sexta-feira, 30 de abril de 2021

1º Linx Vision Trends debate desafios da digitalização das óticas

Evento abordará a transformação digital das óticas com especialistas e grandes nomes do mercado. 1º Linx Vision Trends debate desafios da digitalização das óticas

A Linx, líder e especialista em tecnologia para o varejo, realizará na quarta-feira (05), das 17h30 às 20h30, o evento virtual, aberto ao público e gratuito "Vision Trends - Digitalização de processos: desafios e oportunidades nas óticas". Com diversas palestras e um painel para debate, grandes varejistas e especialistas comentam a evolução e expansão do segmento, novos desafios e hábitos de consumo da pandemia, as principais estratégias e recomendações para a digitalização e casos de sucesso do varejo ótico. 



Caio Camargo, diretor comercial da Linx, afirma que é o primeiro evento da empresa voltado às óticas e que o objetivo é trazer conteúdo qualificado para o varejista se atualizar com as principais tendências do mercado. "A transformação digital alcançou praticamente todos os segmentos do varejo – virou questão de sobrevivência. Mesmo as óticas, que tem grande influência da loja física, têm investido na digitalização consistentemente e mostrado resultados interessantes", comenta. 

Para o especialista, com a rápida mudança para o digital, as óticas estão se reinventando e passando por um processo de testar formatos digitais. "O consumidor tem uma jornada de compra específica e gosta, por exemplo, de provar os óculos. Como preencher essa lacuna e proporcionar uma experiência completa no on-line? Criamos o Vision Trends para ajudar a definição de estratégia do varejista e acompanhar a evolução do setor neste e nos próximos anos!", finaliza. 

Confira a agenda com os participantes e o link para a inscrição: 

Evento: Vision Trends - Digitalização de processos: desafios e oportunidades nas óticas

Data: quarta-feira,05/05, das 17h30 às 20h30

Inscrições: https://mkt.linx.com.br/linx-vision-trends

Agenda:

  • 17h40 - 18h: "A ótica em nova perspectiva: o futuro já começou", por Claudia Cunha, da Espectro Consultoria;

  • 18h05 - 18h25: "A evolução da ótica, a exemplo de outros países", por Rafael Rodrigues, Country Manager da CECOP Brasil;

  • 18h30 - 18h50: "A expansão de óticas no mercado brasileiro", por Gustavo Freitas, CEO do Mercadão dos Óculos;

  • 18h55 - 19h10: "A digitalização do ponto de venda físico", por Clédison Gonçalves, Sócio Fundador da VisioLens;

  • 19h10 - 19h25: "Case de lojas físicas digitalizadas em sintonia com os novos hábitos do consumidor", por Gilberto Caray, Diretor de Transformação das Farmácias Pague Menos;

  • 19h25 - 20h25: Painel "Os desafios da ótica: o PDV está pronto para os novos hábitos do consumidor?" com participação de todos os palestrantes e mediação de Andrea Tavares.


    Participe!

quinta-feira, 29 de abril de 2021

Uma nova ótica para um novo varejo

A pandemia deixou nítido que adiar a transformação digital não é mais uma opção. É por isso que as compras online geraram 68,2% de aumento no faturamento do varejo em 2020 e que a projeção para este ano é crescer mais 18%, segundo a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (Abcomm) e a Neotrust|Compre&Confie.

O segmento ótico também entendeu o recado e, com o fechamento do comércio físico, se desdobrou para vender online. Resultado do esforço, um estudo da Grand View Research projeta crescimento médio geral (físico e digital) de 8,1% anualmente até 2027. E ainda há muita oportunidade: apenas três dos 300 maiores varejistas do País são do segmento ótico – apenas 1% -, de acordo com a Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo (SBVC), ao passo que a Academia Americana de Oftalmologia estima que 49% das pessoas terão algum problema visual até 2050. Tudo isso somado ao potencial de expansão que o varejo online proporciona.

