswire

segunda-feira, 30 de março de 2015

Marca brasileira de surf, Fico, busca novos mercados no exterior

No primeiro semestre deste ano, a empresa participará de duas feiras internacionais, na Alemanha e em Las Vegas

Com o bom momento do surf brasileiro, a marca Fico, busca expandir a distribuição e o licenciamento de produtos no exterior. A empresa participará da FIBO, maior feira de fitness, bem-estar e saúde do mundo, que acontecerá na Alemanha entre os dias 9 e 12 de abril. Em junho, a Fico leva o portfólio de produtos à Licensing Expo, feira de licenciamento de marcas realizada em Las Vegas nos dias 9, 10 e 11 de junho.

A participação na FIBO faz parte do Projeto Setorial de Exportação, resultado da união entre a Apex-Brasil e a Associação Brasileira das Empresas de Bens e Serviços do Esporte – ABRESE.

Já na Licensing Expo será o terceiro ano consecutivo que a Fico participa. “Nosso foco é buscar novos licenciados para desenvolver a marca Fico no exterior, licenciar a marca Fico para empresas que tenham interesse no mercado brasileiro e ainda exportar os produtos”, diz Raphael Levy, diretor da FICO. Durante a feira, a empresa apresentará a inovadora prancha com LED e controle remoto, ideal para surfar ou pescar a noite.

O produto também promete ser um dos principais destaques na FIBO, que atraiu no último ano 116 mil visitantes e cerca de 700 expositores. A marca ainda apresentará as mochilas, femininas e masculinas, além das coleções masculinas de malha inverno 2015 e primavera verão 15/16.

Sobre a FICO

A Fico é uma marca com 31 anos. Marcou época, precursora do início da estruturação fabril e comercial do surf no Brasil. Seu criador, o surfista Raphael Levy, que emprestou o seu apelido para batizar uma das mais duradouras marcas de surf em território nacional. Sempre inovando, de lá para cá, a Fico ocupou um importante espaço no segmento escolar, com o lançamento de mochilas com alto valor agregado, garantia e pós-venda diferenciada.

Hoje, além de toda a expansão proporcionada pelas ações de licenciamento, a Fico investe no lado social. A marca apoia o selo “Eu faço o bem. Faça você também.” e imprime nas etiquetas de seus produtos o logotipo da campanha, que tem como objetivo divulgar a Esclerose Múltipla. É um projeto de conscientização de uma doença que atinge mais de 35.000 brasileiros.

Site: www.fico.com.br

Eletrolar Show comemora 10 anos em 2015 com muitas novidades

Entre as novidades estão a realização do Smartphone Congress, o horário de visitação estendido e a projeção internacional, excelente oportunidade para as companhias brasileiras ampliarem sua atuação no mercado globalizado

Principal espaço para o lançamento de produtos que estarão nas vitrines do varejo no segundo semestre e para estreitar os relacionamentos comerciais entre a indústria e o varejo de eletros de todos os portes e regiões do Brasil, a Eletrolar Show é feira referência na América Latina.

Na edição 2015, que comemora os 10 anos do evento que se tornou o maior do setor de eletrodomésticos, eletroeletrônicos, celulares, TI e utilidades domésticas da região, serão apresentadas novidades nas linhas brancas e marrom, em portáteis, TI, telefonia, automotivo, bem-estar, esporte e lazer, utilidades domésticas, móveis e serviços.

Serão 600 marcas e mais de 10 mil produtos em exposição. Grande parte deles estarão nas prateleiras dos principais varejistas do país, no segundo semestre desse ano.

“Em momentos como o atual é fundamental priorizar o contato pessoal entre os representantes da indústria e do varejo para a busca de novas estratégias e resultados positivos para o setor”, afirma Carlos Clur, presidente do Grupo Eletrolar, realizador do evento.

Nesta edição comemorativa, a feira terá novidades importantes, como o Smartphone Congress, o Latin America Eletronics e a presença de 100 compradores da América do Sul, que virão da Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Paraguai, Peru e Venezuela, com patrocínio do Grupo Eletrolar. Também patrocinados, virão 600 compradores de 150 grandes redes varejistas que não têm sede em São Paulo, isto é, 10% mais do que em 2014. “Mais de 30 mil qualificados executivos de compras, que decidem sobre 26 mil pontos de venda em todo Brasil, visitarão a Eletrolar Show”, resume Clur.

Em sua décima edição, a Eletrolar Show terá o horário ampliado: das 10 às 22 horas, atendendo ao pedido de compradores de todo o Brasil, que desejam tempo maior para analisar os produtos mais adequados aos seus pontos de venda.

Smartphone Congress

Conectividade e convergência, nos negócios e na vida pessoal, sustentam a liderança dos smartphones no varejo. Na Eletrolar Show, negócios com a tecnologia móvel serão o tema principal do Smartphone Congress.

“O recorde de vendas de smartphones no Brasil e as possibilidades de negócios que esses aparelhos proporcionam, motivam a realização de um simpósio onde serão o tema central”, explica o presidente do Grupo Eletrolar, Carlos Clur.

O Smartphone Congress, que integra a programação comemorativa dos dez anos da Eletrolar Show, terá a participação de especialistas, que abordarão vários pontos ligados ao aparelho-fenômeno que pode ser o campeão de vendas desta década. “Só no quarto trimestre de 2014 as vendas de smartphones cresceram 42,7% sobre o mesmo período do ano anterior, é uma marca histórica”, explica.

Negócios que rendem bem são gerados e concretizados via celulares, e a tendência é que continuem em alta, como será abordado no Smartphone Congress. “Atualmente, 35% dos celulares são smartphones, número que deve dobrar nos próximos quatro anos. Então, este é o momento adequado para entendermos as oportunidades de negócios que eles oferecem e para quais mudanças devemos estar preparados. Informação e conhecimento do mercado formam uma base sólida para bons negócios”, afirma Clur

Projeção Internacional - Latin America Eletronics

Mais uma grande novidade na edição que comemora os dez anos da Eletrolar Show é a iniciativa que objetiva fazer do Brasil, a partir de São Paulo, o ponto de encontro de toda a região latino-americana no âmbito dos negócios. A Eletrolar Show, no seu caminho de reconhecimento internacional, como ocorre com a IFA, na Alemanha, com as CES, nos Estados Unidos, e com a HKTDC, na China, adota o nome, no exterior, de Latin America Eletronics.

A presença de fortes compradores do exterior no Brasil, um caminho para a internacionalização das empresas nacionais, para a fixação de suas marcas em vários países e para a ampliação do networking, exigiu alto investimento do Grupo Eletrolar. “Patrocinamos a vinda a São Paulo de compradores internacionais e de profissionais de mídias segmentadas para que as empresas brasileiras tenham mais visibilidade e consigam desembarcar em outros países”, conta Carlos Clur, presidente da empresa.

Serviço:
Eletrolar Show 2015
Data: 20 a 23 de julho de 2015
Local: Transamérica Expo Center – São Paulo
Horário: 10h às 22h
Mais informações: www.eletrolarshow.com.br

GS1 apresenta "Loja do futuro" na Autocom

Esse é o tema da Associação Brasileira de Automação-GS1 Brasil num dos principais eventos de automação para o comércio da América Latina

Durante a Autocom 2015-17ª Feira e Congresso Internacionais de Automação para o Comércio, a Associação Brasileira de Automação-GS1 Brasil demonstrará novos conceitos de automação para o varejo, baseados em tecnologias como identificação de produtos e comunicação de dados via radiofrequência (RFID, na sigla em inglês). No estande da entidade, o visitante da feira encontrará a “Loja do futuro”, equipada com sistemas de autoatendimento e self check out que começam a se tornar realidade no Brasil. A ênfase da GS1 Brasil será a segurança do alimento, a experiência de compra com RFID e o inventá rio de mercadorias.

Loja do Futuro será apresentada na Autocom
“Nosso portfólio de padrões de códigos de barras proporciona uma linguagem única de identificação de produtos e comunicação na cadeia de abastecimento, indústria, distribuidores e varejistas. Esse foi o primeiro passo para que a GS1 Brasil oferecesse aos associados sugestões de lojas que melhoram a experiência de compra aos clientes”, declara João Carlos de Oliveira, presidente da Associação Brasileira de Automação-GS1 Brasil.

Produtividade com RFID – No congresso, Wilson Cruz, coordenador do Centro de Inovação e Tecnologia da GS1 Brasil, apresenta os benefícios da implantação da radiofrequência para automação do comércio na palestra “O aumento da produtividade através do RFID”. O caso mostrado será o da loja Brascol, um dos maiores atacadistas de roupas infantis do país. Com alto volume de compra, venda, movimentação de carga e expedição de pedidos, a Brascol agilizou sua logística com implantação de RFID. O tempo da expedição e a automação do check out dos clientes foi reduzido de uma hora para 20 minutos em uma compra de 300 itens. Wilson demonstra o estudo do caso ao lado de Antonio Almeida, superintendente da Brascol. O fornecedor da solução, a Cremer, p arceira da Brascol, vai expor como conseguiu montar o sistema na loja.

Edson Perin, jornalista e editor do portal RFID Journal Brasil, vai colaborar no conteúdo da Associação Brasileira de Automação-GS1 Brasil durante do congresso. Perin apresenta vários casos de soluções em RFID varejo, no Brasil e outros países.