Porém, a tarefa de se digitalizar não é simples. Se o varejo como um todo passou por uma adaptação rápida para vender online, as óticas estão em um processo de reinvenção urgente. Isso porque, culturalmente, comprar óculos é algo que se faz presencialmente – afinal, há toda a experiência de provar os modelos e conversar sobre as características de cada um, além da parte técnica quando é necessário confeccionar lentes de grau. Como fazer sua ótica alcançar, então, esses potenciais clientes, atualmente reclusos em casa e que têm mudado seus hábitos de consumo para o digital permanentemente?

Marketplaces, e-commerces e redes sociais para vendas, como o WhatsApp, são uma boa primeira resposta para incluir na jornada digital da loja, mas não podem jogar sozinhos. A integração de canais precisa vir junto e tem se mostrado uma alternativa forte para os pequenos e grandes varejistas do segmento neste momento de pandemia, disponibilizando, por exemplo, a compra online para a retirada na loja ou a compra na loja para receber em casa. Aliar isso a boas opções de troca de produtos e de vouchers fazem a diferença na conversão da venda.

A ideia de integrar os canais é que a atuação online seja como uma extensão da física. Ter uma estrutura com diferentes pontos de contato com o cliente não apenas melhora o atendimento como faz diferença no faturamento: a Harvard Business Review constatou que 73% dos consumidores usam vários canais para se relacionar com as empresas, e os que utilizam mais de quatro canais gastam, em média, 9% a mais do que os outros.

Mas, como falamos, a digitalização das óticas significa mais do que ter um e-commerce. É preciso recriar – ou reinventar – a experiência do presencial no online. Para o cliente que faz questão de provar o modelo dos óculos, por que não oferecer a possibilidade de experimentar os óculos online, como um filtro de Instagram? Ou, a fim de realizar um orçamento prévio de lente online, fazer um pré-exame de vista em um aplicativo?



Devemos ver estas e outras funcionalidades se popularizarem em um futuro próximo conforme os varejistas se munirem de informações para conhecer o cliente. Esse é e sempre será o segredo do varejo: entender o comportamento do seu consumidor. A lógica é simples: para propor o produto ou serviço correto, na hora certa, é preciso conhecer bem o perfil de quem compra e, com base em dados, antecipar o seu comportamento, construindo uma experiência de compra excepcional.

Com o perdão do trocadilho, o varejista do segmento precisa de uma nova ótica para enxergar a importância estratégica dessas ações e novas tendências. A mudança de mentalidade, antes de qualquer nova tecnologia, é o primeiro passo para a evolução das óticas neste novo período de consumo que vivemos.

Um grande abraço e boas vendas

Caio Camargo | falandodevarejo.com

Em comemoração aos 40 anos, cachaça Seleta lança edição comemorativa com rótulo especial

A intenção da campanha é, além de comemorar toda sua trajetória de quatro décadas, compartilhar este momento especial com seus clientes



Localizada em Salinas, cidade do sertão de Minas Gerais, a Cachaça Seleta é conhecida como a maior produtora de cachaça artesanal do Brasil e acaba de completar 40 anos.

Para comemorar essas quatro décadas de sucesso e muito empenho, a Seleta decidiu lançar uma edição especial: a Seleta Edição Comemorativa 40 Anos. Com rótulos dourados, harmonizando perfeitamente com a cor da cachaça.

A Seleta busca, através deste lançamento, comemorar essa data tão simbólica com seus clientes, é um item também que não pode faltar nas adegas dos colecionadores. 

Sobre a Seleta

A história de uma das cachaças de alambique mais tradicionais - e apreciadas - do país começou com a ousadia do salinense Antônio Rodrigues que, em 1980, fundou a Seleta. Toda a produção da Seleta está concentrada na Fazenda Engenho dos Rodrigues, em Salinas-Mg.


Conhecida como a Capital Nacional da Cachaça, Salinas recebeu em 2012 o selo de Indicação Geográfica do INPI pelas características do clima, solo e localização geográfica, responsáveis pela singularidade das cachaças produzidas na região. 


Além da edição especial, o site da marca também está totalmente repaginado:


“Quarentamos! É uma data muito especial, pois não é qualquer marca que atinge esta idade com o reconhecimento que a Seleta tem. Pensamos em uma forma de compartilhar a comemoração com quem nos trouxe até aqui, agradecendo aos nossos fiéis clientes e consumidores, por isso pensamos em um rótulo especial.


Além disso, como parte do pacote 40 anos, lançamos recentemente a bebida mista Seleta Eu Garanto com Mel e Baru e repaginamos totalmente nosso site para acompanhar a evolução dos nossos clientes. Logo lançaremos nosso e-commerce, e outras novidades virão por aí.” explica Gilberto Luiz, diretor executivo da empresa.


Status de bebida Premium


Mundialmente conhecida como um dos principais patrimônios gastronômicos do Brasil, a cachaça hoje possui status de bebida requintada, mas não foi sempre assim.


Marginalizada por muito tempo como a bebida da classe operária, em detrimento ao whisky escocês consumido pela elite, hoje a cachaça divide as prateleiras do mundo com os mais tradicionais e famosos destilados. Sua condição de bebida democrática e o status que hoje possui se deram graças ao empenho de marcas renomadas do mercado ao agregar-lhe valor através de ingredientes selecionados, como é o caso da Seleta.


Tudo começou quando Antônio Rodrigues, conhecido como o Rei da Cachaça, decidiu mudar a percepção que as pessoas tinham sobre a bebida e mostrar que a cachaça é um destilado de excelente qualidade e que pode ser apreciado de diferentes maneiras.


Hoje, a Seleta possui mais de 100 colaboradores, produtos de alta qualidade e se tornou uma marca consagrada com status de bebida Premium com preço acessível, passando a ser referência no segmento, recebendo também premiações e reconhecimento em todo concurso que participa.


Entre os prêmios mais recentes, a Seleta conquistou medalha de ouro no Concurso Vinhos e Destilados do Brasil; Concurso Anual e Nacional da Cachaça, Bebidas Mistas e Outros Destilados da Expocachaça e no Spirits Selection by Concours Mondial de Bruxelas.


Melhor destilado de Cana de Açúcar do Mundo


O mais recente prêmio conquistado no concurso International Sugarcane Spirits Awards, onde participam as bebidas destiladas de Cana de Açúcar como Cachaça, Aguardente, Melaço, Xarope e Rum, atesta toda a qualidade da marca.


Além de acrescentar à sua coleção a medalha de ouro Tasting Awards 2020, dentre mais de 100 participantes, a Cachaça Seleta teve a melhor nota da América do Sul em todas as categorias, e, olhando exclusivamente a categoria envelhecida até 3 anos, obteve a nota mais alta do mundo.


“Isso demonstra nossa preocupação constante em ser referência em qualidade e ofertar aos nossos consumidores experiências cada vez mais prazerosas. Queremos comemorar os 40 anos e garantir que os próximos 40 sejam ainda melhores...” Acrescenta Gilberto Luiz.

Rede paranaense de pastelarias lança produto para comercialização em food service e estabelecimentos comerciais

Referência no mercado nacional, a rede Bangalô dos Pastéis desenvolveu uma linha exclusiva de minipastéis, com preparo rápido e prático

Atingidos pela pandemia há mais de um ano, diversos negócios precisaram se reinventar para atender novas demandas que surgiram e continuam surgindo nessa nova realidade. Um exemplo disso é a rede de pastelarias Bangalô dos Pastéis. A empresa paranaense, além de continuar sua rotina de entrega por delivery, desenvolveu novos produtos para facilitar ainda mais a vida do consumidor que tem passado mais tempo em casa.