Serviço

Autocom 2015-17ª Feira e Congresso Internacionais de Automação para o Comércio
Data: 7 a 9 de abril de 2015
Congresso: das 8h às 14h; feira: das 14h às 21h
Local: Expo Center Norte – Pavilhão Amarelo
Realização: Afrac - Associação Brasileira de Automação Comercial
Palestra da Associação Brasileira de Automação-GS1 Brasil: dia 07, às 10h
Estande: rua 7/8/C/D

Sobre a GS1 Brasil
A GS1 Brasil, Associação Brasileira de Automação, é uma organização multissetorial sem fins lucrativos que representa nacionalmente a GS1 Global. Em todo o mundo, a GS1 é responsável pelo padrão global de identificação de produtos e serviços (Código de Barras e EPC/RFID) e comunicação (EDI e GDSN) na cadeia de suprimentos. Além de estabelecer padrões de identificação de produtos e comunicação, a associação oferece serviços e soluções para as áreas de varejo, saúde, transporte e logística. A organização brasileira tem 58 mil associados. Mais informações em www.gs1br.org.

Coop divulga investimentos de R$ 110 milhões para este ano

Na última sexta-feira (27 de março), a Coop – Cooperativa de Consumo anunciou durante Assembleia Geral Ordinária os resultados de 2014 e planos de investimentos para este ano.

Marcio Valle, diretor-presidente da Coop
O exercício de 2014 fechou com faturamento de R$ 2,028 bilhões, garantindo - além de juros ao capital de cada cooperado e constituição de reservas - a distribuição de R$ 15 milhões a título de retorno das sobras líquidas. Essas sobras serão retornadas de forma proporcional às aquisições de cada cooperado no decorrer do exercício.

A Coop também anunciou para 2015 investimentos da ordem de R$ 110 milhões, a serem aplicados na compra de um terreno para a construção de um novo Centro de Distribuição; novas lojas; cinco drogarias externas e aquisição de equipamentos para lojas e TI.

Este investimento já contempla a segunda loja na cidade de Tatuí, com 2.100 metros quadrados de área de atendimento, incluindo drogaria, além de reformas de quatro unidades na região do Grande ABC e da Central de Panificação, onde é produzida a sua linha de produtos Delícias da Coop. De acordo com o seu diretor-presidente, Marcio Francisco Blanco do Valle, a previsão é fechar este ano com faturamento na ordem de R$ 2,2 bilhões.

Atualmente a Coop é considerada a maior cooperativa de consumo da América Latina, conseguindo hoje a 13ª posição do ranking da ABRAS (Associação Brasileira de Supermercados), por força da sua boa atuação no mercado. Possui cerca de 5,4 mil colaboradores diretos, 28 unidades de distribuição - 21 no Grande ABC, uma em Piracicaba, três em São José dos Campos, duas em Sorocaba e uma em Tatuí, além de três postos de combustíveis e seis drogarias externas.

Por ser uma cooperativa, seu principal escopo é oferecer os melhores serviços com preços justos, além de reverter benefícios para seus cooperados e comunidade, como ciclo de palestras gratuitas; programa de saúde e qualidade de vida por meio do Mexa-se nas unidades; retorno das sobras (lucro), quando ocorrerem; programas educacionais voltados aos estudantes da rede pública e particular; doações para entidades beneficentes onde a Cooperativa possui unidades de distribuição e repasse de verbas para a Federação das APAEs provenientes da venda da revista Coop e do programa Troco do Bem.

Como aprender as principais técnicas de merchandising?

Regina Blessa, uma das maiores especialistas sobre merchandising do Brasil

No próximo dia 10/04, Regina Blessa, apresenta o Curso Intensivo de Merchandising, o mais completo do mercado.

Serão 7 horas de agradável troca de conhecimentos. (das 9 às 17h).
O curso será no IEV na Rua José Debieux, 35 - Santana - São Paulo.
Próximo a estação Santana do metrô.

Inscrições e conteúdo
Internet: www.iev.net.br ou www.blessa.com.br
Fone : 11- 22633037
Estão inclusos: Certificado e coffee breaks.

Regina Blessa
É doutoranda em Design pela Universidade de Aveiro-Portugal e mestre em
Comunicação pela USP. Consultora e palestrante especializada em ponto de venda.
Professora em cursos de pós-graduação no Senac, na FGV e na FIA.
Autora dos livros Merchandising no Ponto de Venda e Merchandising Farma.

Denim com aplicações é um dos highlights do Inverno da Damyller

A Damyller aposta no jeans trabalhado em diversas texturas para a próxima estação. Carro-chefe da marca, o denim vem ainda mais artesanal e mistura a influência do sportswear casual com a alfaiataria.

No feminino, as apostas são as calças com modelagem flare, saias, vestidos e casacos, que recebem mix de lavagens com aplicações únicas como, cetim, bordados, estampas com efeito 3D, além de tramas nos diversos tons de denim.

Para os homens, a marca traz calças, jaquetas e camisas, todos com o mesmo trabalho de aplicações, mas de forma mais discreta, sem perder a forte referência do jeans, o que torna cada peça indispensável no closet masculino.

As peças têm preços sugeridos entre R$ 289,00 e R$499,00. E, já estão à venda nas mais de 120 lojas da Damyller e no e-commerce da marca - www.damyller.com.br

Caedu promove especial infantil

Rede varejista oferece opções de roupas para vestir os pequenos nesse Outono/Inverno

Ser criança é tudo bom! Ainda mais com as opções de roupas estilosas e divertidas da Caedu (www.caedu.com.br), rede varejista de moda, que promove a partir do dia 2 de abril o Especial Infantil com ofertas exclusivas para os pequenos.

Durante o período da ação, que vai até 14 de abril, a rede comercializará a preços super acessíveis, kits de camisetas de manga longa e curta, acompanhados por revistinhas para colorir.

Os kits dos meninos vêm acompanhados com o caderninho à esquerda, da Monster Land, e o das meninas, do à direita, da Turma da Pankeka.

Sobre a Caedu

Há 39 anos no mercado, a Caedu é uma marca de roupas e acessórios que possui 49 lojas espalhadas pelo Estado de São Paulo. Aliando experiência, qualidade e modernidade, a marca oferece aos seus clientes os melhores produtos a preços acessíveis. O portfólio de peças da Caedu atende homens, mulheres e crianças com roupas, lingerie, moda praia e acessórios para todos os estilos. Facilidade e ambiente agradável também são atributos das lojas da rede, que disponibilizam o Cartão Caedu como forma de pagamento.

sexta-feira, 27 de março de 2015

Promoções Absurdas: Promoção de páscoa

Ah! E temos promoção especial na Páscoa!
Promoções Absurdas especial de Páscoa!

Você clica em uma e leva duas promoções absurdas!

Fonte: Facebook (enviada por Mauricio Morgado)

Fonte: Facebook (enviada por Marcelo Cherto)

Um grande abraço e boas vendas

Caio Camargo
Editor
+Falando de Varejo

Vivo inaugura sua primeira loja conceito em São Paulo

Espaço projetado pela Gad' valoriza o digital e a experiência do consumidor

Inspirada em tendências internacionais que colocam o consumidor como centro das atenções, a Vivo inaugura nesta quarta-feira (25) sua nova loja conceito, que fica na sede da empresa, em São Paulo. O espaço abre as portas com um visual que instiga o cliente a entrar e experimentar produtos. A criação é da Gad’, responsável pelo desenvolvimento de todas as lojas da marca, sendo esta a primeira focada no digital.

De acordo com a diretora de imagem e comunicação da Vivo, Cristina Duclos, a loja reforça o compromisso da empresa com a inovação, ao oferecer um local onde as pessoas podem conhecer tendências, experimentar novidades, aprender e obter suporte. “É a primeira vez que trazemos uma loja para nosso prédio. É um espaço pequeno, que funcionará como um laboratório de ideias. Ao longo do ano, teremos uma série de lançamentos e eventos no espaço”, conta.

Com 90 metros quadrados, a loja conceito da Vivo reúne painéis, bancadas e mesas de atendimento alinhada ao conceito de telco digital. Em uma parceria inédita com a On The Spot, o espaço estimula o uso das mídias digitais por meio de Tela Touchscreen com conteúdo de SVAs, vitrines digitais divulgando produtos e serviços, Wi-fi Social, entre outros elementos. “É uma loja paperless, onde tudo é digital”, destaca Cristina.

Em toda a infraestrutura - equipamentos, mobiliários e iluminação de LED – foram utilizadas técnicas e materiais sustentáveis. A comunicação digital da loja também contribuiu para reduzir a utilização de papel.

A abertura da loja coincide também com o lançamento dos novos uniformes dos colaboradores Vivo, que ganharam peças assinadas pelo estilista Marcelo Sommer – a partir de junho, a novidade estará em todas as lojas do Brasil.

Fonte: Abemd

Variação de preço de ovos de páscoa no e-commerce pode chegar a mais de 50%

Levantamento feito pelo Buscapé mostra que pesquisar preços dos produtos pode garantir economia antes de comprar


A Páscoa se aproxima e, com isso, a procura por ovos de chocolate se intensifica. Entretanto, o preço elevado dos produtos pode ser um obstáculo para os consumidores, tanto no varejo físico quanto no online. Segundo levantamento realizado pelo Buscapé (www.buscape.com.br), líder global em comparação de preços, durante a primeira quinzena de março, a diferença nos valores cobrados pode chegar a mais de 50%, no e-commerce.

A pesquisa listou os dez ovos mais buscados pelos usuários do site e fez uma comparação de preços entre as lojas virtuais. Destes, a maior diferença encontrada ficou por conta do ovo de Páscoa “Ben 10 170g” (Lacta), com 53,4%, cujo preço varia de R$ 26,01 a R$ 39,90. Quem buscar pelo “Ferrero Rocher 250g” pode pagar entre R$ 38,99 e R$ 54,99, 41% a mais, dependendo da loja que escolher.