Agora, a rede acaba de anunciar sua linha de minipastéis, que terá como foco a comercialização em food service e estabelecimentos comerciais. De acordo com o diretor comercial do Bangalô do Pastéis, Thiago Kunterman, o produto é mais um diferencial da marca em um momento em que o mercado exige readequação. ‘‘O cliente vai poder ter a experiência de fritar seu próprio pastel, no conforto de sua casa, mas sabendo que tem a qualidade e sabor que ele só encontra no Bangalô’’, diz. ‘‘Os minipastéis são práticos e rápidos de se fazer, o que vai facilitar para quem tem o dia a dia corrido ou cronometrado’’, complementa.

A novidade está disponível em caixas com 24 unidades. São caixas com 200g e os sabores são carne, pizza e mussarela.  O valor do produto pode variar, dependendo do local, mas, em média, custa R$ 14,90.

E-commerce brasileiro registra expansão de 91% no primeiro trimestre, indica Mastercard SpendingPulse

O período (jan-mar) registrou números positivos e um crescimento histórico nas vendas online em comparação com o ano anterior

O setor do e-commerce brasileiro fechou o primeiro trimestre de 2021 com crescimento histórico nas vendas. De acordo com o Mastercard SpendingPulse™, que mede as vendas no varejo online e nas lojas em todas as formas de pagamento, as vendas online do Brasil*, registraram uma evolução de 91,6% ano após ano para o trimestre. Impulsionado pelas imposições de distanciamento social, o mês de março registrou expansão de 84,7% no comparativo com o mesmo período de 2020.


Segundo Estanislau Bassols, Gerente Geral da Mastercard Brasil, essa expansão no mercado está diretamente alinhada com o atual cenário de digitalização da indústria na região: "Após um ano em que o cenário pandêmico acelerou toda a digitalização da indústria, pudemos ver, no primeiro trimestre, um crescimento histórico no e-commerce, nunca visto em um período de 10 anos. Esses dados reforçam a contínua e crescente preferência dos consumidores por novas tecnologias e pelo consumo online. Como empresa de tecnologia, a Mastercard continuará trabalhando para que esse formato siga crescendo e tornando nossas comunidades mais digitalizadas, sustentáveis e inclusivas para todos", completa Bassols.

Em comparação com o mesmo período do ano passado, os setores de eletrônicos (+134,1%) e farmácia (+102,4%), vivenciaram as expansões mais significativas no país.

Vendas do varejo em lojas físicas

Por outro lado, o varejo físico brasileiro, registrou queda de -4,4% no primeiro trimestre, e -7% em março. Contudo, é importante ponderar que março de 2020 foi um mês de grande expansão para o varejo físico, pois os consumidores fizeram compras maiores e estocaram mantimentos por conta do início da pandemia da Covid-19 e das medidas de distanciamento social.

Em termos de vendas totais do varejo, todas as regiões apresentaram desempenho inferior ao crescimento das vendas do varejo nacional no trimestre, em relação ao mesmo período do ano passado: Centro-Oeste (-7,1%), Sul (-5,6%), Sudeste (-4,1%), Nordeste (-3,9%) e Norte (-0,3%) .

*Vendas no comércio eletrônico são vendas de bens e serviços nas quais o comprador faz um pedido ou o preço e os termos da venda são negociados pela Internet, em dispositivo móvel (M-commerce), extranet, rede EDI (Electronic Data Interchange), correio eletrônico ou outro sistema online comparável. O pagamento pode ou não ser feito online.

Sobre Mastercard SpendingPulse

Mastercard SpendingPulse é um indicador macroeconômico de vendas no varejo em todos os tipos de pagamento em certos mercados globais. Os relatórios baseiam-se na atividade agregada de vendas na rede de pagamentos da Mastercard, combinada com estimativas baseadas em pesquisas para determinadas outras formas de pagamento, como dinheiro e cheque. Os relatórios e o conteúdo do Mastercard SpendingPulse, incluindo previsões estimadas de tendências de gastos, não contêm, refletem ou se relacionam de forma alguma com o desempenho operacional ou financeiro real da Mastercard ou com dados específicos do emissor do cartão de pagamento.

quarta-feira, 28 de abril de 2021

Como garantir o sucesso da sua franquia em 2021

O ano de 2020 foi marcado pela pandemia da Covid-19 e pelos longos meses de isolamento que a população tem passado para evitar o contágio da doença. Como consequência, o comércio enfrentou uma crise que prejudicou muito o desempenho do setor. Segundo dados da Associação Brasileira de Franchising (ABF), o segmento também sofreu os impactos da crise, uma vez que o mercado de franquias teve queda de 10.5% no faturamento no ano passado. Apesar disso, para 2021 o cenário é promissor, já que muitos autônomos estão buscando negócios mais sólidos para investir.



Mas, para obter uma franquia de sucesso, não basta só abrir uma loja: é necessário disciplina e estratégias para que a empresa se destaque em meio a tantas opções.

Para uma marca sair na frente das demais ela deve ter a própria personalização, ou seja, cada vez mais customizar e entender a vontade dos clientes. É necessário ter em mente que as pessoas são únicas e que devemos nos comunicar com elas de forma individualizada. Além disso, a proximidade com o consumidor é essencial para ele saber que a sua marca transcende o produto. Dessa forma, estar presente em todos os canais de comunicação é fundamental para que o público escolha a forma como deseja manter o contato, ainda mais na Era Digital.

Outro ponto que também é primordial para o bom êxito da rede é ter um relacionamento de confiança com os franqueados. De nada adianta a franqueadora ter milhares de ideias, colocar energia para criar e inovar se o franqueado não concordar com os planos. Até Por isso é importante, ao optar por uma franquia, entender como é o negócio, como funciona o produto, a área, as táticas que deve seguir e como comandar e estabelecer a companhia. Uma dica que dou é: converse bastante com todos os envolvidos no projeto para ter uma noção do DNA da empresa, de como será sua rotina e suas demandas. Temos que ter cuidado com os detalhes, entender a necessidade do mercado e não parar de modernizar. Se me cabe dar um conselho: sempre deixe claro para o cliente qual é o seu propósito, pois cada vez mais percebemos que as pessoas se conectam com uma causa, muito além do produto - e isso faz toda a diferença nos dias de hoje, vai por mim!

Artigo escrito por Veronicah Sella, cofundadora da marca Criamigos, rede de franquias de pelúcias personalizáveis.

5 vantagens do Pix para o e-commerce

O Pix, novo meio de pagamento criado pelo Banco Central para simplificar as transações financeiras, promete melhorar os pagamentos digitais no Brasil, podendo se tornar um grande aliado aos e-commerces. Mas, por que as operações – tanto as B2C quanto as B2B – devem adotar o Pix? As vantagens deste modelo envolvem uma gama variada de benefícios para empresas e consumidores, os quais podem ser vistos abaixo.


Agilidade e disponibilidade de pagamentos – o Pix está disponível sete dias por semana, 24h por dia, de forma on-line e instantânea, oferecendo uma alternativa a meios de pagamentos como boletos bancários, que podem levar até três dias úteis para serem processados. Nesta nova modalidade, o pagamento é confirmado no ato da compra, independente do dia e horário, propiciando liquidação imediata da transação, além de apoiar na saúde do fluxo de caixa dos lojistas.

Entregas mais rápidas – uma vez que os pagamentos são confirmados instantaneamente, os demais processos para efetivar a compra, como emissão de nota fiscal e envio dos produtos a transportadoras, são agilizados e, com isso, as entregas podem acontecer em menos tempo que o previsto, resultando em mais satisfação pelo cliente.

Diminuição de reservas de estoques – um grande gargalo do e-commerce são os boletos gerados e não processados. Essa modalidade de pagamento exige que o lojista faça a reserva dos itens e, quando ela não é efetivada, o produto volta ao estoque. Vale lembrar que esse cenário é especialmente prejudicial para as empresas em datas  de muito movimento, como a Black Friday, que apresentam alto índice de desistências de compras efetuadas por boletos. Nesse sentido, o Pix favorece oportunidades de compras imediatas enquanto as promoções estão ativas.