O CEO do Buscapé Company, Rodrigo Borer, reforça a importância de pesquisar os produtos e comparar as ofertas antes de comprar. “O varejo online vem se esforçando cada vez mais para ofertar produtos com preços atrativos ao consumidor, por isso é sempre importante pesquisar todas as lojas virtuais e avaliar bem as opções”, explica.


Intenção de consumo das famílias tem novo recorde negativo, segundo FecomercioSP

Indicador caiu 14% em março ante o mesmo mês de 2014. Piora é puxada pelos itens Nível atual, Perspectiva de consumo e Momento para duráveis que apresentaram as menores pontuações da série histórica

Indicador da Fecomercio marca recorde negativo histórico
O atual cenário socioeconômico de baixo crescimento, somado à pressão inflacionária sobre os alimentos, à crise hídrica, reajustes nos preços dos transportes, energia elétrica e gasolina, além do consequente aperto no orçamento familiar foram os principais motivos que resultaram no pior nível histórico do Índice de Intenção de Consumo das Famílias (ICF) na cidade de São Paulo, chegando ao patamar de 105,7 pontos. O indicador da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) recuou 2,3% em março em relação ao mês anterior. Se comparado com o mesmo período de 2014, a queda foi ainda maior, de 14%.

Itens

Entre os componentes do ICF, três atingiram o menor valor da série histórica e estão na zona de insatisfação (abaixo dos cem pontos). O item Nível de consumo atual apresentou a maior variação negativa em março, com queda de 9,7%, e atingiu os 77,1 pontos. Essa pontuação, além de ser a menor para o item desde o início da série (2010), é a mais baixa que um item da pesquisa já registrou.

O indicador Perspectiva de consumo também ficou com a menor pontuação da série histórica, 91,2 pontos e retração de 3,5% no comparativo com o mês anterior.

Para completar os itens que estão na zona de insatisfação o item Momento para duráveis registrou leve queda de 0,6%, mas suficiente para, da mesma forma que os dois itens anteriores, ser o menor da série - 82,3 pontos -, permanecendo na área de insatisfação há 11 meses. Os juros elevados dos financiamentos provocam esse sentimento de mau momento para aquisição de eletrodomésticos e eletrônicos. Ainda na comparação mensal, os itens Acesso ao crédito (-0,6%) e Renda atual (-7,5%) seguiram a tendência de queda.

Apesar das retrações, alguns componentes do levantamento apresentaram melhoria: Emprego atual que revelou que os paulistanos estão confiantes com o item emprego, e Perspectiva profissional, ambos apontaram crescimentos de 3% e de 1,1%, respectivamente.

Renda

A intenção de consumo das famílias com renda abaixo de dez salários mínimos mostrou queda de 1,7% na comparação mensal. Já as famílias com renda acima de dez salários mínimos foram as que mais sentiram as perspectivas econômicas desfavoráveis, recuo de 4,3%. O grupo com mais dez salários mínimos que está menos satisfeito fechou março com 103,6 pontos, enquanto o segundo ficou com 106,3 pontos.

Nota metodológica

A Intenção de Consumo das Famílias (ICF) é apurada mensalmente pela FecomercioSP desde agosto de 2009, com dados de 2,2 mil consumidores no município de São Paulo. O ICF é composto por sete itens: Emprego atual; Perspectiva profissional; Renda atual; Acesso ao crédito; Nível de consumo atual; Perspectiva de consumo; e Momento para duráveis. O índice vai de zero a 200 pontos, no qual abaixo de cem pontos é considerado insatisfatório e acima de cem pontos é denotado como satisfatório. O objetivo da pesquisa é ser um indicador antecedente de vendas do comércio, tornando possível, a partir do ponto de vista dos consumidores e não por uso de modelos econométricos, ser uma ferramenta poderosa para o varejo, para os fabricantes, para as consultorias e para as instituições financeiras.

Em 10 anos, reajuste de medicamentos fica 21,75% abaixo da inflação


O reajuste anual dos medicamentos comercializados no Brasil deve ser fixado em 5,95%, índice abaixo da inflação registrada no período, de 7,70%. Nos últimos 10 anos, o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) aponta 70,91% de inflação acumulada, enquanto a correção sobre o preço dos medicamentos foi de apenas 49,16%.

Na verdade, a diferença é ainda maior porque os medicamentos acabam sempre comercializados com descontos. Nas compras públicas, por exemplo, há o desconto oficial de pelo menos 18%, sendo que as negociações geralmente resultam em outros abatimentos. Nas farmácias, a concorrência de mercado também gera descontos significativos.

Neste momento de dificuldades orçamentárias, essa decisão contribui para os programas de aquisição de medicamentos pelos governos Federal, estaduais e municipais.

Para os consumidores, o reajuste abaixo da inflação igualmente contribui para o acesso a medicamentos, que no Brasil é dificultado pela alta carga tributária e pelo fato de 75% das compras serem custeadas integralmente pelo cidadão. Esse cenário é bem diferente na maioria dos países, onde existem programas mais abrangentes de complementação ou reembolso para a aquisição de medicamentos. Os tributos também são bem menores que os nossos 34%, ou até inexistentes.

Esse cenário se tornará mais grave se o Governo mantiver a intenção de aumentar a carga tributária sobre medicamentos com a elevação do PIS e do COFINS, cobrado sobre importações.

Sobre a Interfarma

Fundada em 1990, a Interfarma possui atualmente 54 empresas associadas. Hoje, esses laboratórios são responsáveis pela venda, no canal farmácia, de 80% dos medicamentos de referência do mercado e também por 33% dos genéricos produzidos por empresas que passaram a ser controladas pelos laboratórios associados. Além disso, as empresas associadas respondem por 46% da produção dos medicamentos isentos de prescrição (MIPs) do mercado brasileiro e por 52% dos medicamentos tarjados (50% do total do mercado de varejo).

Cliente de shopping vai pagar estacionamento com APP

O Shopping Vila Velha lançou seu aplicativo com tecnologia que permite ao cliente pagar o estacionamento e marcar a vaga


Pagar o estacionamento agora ficou mais rápido e funcional para os clientes do Shopping Vila Velha, que acaba de lançar o seu próprio aplicativo com uma tecnologia que permite que o cliente faça o pagamento em alguns toques na tela do celular ou tablet. O software também oferece o “guardador de vagas”, que ajuda o cliente a encontrar o seu carro no estacionamento.

Para fazer o pagamento do estacionamento, basta utilizar a câmera do celular para capturar o código de barras do ticket. O usuário recebe na tela informações como o tempo de permanência e o valor, e realiza o pagamento com eu cartão de crédito. O APP já está disponível gratuitamente nas plataformas Android e IOS e também trás informações sobre todas as lojas, restaurantes, serviços, eventos e promoções.

De acordo com o gerente de Marketing do shopping Bruno Saliba, a ferramenta vai orientar melhor o cliente e concentrar todas as informações necessárias. “Estamos tornando a experiência de compra mais interessante, com funcionalidades que ajudam o consumidor a aproveitar melhor tudo o que o shopping oferece, com mais comodidade”, justifica.

Além disso, Saliba lembra que o shopping está sempre realizando eventos e atividades de lazer e o aplicativo vai deixar o público sempre informado sobre o que acontece. “Estamos no maior shopping do Estado e esse utilitário nos permite estar mais perto do público”, conclu

quinta-feira, 26 de março de 2015

Aliansce amplia série de concertos gratuitos da Orquestra Petrobras Sinfônica


A Série Aliansce, projeto que promoveu onze concertos gratuitos da Orquestra Petrobras Sinfônica (OPES) em shoppings centers do Rio de Janeiro ano passado, inicia sua segunda temporada ainda maior. Em 2015, Salvador, Belo Horizonte e São Paulo também serão palco das apresentações.

A abertura acontece no próximo dia 1º de abril, às 20h, no Shopping Leblon, com regência do maestro Isaac Karabtchevsky. A programação inclui uma homenagem especial aos 450 anos do Rio de Janeiro. Para celebrar o aniversário da cidade, a Aliansce encomendou uma obra inédita que será apresentada na estreia da Série Aliansce, a “Abrideira pro Villa”, de Jayme Vignoli. Peças de Wolfgang Amadeus Mozart, Alberto Nepomuceno e Antonio Vivaldi compõem o repertório, que será encerrado com “Cidade Maravilhosa”, de André Filho.

Entre março e novembro, a orquestra se apresenta também no Via Parque Shopping, Bangu Shopping, Carioca Shopping, Caxias Shopping, Shopping Grande Rio e Boulevard Shopping Campos, em Campos dos Goytacazes.

A temporada fora do Rio de Janeiro começa no dia 9 de agosto, no shopping Boulevard Belo Horizonte e segue para Salvador (Shopping da Bahia) e São Paulo (Shopping Taboão e Shopping West Plaza). As apresentações do Boulevard Belo Horizonte, Shopping da Bahia e West Plaza serão regidas pelo maestro Isaac Karabtchevsky. O maestro Sammy Fuks conduzirá as outras apresentações, que terão obras de Antonín Dvorak, Johannes Brahms, Béla Bártok, Ernani Aguiar, Edmundo Villani-Côrtes e a pela inédita de Jayme Vignoli no repertório.