Democratização das compras no e-commerce – com o Pix, pessoas sem acesso a cartões de crédito ou débito poderão comprar on-line utilizando o saldo disponível em suas contas. É uma forma de acessibilidade e democratização das compras on-line ao mesmo tempo em que traz a abertura de um novo público de potenciais clientes para os lojistas. Entretanto, o Pix não irá concorrer com o cartão de crédito, pois, para o comprador brasileiro, os prazos de pagamentos próprios e favoráveis dessa modalidade ainda são questões culturais muito fortes.

Custos mais baixos para lojistas – para os consumidores, o Pix é uma modalidade de transferência de valores gratuita. Já para o lojista, ele representa taxas menores do que a dos meios atuais, o que pode ser convertido em mais flexibilidade na hora de oferecer descontos e fazer promoções. Além disso, a tendência é de que bandeiras baixem suas taxas para se manterem competitivas frente a este novo método de pagamento.

Mais do que compor o portfólio de meios de pagamentos, o Pix deve agilizar o processo de compras no e-commerce e trazer vantagens para empresas e clientes dado o caráter instantâneo, a abrangência de público e as taxas mais baixas. Para as empresas que desejam implementar essa nova modalidade de pagamento em seus e-commerces, vale lembrar que ela deve proporcionar experiências de compras amigáveis, sem mudanças de telas no checkout e que seja funcional para todos os tipos de dispositivos. 

Artigo escrito por Rafael Martins, CEO do Grupo Máxima, líder em soluções de força de vendas e e-commerce, trade marketing e logística para a cadeia de abastecimento.

Sem medo, empreendedores investem em negócios não essenciais durante a pandemia

Apostando em vendas online, delivery e ações de marketing, dificuldades não acabam com o sonho de empreender dos brasileiros


Mesmo em meio a maior crise sanitária e econômica, empreendedores brasileiros continuaram a abrir negócios considerados não essenciais durante a pandemia. No período de um ano, foram abertas mais de 3,5 milhões de empresas, sendo que o melhor mês foi em janeiro de 2021 e o pior em abril de 2020, dados apontados pelo Mapa das Empresas divulgado pelo Ministério da Economia. Apesar do vaivém das medidas restritivas, para muitos empreendedores o período foi de oportunidades.

É o caso do casal de empresários Daniela Reimão e Carlos dos Anjos, que inauguram no bairro de Perdizes, Zona Oeste da capital paulista, uma franquia da Anjos Colchões & Sofás. Os dois trabalhavam na área de tecnologia e, em março de 2021, optaram pelo franchising e decidiram colocar em prática o projeto de empreender. Com as medidas de isolamento e o fechamento do comércio não essencial, utilizaram os canais do whatsapp para realizar as vendas.

Outro exemplo de empreendedores que se arriscaram em meio a pandemia e recorreram ao franchising para abrir o próprio negócio foi o casal Rosana Vasco Tomé de Sousa e Aguinaldo Tomé de Sousa, ambos administradores de empresas, que abriram no bairro de Moema, Zona Sul da capital paulista, uma loja da rede Chocolateria Brasileira. Os franqueados contam que a oportunidade de negócios surgiu em uma boa hora. Devido uma queda nos preços das locações de pontos comerciais, encontraram uma excelente localização para empreender. Durante as medidas impeditivas para abertura do comércio, as vendas são realizadas via delivery, através do WhatsApp e também em parceria com o aplicativo iFood.

Já para Francisca Fortunato, que trabalhou por muitos anos com marketing, empreender em meio à crise trouxe um desafio ainda mais saboroso - que muito tem a ver com o negócio escolhido -, a rede Bendito, de cookies, brownies e cafés. Como a inauguração da loja coincidiu com o início da quarentena, ela ficou ainda mais próxima dos clientes, por meio das entregas e retiradas na porta da loja, que permaneceu fechada por bastante tempo. Depois, com a flexibilização, sentiu que o primeiro contato com os clientes, mesmo que de longe, foi suficiente para fidelizá-los, ainda que com pouco tempo de operação. As vendas são feitas por meio do delivery como Ifood, Rappi e contato direto com a loja, via WhatsApp.

Mesmo diante de todas as incertezas do mercado, o consumo do pão, principalmente o francês, é quase obrigatório. Em São Paulo, a mais populosa cidade do Brasil, por exemplo, o consumo durante a pandemia pulou de 18 para 20 milhões de unidades ao dia, segundo dados do Sindicato dos Industriais de Panificação e Confeitaria de São Paulo, o Sampapão. Aproveitar essa paixão e atrelá-la a um modelo de negócio fez com que a PremiaPão, franquia que comercializa espaços publicitários em saquinhos de pães, conseguisse manter confortável o crescimento em 2020, mesmo diante do cenário desfavorável que se descortinou ao longo do ano, e vendesse 113 franquias no período, arrecadando um montante de R$ 3 milhões.

Espaçolaser anuncia sua 600ª unidade

Com abertura da loja Heliópolis nesta terça (27), a companhia Top of Mind em depilação a laser no Brasil, celebra 600 unidades em operação e reforça sua missão de democratizar o procedimento



A Espaçolaser, maior rede de depilação a laser do Brasil e do mundo, que visa democratizar à tecnologia e proporcionar bem-estar por meio da remoção dos pelos indesejados a todas as classes sociais, dá continuidade ao seu plano de expansão e anuncia a abertura de sua loja 600ª, em Heliópolis.

Além do marco que a nova loja representa para companhia, chegar ao bairro de Heliópolis reforça os seus objetivos de negócio, de promover a acessibilidade do serviço e ampliar sua presença nacionalmente. Somado a isso, a inauguração traduz a atenção e os olhares de uma marca sobre as necessidades e hábitos do seu público consumidor, que tem valorizado cada vez mais os inúmeros benefícios do tratamento, como eficiência, durabilidade, comodidade e, inclusive, economia da substituição dos métodos convencionais, cera e lâmina, pelo laser.

“Hoje é um dia especial para todos nós, pois trabalhamos incessantemente para aumentar a nossa capilaridade e levar cada vez mais conforto e comodidade aos nossos clientes”, afirma Ygor Moura, Chairman e sócio fundador da Espaçolaser. “Este lançamento reforça o nosso compromisso em ampliar para as classes C e D o acesso a uma tecnologia de ponta e que oferece resultados duradouros – inclusive, essa é a missão e um dos pilares de sucesso da nossa empresa”, finaliza o executivo.

Por meio da exclusiva máquina GentleLASE da Candela, que combina duas tecnologias de laser em um único dispositivo – Alexandrite e ND YAG -, o tratamento na unidade Heliópolis poderá ser realizado em todos os tipos de pele e de ambos os sexos. O procedimento, que conta ainda com o gás criogênico, usado para resfriar a área antes de receber o laser, torna o tratamento ainda mais confortável. Além disso, assim como nas demais unidades Espaçolaser, o cliente encontra um atendimento diferenciado, oferecido por um time de profissionais da saúde altamente qualificados e formado por fisioterapeutas, que realiza todos os procedimentos de acordo com os mais rígidos protocolos de segurança estabelecidos pela ANVISA e pelo CREFITO.

“A beleza do futuro, sustentável e definitiva, já é uma realidade para todas as classes sociais. Nosso propósito é esse e, por isso, acreditamos e vivemos em forte ritmo de crescimento nos últimos meses:  foram quase 30 novas unidades inauguradas somente em 2021, assim como fomentamos iniciativas que comprovam essa intenção. Exemplos disso foi acelerarmos o lançamento do cartão de crédito da Espaçolaser em 2020 e aumentarmos ainda mais a flexibilidade no pagamento, por meio de novas opções de financiamento dos tratamentos e extensão do parcelamento em até 24 vezes”, comenta Paulo Morais, CEO e sócio fundador da empresa.