A série faz parte do compromisso da Aliansce de incentivar a cultura nas comunidades vizinhas a seus empreendimentos. “Acreditamos na música como elemento transformador e enxergamos nossos shoppings como espaços democráticos de disseminação de todas as formas de cultura”, avalia Renato Rique, fundador e presidente da Aliansce. “É motivo de orgulho para a Aliansce oferecer mais uma série de concertos gratuitos da OPES, que nesta edição irá além das fronteiras do Rio de Janeiro”, lembra ele.

“Como os shoppings centers se tornaram grandes espaços de convivência e cidadania, a parceria com a Aliansce me dá mais uma vez a oportunidade de expandir os horizontes da música sinfônica e levar cultura a um número cada vez maior de pessoas”, pontua Isaac Karabtchevsky, Diretor Artístico e Regente Titular da Orquestra Petrobras Sinfônica.

Agenda – Série Aliansce 2015

01/04/2015 - Shopping Leblon– RJ*

03/05/2015 - Carioca Shopping – RJ

02/08/2015 - Bangu Shopping – RJ

09/08/2015 - Boulevard Shopping Belo Horizonte – MG*

23/08/2015 - Boulevard Shopping Campos – RJ

13/09/2015 - Via Parque Shopping – RJ

26/09/2015 - Shopping West Plaza – SP*

27/09/2015 - Shopping Taboão – SP

25/10/2015 - Caxias Shopping – RJ

01/11/2015 - Shopping Grande Rio – RJ

15/11/2015 - Shopping da Bahia – BA*


*Apresentações com o maestro Isaac Karabtchevsky

Highstil inaugura sua primeira loja própria no Shopping Center Norte

Líder nacional em polos inicia nova fase de expansão depois de se consolidar em franquias e multimarcas

Após 45 anos de atuação no mercado de moda masculina e inaugurar 20 franquias por todo o Brasil, a Highstil inicia uma nova fase visando o crescimento da marca. A empresa, líder nacional em polos, inaugura a sua primeira loja própria no Shopping Center Norte no final do mês de março.

A iniciativa de abrir a primeira loja própria veio não somente para ampliar os negócios da Highstil, mas também para melhorar ainda mais o relacionamento com o consumidor final, principalmente por se tratar de um shopping consolidado e com o perfil do cliente da marca.

“A Highstil tem 45 anos de experiência na indústria e distribuição, no entanto a verdadeira experiência no varejo é feita no dia a dia, no balcão da loja, no contato diário com o cliente. Com a loja própria esse relacionamento ficará mais estreito e, portanto, será mais rico para toda a rede. O shopping tem um histórico expressivo de vendas e será um excelente termômetro para nós, que estamos acostumados a grandes volumes”, afirma Ron Horovitz, diretor da Highstil.

As expectativas para a inauguração são as melhores para a marca, motivada pelos resultados recentes de suas franquias – desde agosto de 2013, quando a primeira loja foi inaugurada por esse sistema de expansão, a performance tem sido além do esperado para a Highstil.

“Temos de comemorar nossos resultados financeiros e de engajamento. Desde que inauguramos a primeira franquia, crescemos o esperado dentro do cenário econômico do país, mas nossos investimentos sempre foram muito pé no chão e seguimos nossa receita há 45 anos: trabalhar incessantemente e investir em qualidade em todos os detalhes. A relação com o nosso público tem sido muito mais do que satisfatórios, seja nas lojas físicas como através das redes sociais. O varejo nos permitiu esse relacionamento. Nosso facebook tem quase 100.000 fãs, número que seria difícil alcançar nesse período sem as lojas físicas”, comentou Ron Horovitz.

A nova loja da Highstil seguirá o novo projeto arquitetônico, criado em 2014, mas tem detalhes pontuais no visual merchandising, uma sonorização mais acolhedora, um videowall que traz os highlights da marca – seja como produto como das campanhas –, entre outras novidades, que mostram que o ponto foi pensado para estar mais próximo do consumidor em todos os sentidos.

Rabusch lança coleção Outono Inverno.

Mudar de estação é sempre uma oportunidade para se renovar, repensar hábitos, variar o estilo e principalmente sentir-se bem. Depois de uma estação intensa e colorida, a temperatura vai caindo, os dias cinzentos vão surgindo, as praças e ruas recebem a força de um vento mais gelado onde várias mulheres, caminham apresentando seus mais variados jeitos e maneiras de interpreta a sua moda.

Com o conceito Mulheres no Comando, num clima de mistura de estilos e etnias, a nova campanha da coleção de inverno apresenta peças em tecidos de sarja, tricoline, crepe e cetim. Outro destaque da coleção da marca são as camisas e as peças de alfaiataria. Mas o ponto forte deste inverno são os casacos em matelassê, que representam a tendência do esporte na moda feminina e os tricôs com pontos rústicos com aspecto artesanal.
As cores chave da coleção são rosa escuro, verde, bordô, azul petróleo, bem como tons neutros como bege, marrom e cinza mescla, já para o guarda-roupa de alfaiataria a marca traz como diferencial a modelagem com recortes modernos, para uma silhueta urbana e chique.

A Coleção Inverno 2015 têm como foco vestir as mulheres em todos os seus momentos de trabalho, entregando moda com estilo, versatilidade, durabilidade e conforto.

Sobre as Lojas Rabusch:

A Rabusch é uma rede de Lojas de Moda Feminina fundada em 1986, em Porto Alegre, Rio Grande do Sul. Atualmente, possui mais de 40 lojas e está presente em diversos Estados do Brasil, tais como: RS, SC, PR, SP, DF e RN através do Sistema de Franquias, lojas próprias e também o mercado de lojas multimarcas.

Para este ano, estão previstas mais oito novas operações. Entre as cidades já confirmadas estão Santa Cruz do Sul/RS, Lajeado/RS, Rio Grande/RS, Guaíba/RS, Gravataí/RS, Passo Fundo/RS, São Paulo/SP, e Fortaleza/CE.

Por vender somente produtos de marca própria, a Rabusch investe constantemente em pesquisa, para a criação e desenvolvimento de novos produtos de acordo com as grandes tendências mundiais da moda para profissionais liberais e jovens executivas, o que a torna diferenciada em seu segmento de atuação.

Shoppings identificam oportunidade de público e investem em regiões fora dos grandes centros

Localizado na zona norte de São Paulo, Cantareira Norte Shopping atrairá cerca de 700 mil visitantes por mês

Cantareira Norte Shopping será inaugurado no segundo semestre
O setor de shopping centers busca novos espaços e está cada vez mais perto dos paulistanos que moram afastados das regiões centrais. Dados da Abrasce, Associação Brasileira de Shopping Centers, apontam que a capital paulista conta hoje com 53 empreendimentos em operação. Já no Estado, são 172 centros de compras. Além da inauguração de mais um importante projeto na cidade de São Paulo em 2015, estão previstas mais três aberturas no interior, que levarão aos moradores espaços voltados ao lazer, compras e conveniência, sem grandes deslocamentos.

A região norte de São Paulo se prepara para receber, no segundo semestre de 2015, seu primeiro centro de compras de grande porte, o Cantareira Norte Shopping, localizado no bairro de Parada de Taipas, junto ao Rodoanel. A Lumine é responsável pelo planejamento e comercialização do mall, além de sua administração após a inauguração. Durante a fase de obras, serão gerados cerca de 2000 empregos diretos e indiretos.


O Cantareira Norte Shopping ocupará um terreno de 75 mil m², com Área Bruta Locável (ABL) de 27 mil m². O projeto contará com 220 lojas, incluindo cinco lojas âncoras, como Riachuelo e C&A - que já garantiram sua presença -, quatro megalojas, ampla praça de alimentação, cinco salas de cinema, área para games, um teatro e academia, além de mais de 1300 vagas de estacionamento.
O empreendimento, que possui excelentes acessos regionais e bons acessos locais, fica a 3 km do Rodoanel no entroncamento da Avenida Raimundo Pereira de Magalhães e Estrada do Corredor, importantes eixos de crescimento da região. A implantação de uma rotatória em frente ao Shopping garantirá acesso e retornos em todos os sentidos.



Pioneiro na região norte da capital paulista, o Cantareira Norte Shopping vai alcançar uma população em torno de 700 mil habitantes e atingirá os distritos de Perus, Jaraguá, Brasilândia, Pirituba e Freguesia do Ó, além de alcançar as cidades de Franco da Rocha, Caieiras e Francisco Morato. O shopping mais próximo do novo empreendimento está localizado a 9 km de distância, fazendo com que o mall atenda um grande contingente de população e renda. "O centro de compras visa atender à demanda da nova classe média. Os pontos de maior poder aquisitivo de São Paulo já estão bem atendidos, em termos de centros comerciais. Contudo, a cidade ainda tem espaço para novos empreendimentos, principalmente nos locais de fácil acesso à nova classe média " afirma Claudio Sallum, sócio-fundador da Lumine.

De acordo com levantamento encomendado em 2014 pela Abrasce à Gfk, o percentual de frequentadores pertencentes à classe C/D saltou de 24%, em 2012, para 30% em 2014. Em busca de novos lugares em potencial na região, o Cantareira Norte Shopping pretende alcançar à parcela da população que, além de ter expandido nos últimos anos, obteve um incremento de renda significativo. "A construção do centro de compras oferecerá, além de desenvolvimento econômico, também o crescimento urbano, a valorização imobiliária, aprimoramento do comércio local e geração de empregos às regiões próximas ao shopping ", ressalta Sallum.

Ainda segundo o executivo, o Shopping vai oferecer um mix completo de compras, lazer e entretenimento para a população. “Acreditamos no potencial da região e iremos proporcionar à população um projeto moderno. Não apenas um espaço para compras, mas uma nova experiência de lazer, conveniência e convivência, em um ambiente diferenciado”, afirma Claudio.

Sobre a Lumine

Com uma equipe formada por profissionais altamente capacitados, com mais de 25 anos de experiência, a Lumine é uma das poucas empresas que atua full service no mercado brasileiro de Shopping Centers, prestando assessoria a empreendedores nas diversas fases de desenvolvimento dos seus projetos, em todo o País. Atualmente, a Lumine está presente em mais de 20 municípios e nove estados, totalizando 290 mil m² de ABL em administração de Shoppings Centers, 730 mil m² de ABL em planejamento e desenvolvimento de novos projetos e expansões e 970 mil m² em comercialização.

terça-feira, 24 de março de 2015

Assaí Atacadista inaugura loja em São José dos Campos

Cidade recebe a 86ª unidade da rede no dia 24 de Março. Essa é também a 2ª inauguração da rede em 2015.

O Assaí Atacadista, negócio de atacado do GPA, inaugura em São José dos Campos, dia 24 de Março, sua 86ª unidade e a segunda do ano. Essa será também a 48ª unidade da rede no Estado de São Paulo. Com R$ 30 milhões de investimento, a localidade escolhida foi a avenida Doutor Sebastião Henrique da Cunha Pontes, 4600, bairro Jardim das Palmeiras, importante ponto da cidade localizado próximo ao entroncamento de principais rodovias, facilitando o acesso de clientes de cidades vizinhas. A nova unidade gerou cerca de 250 empregos diretos e 250 indiretos.

Uma das lojas da rede. Inauguração gerou mais de 500 empregos
O Assaí Atacadista atende desde o pequeno e médio comerciante, transformadores (donos de lanchonetes, restaurantes, pizzarias e quiosques), revendedores e utilizadores (igreja, escolas, quarteis) até o cliente final, que busca economia nas compras de grandes volumes. A proposta da rede é ser o estoque da pequena empresa, um local em que o cliente empreendedor possa fazer a reposição diária de suas vendas sem a necessidade de compras para longos períodos e estoques, além de contribuir fortemente para a melhoria da oferta de produtos e serviços da região. A instalação da nova unidade em São José dos Campos está em linha com essa proposta da rede, já que a loja está estrategicamente localizada em um ponto da cidade, próximo a grandes rodovias, como a Dutra, Ayrton Senna, Tamoios e Carvalho Pinto atendendo também a comerciantes e moradores de cidades como Monteiro, Tremembé, Pindamonhangaba, Aparecida, Caçapava, Taubaté, Jacareí, entre outras, sendo mais um local de compra para os mais de 900 mil habitantes dessa região, sem contar os que passam pelas rodovias próximas diariamente. “Essa é a primeira unidade do Assaí na região do vale do Paraíba, por isso escolhemos esse ponto para atender tanto moradores da cidade, como os milhares das cidades vizinhas, sendo mais uma opção de compra para esses clientes”, completa Belmiro Gomes, presidente do Assaí.

Segundo o IBGE, São José dos Campos é a cidade mais rica do vale do Paraíba e está na 21ª posição do ranking das 100 maiores cidades do Brasil, de acordo com dados de 2012. O ranking avalia o Produto Interno Bruto (PIB) dos municípios e segundo a pesquisa, o PIB de São José aumentou 11,6% entre 2011 e 2012. Além disso, a cidade também abriga importantes industrias e empresas. “O Assaí vem acompanhando o crescimento da cidade com muita satisfação e, com a nova loja, reforçará ainda mais o desenvolvimento econômico e social local, gerando empregos, colaborando com produtores e, consequentemente, com o desenvolvimento das cidades ao redor da loja”, conta Gomes.

A loja possui 10 mil m² de área construída, onde oferece uma variedade de 7 mil itens, entre mercearia, alimentos, perecíveis, hortifrúti, embalagens, bazar, higiene, bebidas e limpeza, de grandes marcas nacionais, regionais e importadas. Entre os diferenciais, além dos preços competitivos, da rapidez e da qualidade do atendimento, aceita diversas formas de pagamento como cartões de crédito, débito e cheques (mais informações na loja). São 293 vagas de estacionamento, sendo parte delas cobertas, e 22 check-outs. A loja também conta com ar-condicionado e uma cafeteria para proporcionar a melhor experiência de compra ao cliente. A loja funcionará de segunda-feira a sábado, das 07h às 22h e aos domingos e feriados, das 08h às 14h.

Assaí atacadista investe na sustentabilidade

Uma das propostas do Assaí Atacadista é ser um agente transformador da cadeia de valor de pequenos e médios comerciantes, através da conscientização e contribuição nas práticas sustentáveis. Por isso, a loja conta com tecnologias e padrão de construção que busca a melhor utilização dos recursos naturais, com redução do consumo de energia elétrica e melhor aproveitamento da água. Entre eles, ilhas refrigeradas que possuem fechamento e evaporação da água residual da condensação, eliminando a necessidade de drenos, evitando volume de água para a rede de esgoto. Com esse fechamento, há maior aproveitamento do equipamento reduzindo o consumo de energia. A iluminação tem cobertura com zenitais (aberturas em telhas translúcidas na cobertura da loja que permite entrada de luz natural), e fachada é de vidro, para proporcionar maior iluminação natural durante o dia, diminuindo a utilização das lâmpadas e gerando também a redução no consumo de energia elétrica.
Preocupados com o bem-estar dos vizinhos da loja, o Assaí Atacadista investiu em um moderno gerador cabinado, que diminui o ruído na área de equipamentos da loja, para padrões dentro da NBR, evitando ruídos.

Em sua política de uso racional das sacolas plásticas, a rede Assaí Atacadista oferece três maneiras para o transporte de mercadorias: sacolas retornáveis (ecobags), caixas de papelão, distribuídas gratuitamente, e sacolas plásticas comercializadas a R$ 0,18, aos clientes que desejarem fazer essa aquisição e contribuir com a doação para AACD de São Paulo – toda a receita líquida obtida com a comercialização de sacolas é revertida para a entidade.
A nova loja ainda possui um programa de coleta de pilhas e baterias, presente em todas as lojas da rede desde 2011. Em parceria com a Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee) e em cumprimento da legislação Conama 401/08, as lojas coletam e dão correta destinação para esse tipo de resíduo. Todas as lojas possuem coletores específicos, onde os clientes podem fazer o descarte dos materiais.

Empregos

A nova loja gerou cerca de 250 empregos diretos e 250 indiretos, valorizando a mão de obra local. Além de plano de carreiras, o Assaí Atacadista oferece aos funcionários programas de formação técnica e capacitação, que incluem períodos de treinamento em lojas da rede já em operação para aprendizagem sobre o padrão operacional utilizado e diferenciais do formato atacado. “Realizamos diversos estudos na região para entender a necessidade do público loca e oferecer a ele a melhor experiência de compra, o que inclui excelência de atendimento”, completa Gomes.

Dois Preços

O Assaí Atacadista opera no segmento de atacado de autosserviço ou cash&carry, por isso a rede oferece duas opções de preços aos clientes: Atacado e varejo. Dependendo da quantidade do produto que o cliente comprar, ele paga o preço de atacado, que está indicado na etiqueta com a sinalização "a partir de", ou seja, o cliente paga o valor de atacado se comprar de acordo com a quantidade mínima indicada. Caso o cliente, opte por pegar menos produtos que o indicado para o preço de atacado ele paga o preço de varejo indicado na etiqueta.

Sobre o Assaí Atacadista

O Assaí Atacadista possui 86 unidades em 13 estados (AL, BA, CE, DF, GO, MS, MT, PB, PE, PR, RJ, RN, SP). Negócio de atacado do GPA, a rede opera com o formato Cash&Carry, conhecido como atacado de autosserviço e está em plena expansão. Em 2014, a rede inaugurou nove novas unidades no Brasil e presença em quatro regiões do País. A rede fechou 2014 com vendas líquidas de R$ 8,3 bilhões, expansão de 32,7% em relação ao ano anterior.

A rede oferece 7 mil itens entre mercearia, alimentos, perecíveis, embalagens, bazar, higiene, hortifrúti, bebidas e limpeza, de grandes marcas nacionais, regionais e importadas. Baixo custo operacional, preços competitivos, mix e volumes de mercadorias adequados ao seu publico alvo são os principais diferenciais da rede. Consulte no site da rede os dias e horários de funcionamento das 86 lojas da rede www.assai.com.br

Sobre o GPA

Líder no varejo alimentar e de eletrônicos no Brasil, com receita bruta de R$ 64,4 bilhões registrada em 2013, o GPA é uma empresa do Grupo Casino, uma das maiores empresas de varejo mundial. Fundado em 1948, atua em 19 Estados brasileiros e no Distrito Federal. A Companhia encerrou o ano com 156 mil colaboradores – maior empregador privado do País – e 1.999 lojas, que totalizam 2,8 milhões de m² em área de vendas, além de uma infraestrutura logística formada por 54 centros de distribuição localizados em 14 Estados.

Para atender aos diferentes perfis de consumidores nos mais variados momentos de compra, o GPA mantém uma atuação multinegócio e multicanal, com lojas físicas e operações de comércio eletrônico, divididos em quatro segmentos - varejo, atacado de autosserviço, eletro (comercialização de eletroeletrônicos nas lojas físicas) e comércio eletrônico

Novas lojas Camicado: Fortaleza e Niterói

A Camicado, rede de lojas com 25 anos de atuação no mercado casa & decoração, inaugura dia 2 de abril duas novas unidades: em Fortaleza, no Shopping Iguatemi, e em Niterói, RJ, no Plaza Shopping. 

Uma das lojas da rede Camicado
PLAZA SHOPPING NITERÓI - NITERÓI / RJ

Com 317m², a nova loja recebeu investimento de quase R$ 1,5 milhão, e além de espaço especial para atendimento de noivas e lista de casamento, a loja conta com Espaço Gourmet, segundo da rede, concebido para oferecer cursos de gastronomia, degustações e assuntos ligados à culinária.

SHOPPING IGUATEMI FORTALEZA / CE

São aproximadamente 614m² e foram R$ 1,7 milhão de investimento para compor o novo layout da loja, que visa melhor circulação, iluminação e exposição de produtos, incluindo espaço criado especialmente para noivas e suas listas de casamento.

AÇÕES ESPECIAIS E SERVIÇOS OFERECIDOS

A inauguração prevê muitas surpresas, prêmios e serviços personalizados para promover a maior integração entre os consumidores, a Camicado e um acervo de itens cobiçados.
• O tradicional espaço para as noivas e Listas de Casamento, com consultora especializada, loja virtual e muitas vantagens (comodidade para o casal e convidados, e bônus de 3% sobre o valor total da lista, que é convertido em créditos aos noivos).
• Listas para Chá de cozinha, Chá-Bar, Open House, Bodas.
• Cartão Presente, opção prática para quem presenteia e bem-vinda para recebe, já que é recarregável e, consequentemente, reutilizável.
• Possibilidade de uso do Cartão Renner para pagamentos em até 6 vezes, sem juros

SOBRE A CAMICADO

Rede de lojas com mais de 25 anos de especialização no mercado casa & decoração, a Camicado tem grande variedade de produtos, entre artigos de decoração, utensílios de cozinha e domésticos, eletroportáteis, faqueiros, cama, mesa e banho. Com 60 unidades pelo Brasil, está presente nos Estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Distrito Federal, Goiás, Espírito Santo, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Mato Grosso do Sul, além de disponibilizar uma loja virtual no endereço www.camicado.com.br. Aprimorando permanentemente sua meta de proporcionar total facilidade ao cliente, a Camicado oferece atendimento personalizado e é especialista em lista de casamentos, já que os noivos podem encontrar itens para todos os ambientes da casa com qualidade e estilo.

Índice que avalia nível de estoques no comércio recua novamente em março

Para a Entidade, enquanto não houver controle da inflação, consumidor deve ficar mais conservador, reduzindo as vendas e desanimando os varejistas

O indicador que mede a percepção dos empresários em relação ao nível de estoques do comércio na região metropolitana de São Paulo (RMSP) apresentou, em março, queda de 2,9%, passando de 106,9 pontos em fevereiro para 103,9 pontos. No comparativo anual, a baixa foi ainda mais expressiva: 11%. Neste momento, a proporção de empresários que considera o seu estoque elevado demais é de 32,2%, a maior desde junho de 2011, quando a pesquisa começou a ser realizada. O recorde anterior havia sido atingido em dezembro do ano passado (30,8%).

Os dados são do Índice de Estoques (IE) da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), que capta a percepção dos comerciantes sobre o volume de mercadorias estocadas nas lojas e varia de zero (inadequação total) a 200 pontos (adequação total). A marca dos cem pontos é o limite entre inadequação e adequação.

Para a Federação, enquanto não houver sinais de controle da inflação, a tendência é que o consumidor fique mais conservador. Com isso, a queda nas vendas desanima os varejistas e torna o giro de estoques lento e custoso para as empresas. Vale lembrar que o custo de carregar o estoque está se elevando há mais de meio ano, com a alta continuada dos juros bancários. Ao mesmo tempo, a inadimplência das pessoas jurídicas está crescendo, confirmando o mau momento pelo qual passam as empresas no País.

De acordo com a assessoria econômica da FecomercioSP, a forte elevação da percepção de inadequação de estoques em março ocorreu principalmente por parte de lojistas que veem seus estoques como elevados. Por outro lado, a proporção de empresários que percebem os estoques abaixo do adequado caiu. Ou seja, se nos meses anteriores a situação dos estoques se deteriorou por bons motivos (como o aumento da proporção de estoques percebidos como baixos), neste mês, a retração do índice foi motivada apenas pelo aumento da quantidade de empresários que acreditam possuir estoques em demasia. O fim do ciclo de estoques, que havia sido entrevisto com os resultados de janeiro e fevereiro, volta a ser adiado.

A FecomercioSP destaca ainda que, mesmo com essa queda de demanda relativa, os preços na economia continuam subindo. Foi criado o pior dos mundos: queda de consumo com alta de preços. Não será fácil quebrar esse círculo vicioso enquanto não houver ganhos vigorosos de confiança dos empresários na capacidade do governo em gerar respostas à economia, algo que passa pelo processo político, hoje pouco favorável.

Nota metodológica

O Índice de Estoques é apurado mensalmente pela FecomercioSP desde junho de 2011, com dados de cerca de 600 empresários do comércio nos municípios que compõem a região metropolitana de São Paulo. O indicador vai de zero a 200 pontos, representando, respectivamente, inadequação total e adequação total. Em análise interna dos números do índice, é possível identificar percepção dos pesquisados relacionada à inadequação de estoques para "acima" (quando há a sensação de excesso de mercadorias) e para "abaixo" (em casos de os empresários avaliarem falta de itens disponíveis para suprir a demanda em curto prazo).

Sobre a FecomercioSP

A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) é a principal entidade sindical paulista dos setores de comércio e serviços. Congrega 155 sindicatos patronais e administra, no Estado, o Serviço Social do Comércio (Sesc) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac). A Entidade representa um segmento da economia que mobiliza mais de 1,8 milhão de atividades empresariais de todos os portes. Esse universo responde por 11% do PIB paulista - aproximadamente 4% do PIB brasileiro - e gera em torno de cinco milhões de empregos.

MorumbiShopping promove a adoção de cães vira-latas no próximo domingo

Evento Adote um Vira-Lata chega a sua 12ª edição

Reconhecidos por sua inteligência, alegria e companheirismo, os vira-latas ganham cada vez mais espaço no coração das pessoas que estão em busca de um animal de estimação. Para estimular e aumentar o número de adoções, o MorumbiShopping promove uma nova edição de seu projeto Adote Um Vira-Lata no próximo domingo, dia 29.

A 12ª edição do evento acontece em parceria com a ONG Clube dos Vira-Latas das 11h às 18h no estacionamento do Piso G4 e também terá sorvetes da Ben&Jerry’s e pôsteres temáticos da Urban Arts para apaixonados por cães. O Adote um Vira-Lata já encontrou novos lares para mais de 160 animais.

Quem quiser levar um companheiro para casa deve ter mais de 18 anos, apresentar documento com foto e comprovante de residência e também passará por uma entrevista com os responsáveis da organização, que irão instruir sobre os cuidados e procedimentos necessários. Todos os cães que participarão do evento estão devidamente castrados, vacinados e vermifugados.

Os clientes que também abraçam essa causa, mas não podem levar um dos cãezinhos para casa, poderão doar no dia do evento ração, acessórios, produtos e itens variados que serão aproveitados para os cuidados dos animais.

Serviço – 12º Adote um Vira-lata no MorumbiShopping
Data: 29 de março, das 11h às 18h
Local: Estacionamento do Piso G4, próximo à Cia Athletica
Como adotar: Ter mais de 18 anos, apresentar RG, CPF e comprovante de residência e realizar entrevista com responsáveis da ONG.
Endereço: Av. Roque Petroni Jr., 1089 – São Paulo/SP

AD assume a administração do Atrium Shopping


A AD passa a administrar o Atrium Shopping, localizado em uma das principais vias de Santo André, região metropolitana de São Paulo. O empreendimento contará com o primeiro Poupatempo da cidade, que está sendo construído em uma área de 3.200 m², com uma estrutura moderna e capacidade para atender 4.400 pessoas por dia. A inauguração acontece ainda no primeiro semestre deste ano.

No Atrium encontram-se as principais lojas-âncoras do varejo e a Rede Cinemark, que reúne sete salas, sendo uma delas dotada de tecnologia XD (Extreme Digital Cinema). Além disso, o empreendimento está inserido em um projeto multiuso, composto por cinco torres residenciais, um hotel e um centro empresarial, que tem suas obras previstas para conclusão no segundo semestre deste ano.

A chegada a Santo André reforça a presença da maior administradora independente de shopping centers do País na Região Sudeste. Hoje a AD conta com um portfólio de 31 empreendimentos, espalhados nas cinco regiões do País, que totalizam um patrimônio administrado de R$ 4,710 bilhões.

Promoções Absurdas: Meu Deus! Olha o nome dessa loja!

Algumas vezes encontramos alguns nomes de loja que realmente parece que o dono não quer levar o negócio muito a sério. É sério mesmo esse nome?

Falando sério mesmo, sem tom de brincadeira, pode até parecer engraçado no momento, mas imagine que o negócio tenha sucesso, você precise expandir, ou pense até em franquear...seria muito difícil captar o interesse de novos empresários para o negócio, não acham?



Um grande abraço e boas vendas

Caio Camargo
Editor
+Falando de Varejo
(siga a gente no Google+)

Imaginarium inova e aposta em expansão com o modelo Fit

Novo formato de franquia tem investimento acessível e aumentará a presença da marca em mercados inéditos

A Imaginarium inicia 2015 com um novo modelo de franquia: batizado de Fit, o negócio é a aposta da empresa para reforçar a presença da marca em novos mercados. Com investimento inicial de até R$ 129.000, a proposta se destaca por seu projeto arquitetônico adaptável a cada ponto comercial; operação simpli¬ficada; investimento acessível e resultados atrativos. "O modelo FIT chega para atender regiões a partir de 100.00 habitantes onde tínhamos menores possibilidades de adentrar muito em função dos custos da operação. Neste modelo mais enxuto bastante direcionado à lojas de rua, viabilizaremos operações rentáveis, com baixo investimento e uma rentabilidade bem atrativa - acima da média do mercado.", declara o gerente de expansão, Uggo Angioletti.

Novo modelo tem investimento inicial de até R$ 129.000,00
Com 177 operações exclusivas, sendo 167 lojas, 10 quiosques e 600 pontos multimarcas em todo o Brasil, a Imaginarium definiu a Fit como estratégia para manter o ritmo de expansão em cidades inéditas e também para fortalecer sua presença em mercados onde já atua e não comportam pontos de venda mais robustos. Em 2015, a empresa espera inaugurar 40 endereços, sendo 30 dentro da nova proposta nas seguintes regiões: sul, sudeste e nordeste.

O modelo Fit tem em torno de 30 a 35 m² e chega para complementar o vasto mix de possibilidades de negócios oferecidos pela marca, que totaliza 9 formatos: Master, Compact, Quiosque, Mini Quiosque, Love Brands, Na Medida, Na Medida Premium e E-Commerce. A Imaginarium prevê crescimento de 16% para 2015, capitaneada inovação em produtos, capacitação e treinamento de funcionários e também pela eficiência do novo modelo de expansão.

Completando 24 anos de história, a Imaginarium consolidou-se no mercado como gestora de marcas, logística, criadora de grandes ideias e produtos, além de ser reconhecida, nacional e internacionalmente, por antecipar conceitos e tendências em produtos para casa, uso pessoal, eletrônicos, moda e presentes, sempre com o fun design característico da marca. A marca ganhou em 2013 o 14º Selo de Excelência em Franchising (SEF) pela ABF. A premiação é concedida anualmente pela associação aos profissionais que mais se destacaram na prática da franchising.

Cencosud injeta US$ 350 milhões na filial brasileira

O grupo chileno Cencosud está liquidando quase a totalidade da dívida da companhia no Brasil, transferindo US$ 350 milhões para a operação ­ valor que corresponde a pouco mais de um terço do US$ 1 bilhão captados pela varejista em emissão de bônus no mercado internacional, como anunciado em fevereiro. A transação para liquidação dos débitos no país deve ser concluída no primeiro semestre, como antecipou ontem o Valor PRO, serviço de informações em tempo real do Valor. Desta forma, a dívida da filial se transformará num débito entre matriz e subsidiária ("intercompany"), com redução no custo financeiro para a operação brasileira. O grupo, dono das redes GBarbosa, Bretas, Prezunic, Perini e Mercantil Rodrigues, é o quarto maior supermercadista do país. Meses atrás, surgiram informações no mercado de que a empresa poderia vender ativos no Brasil para reduzir a dívida local.

A companhia nega que vá se desfazer de redes no país (eram 220 lojas em setembro de 2014), assim como nega que a captação de recursos pressione mais o nível de alavancagem do Cencosud, que subiu em 2014. Nos últimos anos, com a expansão dos negócios no país e a aquisição de concorrentes (que somou cerca de R$ 3 bilhões entre 2007 e 2011, calcula o Valor), o patamar de endividamento aumentou, sem resposta da receita operacional, que cresce abaixo da inflação. A empresa não informa relação entre dívida líquida e lucro antes de juros, impostos, amortização e depreciação (Ebitda, na sigla em inglês) no Brasil.

No grupo, em setembro de 2014, a relação entre dívida líquida e Ebitda ajustado estava em 3,77 vezes, versus 3,4 vezes no fim de 2013. Em setembro de 2014, o grupo informou em balanço dívida líquida de cerca de 2,81 trilhões de pesos chilenos (R$ 11,5 bilhões, considerando a cotação em setembro), versus 2,45 trilhões de pesos ao fim de 2013 (R$ 11 bilhões, na cotação de dezembro de 2013). "A emissão tem condições mais vantajosas do que aquelas negociadas com bancos no Brasil e isso já reduz custos. Além disso, ainda fechamos a operação de parceria com o Scotiabank [no ano passado, o banco passou a ter 51% do negócio de cartões de crédito da Cencosud], com a entrada desses recursos no caixa [do grupo]. Temos uma situação mais confortável", disse Sebastian Los, diretor financeiro da Cencosud Brasil.

O acordo anunciado com o Scotiabank no segundo semestre de 2014 envolvia cerca de US$ 1,3 bilhão pelo braço financeiro da Cencosud. A emissão de bônus informada em fevereiro envolveu US$ 650 milhões com vencimento em 10 anos, e outros US$ 350 milhões em 30 anos.

O custo da operação foi baseado nos juros do título da dívida do Tesouro americano, mais um spread de 3,375 % para o prazo de 10 anos, e de 4,2% para 30 anos. Cerca de 150 investidores participaram da operação, que inicialmente envolvia a captação de US$ 400 milhões, mas por causa da demanda, atingiu US$ 1 bilhão. A captação foi liderada pelos bancos HSBC e Scotiabank. A empresa não informa as condições da dívida liquidada no Brasil, mas tem como base a taxa básica (Selic), somado ao spread. Entre 5% a 10% da dívida da rede no país não foi paga porque a empresa entendeu que se tratam de emissões a custo baixo. Pelo perfil da dívida, metade era de vencimento a longo prazo e a outra metade a curto prazo.

Há oito anos no país, a companhia ainda tem dificuldades para crescer acima do mercado. No terceiro trimestre de 2014 (último dado disponível), as vendas somaram R$ 2,15 bilhões no Brasil, alta de 1,4%. É o país com a menor taxa de expansão entre as regiões onde o grupo está presente (Chile, Peru, Colômbia e Argentina). Isso fez crescer rumores de que a operação pudesse ser vendida. Mesmo que opte por esse caminho, o que a rede descarta, a questão está em como recuperar um investimento feito quando os preços das lojas estava em alta e, especialmente, como achar interessados. O mercado considera ativos com maior potencial de expansão as redes Bretas (MG) e Prezunic (RJ).

A empresa tem mencionado o desaquecimento no consumo para explicar o desempenho no país, mas analistas entendem que aquisições de algumas redes com fracos resultados afetam os números. Mudanças no modelo de gestão, nos cargos de chefia e descentralização na tomada de decisões foram ações tomadas para reverter resultados. "O único projeto que existe em discussão é o 'spin­off' da operação de real estate do grupo, e também não é nada formal ainda", disse o executivo.

Em janeiro, a Cencosud admitiu que considera a hipótese de separar a sua operação de shopping centers e bens imobiliários e fazer uma oferta pública inicial de ações desse braço na bolsa de Santiago, podendo, portanto, transferir dívida na área imobiliária para esta empresa. "Não há decisão a respeito [do spin­off], ainda estamos na fase de debater [o assunto]", disse.

Fonte: Valor

Jeep investe R$ 150 milhões em novas lojas para receber Renegade


A Jeep vai praticamente dobrar o número de concessionárias no país até abril para receber o novo Renegade. A marca está preparando a inauguração de 75 novas lojas, que devem abrir no dia 10 de abril, para dar início à comercialização do novo Jeep pernambucano, produzido no novo complexo industrial da FCA, em Goiana. As novas autorizadas deverão se juntar às 45 já existentes para somar 120 pontos da marca.

Segundo a Jeep, o plano de expansão injetou, em média, R$ 2 milhões em cada nova concessionária, somando um montante de R$ 150 milhões. Diante do valor investido, Sérgio Ferreira, diretor geral da Chrysler Brasil e diretor da Jeep para América Latina, acredita que a empresa está na contramão da crise do mercado. “Este montante é muito significativo. Trata-se da iniciativa de muitos empreendedores que apostam no crescimento da marca Jeep no Brasil”, afirmou o executivo, garantindo que a expansão da rede não irá afetar a qualidade no atendimento.

De acordo com a Jeep, dos 120 pontos de venda, 73 serão só da Jeep, sendo o Brasil o primeiro e único país ter lojas exclusivas. Além disso, cada autorizada irá empregar 20 funcionários, totalizando um quadro de 2.400 pessoas.

Tudo para atender a demanda esperada pela montadora com o lançamento do novo Renegade. Confiante, a Jeep aposta vender um volume próximo ao do Ford Ecosport, cerca de 50 mil unidades do carro no primeiro ano. E para que o cliente não fique prejudicado com falta de peças, a montadora trabalha para nacionalizar 80% dos componentes. Até que isso ocorra, a marca afirma já ter recebido o primeiro lote internacional de peças com capacidade para abastecer os três primeiros meses de venda do carro.

Segundo Ferreira, o atendimento completo desde a venda até o pós-venda é um dos diferenciais da Jeep. “A segunda compra virá por indicação, depois de um atendimento excepcional”. Para o diretor, a marca deverá crescer ainda mais. Até o final do ano a Jeep espera ter 200 lojas no Brasil.

Fonte: Abiesv

Super Nosso aposta em novo formato

A rede mineira de supermercados Super Nosso decidiu investir em lojas de proximidade. A ideia é inaugurar, ainda este ano, de cinco a dez lojas com o novo formato, cuja bandeira será Momento Super Nosso. Até o final de 2015, outras três ou quatro unidades convencionais também serão abertas. Segundo Rodolfo Nejm, diretor comercial da rede, as unidades do novo formato serão menores, com foco nos produtos perecíveis, naturais, além da comida japonesa.

Sem revelar números, Nejm conta que os investimentos serão maiores neste ano, já que contemplam os dois modelos de lojas. Em 2014, a rede abriu três unidades, incluindo uma loja do Apoio Mineiro. A previsão é de crescimento no faturamento no mesmo patamar de 2014, por volta de 14%.

Economia

Adilson Rodrigues, superintendente da Amis (Associação Mineira de Supermercados), diz que apesar de ser um segmento menos vulnerável às crises econômicas, a atividade enfrentará dificuldades fruto do aumento dos custos, em especial, da alta do preço da energia e do combustível. “Mas, estamos trabalhando para fazer parte da solução e não da crise. Estamos apostando em crescimento”, diz.

Fonte: O Tempo

segunda-feira, 23 de março de 2015

Damyller aposta em moda sustentável

Grife catarinense economiza uma média de três milhões de litros de água / mês

Muito mais que estar atenta às tendências do universo da moda, a Damyller, grife catarinense com mais de 30 anos de história no mundo fashion, acredita que a consciência ambiental está cada dia mais relacionada ao sucesso da empresa e de seus produtos.

Pensando nisso, há alguns anos, a Damyller tem investido em novas políticas e tecnologias voltadas à preservação do meio ambiente. Desde o final de 2010, a empresa utiliza um equipamento exclusivo e único no Brasil, que reforça ainda mais a responsabilidade com o uso da água: é a Máquina de Ozônio, que é usada no processo de fabricação do jeans. Com tecnologia espanhola, ela acentua o processo de limpeza das peças, sem utilizar produtos químicos e com uma redução significativa no uso da água.

Além de criar um efeito único nas peças, esterilizando o jeans e deixando-o com um aspecto ainda mais vintage, o equipamento permite a economia de uma tonelada de produtos químicos por mês, antes usados para promover a lavagem do denim, além dos produtos indiretos que seriam usados no tratamento dos efluentes. Outro benefício importantíssimo é a redução do uso de 3,3 milhões de litros de água (o suficiente para encher quase duas piscinas olímpicas), que deixam de ser usados no processo todos os meses.

"Para a Damyller a sustentabilidade não é somente uma questão de respeito ao meio ambiente. É também uma forma de mostrar o quanto a empresa considera e se preocupa com os funcionários e consumidores da marca. Por isso, investimentos constantes são feitos e vão desde a educação sobre a importância da coleta seletiva dos resíduos até o tratamento de toda água utilizada na empresa", destacou o sócio fundador da empresa, Cide Damiani.

Varejo tem assento no governo federal

Marcelo Maia, do Midct
O setor de comércio e serviços, que por vários anos puxou o crescimento da economia brasileira, com resultados bem acima do Produto Interno Bruto (PIB), finalmente terá uma representação na Esplanada dos Ministérios. Nesta semana, o Diário Oficial da União formalizará a nomeação do empresário varejista do Nordeste, Marcelo Maia, para comandar a recém-criada Secretaria Nacional de Comércio e Serviços do Ministério da Indústria, Desenvolvimento e Comércio Exterior (Midct).

O anúncio foi feito sábado (21), em Guarujá (SP), no 3º Fórum Nacional do Varejo, promovido pelo Lide - Grupo de Líderes Empresariais.

Aproximação

Presente ao evento, Marcelo Maia, oriundo de uma família de comerciantes do Nordeste e até recentemente representante do Instituto do Desenvolvimento do Varejo (IDV) na capital federal, disse que o ministro Armando Monteiro, titular do Midct, quer aproximar a inteligência e a estrutura do governo federal do setor de comércio e serviços. "Há uma grande disposição do ministério de reconhecer a importância do Varejo na cadeia de suprimento nacional", afirmou. Ivan Ramalho, secretário-executivo do Midct, representou o ministro no evento.

Fonte: DCI

Setor de artigos esportivos muda estratégia em 2015

O setor de artigos esportivos reformula suas estratégias para atrair o consumidor em um ano sem Copa do Mundo e sem Olimpíada.


Fabricantes reduziram custos e tendem a apostar mais na produção local já que o dólar deixou o produto importado mais caro. As varejistas, por sua vez, reforçam ações de marketing nas datas tradicionais do varejo e investem em eventos esportivos para promover suas marcas.

A Associação pela Indústria e Comércio Esportivo (Ápice), entidade que reúne as empresas Adidas, Alpargatas, Asics, Darkley, New Balance, Nike, Paquetá, Puma, SKechers e Under Armour, informou que as empresas desenvolvem inovações nos produtos fabricados localmente. O setor também estuda ampliar a fatia da produção local na receita e aumentar as exportações, disse Marina Carvalho, diretora presidente da Ápice. "As empresas associadas já têm um grande percentual de produção feita no Brasil e trabalha para aumentar esse percentual", disse Marina.

De acordo com o Instituto de Estudos e marketing Industrial (IEMI), a produção e a importação de roupas e calçados esportivos movimentou R$ 15,11 bilhões em 2014 no país. O montante é 6,8% superior ao registrado em 2013 e está em linha com o desempenho do setor de vestuário, que no ano passado cresceu 6,7%, para R$ 183,9 bilhões. Em volume, houve retração de 0,1%, enquanto o varejo de vestuário cresceu 1,5%. Para 2015, a previsão é que o setor tenha um crescimento similar ao do setor de vestuário, em torno de 2,5%, disse Marcelo Prado, diretor do IEMI.

Entre os fabricantes, a Puma, que patrocinou no ano passado oito seleções da Copa do Mundo, neste ano voltou­se a esportes de alta performance e moda casual. A companhia contratou atletas como o velocista Usain Bolt para uma campanha que mostra esportistas em atividades de lazer e esportes. Na área de produtos de moda casual, a companhia fez parcerias com empresas locais. No Brasil, a Puma fez um acordo com a carioca Homegrown para desenvolver em conjunto uma linha de tênis que será vendida globalmente. Constanza Novillo, gerente de marketing da Puma, disse que as linhas criadas com parceiros cresceram dois dígitos em vendas em 2014. "O ano de 2015 será difícil, vamos ter de administrar os impactos do aumento de custo com o dólar e inflação elevada. Mas estamos preparados para continuar crescendo no país", disse, sem citar números.Além da parceria, a Puma dobrou o número de pontos de venda no país neste ano.

A Oakley, que tem itens de moda associados a esportes como motociclismo, surf e skate, também ampliou a base de lojas para ampliar as vendas neste ano. Alexandre Santiago Andrade, diretor de negócios da Oakley para América Latina, disse que o mercado está retraído neste ano. Para crescer, a empresa reforçou campanhas para públicos segmentados como surfistas e adeptos de corrida. Também ampliou o mix enviado a redes de varejo, com peças de roupa. "Não só atletas consomem artigos esportivos. A ampliação da base de distribuição ajuda a alcançar outros consumidores", disse Alexandre Santiago Andrade, diretor de negócios da Oakley para América Latina. Ele estima para este ano um crescimento de 20% em vendas. A Oakley também vai ampliar a produção local de 10% do total em 2014 para 25% neste ano, como parte do plano para reduzir custos. Em 2014, as vendas da Oakley cresceram 15%, mas a meta era 20%. "A Copa teve um efeito positivo para as empresas com produtos ligados diretamente ao futebol. Para outras companhias, o evento, na verdade, deixou o mercado mais morno, por causa dos feriados", afirmou Andrade.

A brasileira Alpargatas, que trabalha com as marcas Mizuno, Topper e Rainha, também reformulou suas linhas. Márcio Utsch, presidente da Alpargatas, disse que a companhia simplificou o portfólio das marcas Topper e Rainha e reduziu custos de produção. Ele considera que os produtos Topper e Rainha podem ter melhor desempenho neste ano, em que o cenário macroeconômico está mais difícil. "As marcas de menor preço estão num momento muito propício para crescer", disse Utsch, recentemente, ao Valor. Em relação à Mizuno, Utsch disse que vai realizar campanhas de marketing mais agressivas neste ano. Em 2014, as vendas de artigos esportivos da companhia caíram 6,8%, para 10,2 milhões de pares. A companhia não divulgou uma projeção para 2015. No varejo, as empresas esperam elevar vendas em datas comerciais, como Dia dos Pais e Dia dos Namorados.

O grupo SBF, dono das lojas Centauro, By Tennis e Nike Store, informou que a Copa do Mundo ajudou a empresa a crescer 17% em faturamento em 2014, para R$ 2,6 bilhões. "A Copa estimulou a venda de camisas oficiais da Seleção e bolas", disse Pedro Zemel, diretor executivo de vendas do grupo SBF. A empresa não deu previsão para 2015, mas informou que, no primeiro bimestre, as vendas cresceram dois dígitos. Zemel disse que a SBF vai aproveitar datas comerciais para alavancar as vendas.

A Netshoes, varejista on­line, seguirá a mesma estratégia para ampliar as vendas mensais. "O desafio é ter múltiplos médios mensais mais altos para compensar o efeito da Copa", disse Juliano Tubino, diretor de marketing da Netshoes. No primeiro bimestre deste ano, as vendas da Netshoes cresceram dois dígitos, mas a companhia vê um cenário difícil para manter esse ritmo. A meta é realizar ou participar de pelo menos um evento esportivo por trimestre neste ano. Em fevereiro, a empresa realizou a Netshoes Fun Race, corrida realizada em São Paulo, que contou com 4 mil participantes.

Fonte:Valor