Reforçando a conexão da Espaçolaser com as comunidades em que atua, a nova unidade contará com colaboradores de Heliópolis – são 2 consultoras e 2 fisioterapeutas. Esses profissionais trazem o conhecimento da região para companhia e aprimoram o entendimento sobre os anseios do público local, possibilitando também uma melhor integração entre empresa e vizinhança.

Localizada no Shopping Heliópolis, a nova unidade  estará disponível para atendimento ao público a partir desta terça-feira, dia 27, e é a 600ª loja de uma operação que compreende os mercados brasileiro, argentino (sob a marca Definit) e colombiano – sendo este, o mais recente, com operação inagurada no  final de 2020.


Serviço

Shopping Heliópolis: Via Estrada das Lágrimas, 2008 – Ipiranga – SP

Horário de atendimento: Segunda a Sábado das 11:00h às 19:00h | Domingo, das 9:00 às 15h00

Contato: (11) 2397 1020 e (11) 91049 6427

Mais informações, acesse: https://www.espacolaser.com.br/.


Sobre a Espaçolaser                                                                                       

A Espaçolaser é a maior empresa de depilação a laser do mundo. Fundada em 2004 por Ygor Moura, Paulo Morais e Tito Pinto, a marca possui 600 unidades distribuídas pelo país e pela América Latina. A companhia contabiliza mais de 2 milhões de clientes atendidos ao longo de sua história e mais de 30 milhões de procedimentos realizados por fisioterapeutas especializadas utilizando técnicas sustentáveis e de baixíssimo impacto ambiental. Reconhecida pelo Great Place to Work na categoria Mulher (2020), a companhia também se orgulha de apoiar o esporte brasileiro e atualmente patrocina 80 atletas de 10 modalidades diferentes, dentre eles o medalhista paralímpico Phelippe Rodrigues, os esgrimistas Paulo Morais e Bia Bulcão e os surfistas Gabriel e Sophia Medina. Em 2021, a Espaçolaser foi listada no Novo Mercado da B3 (ESPA3), tornando-se a primeira empresa de serviços de beleza a abrir capital no Brasil.

Madero abre dois novos endereços em São Paulo

Aposta em versão container também ganha espaço na cidade

Berço da gastronomia eclética e acolhedora, São Paulo é um prato cheio (literalmente) para quem valoriza a boa culinária. E a cidade acaba de ganhar um motivo extra, na verdade dois, para quem ama hambúrgueres: as novas filiais do Madero Steak House (Shopping SP Market) e Madero Container (Vila Gomes Cardim).



No coração da Zona Sul, o novo Madero Steak House do Shopping SP Market recebeu investimento de mais de R$ 5.5 milhões, em 782m2 com capacidade para 234 pessoas e projeto arquitetônico de Kethlen Ribas Durski com o tradicional e agradável ambiente, que aposta em muita madeira e tijolos aparentes.

Já a versão container também assinada pela arquiteta, vai aportar no nobre bairro paulistano, na Rua Azevedo Soares, zona leste da cidade em Vila Gomes Cardim, com investimento de mais de R$ 4 milhões, em 1100m2 com capacidade para 100 pessoas. A aposta sustentável se destaca pela concepção moderna e industrial dos containers de aço, construídos a partir de peças descartadas para transporte de carga, associada à identidade do Madero, com proposta urbana e muito descolada.

O extenso cardápio é a alegria dos fãs do Madero! Consagrada como a maior rede de casual dining do país, traz todas as criações do chef Junior Durski, com a preocupação em oferecer uma alimentação saudável e de qualidade, com ingredientes orgânicos, naturais, sem conservantes e com procedência garantida.

Na versão container, as receitas artesanais são disputadas, com seus hambúrgueres premiados, grelhados ao fogo forte e todas as delícias já conhecidas do público, como o tradicional Cheeseburger Madero (pão crocante assado na hora, alface e tomates orgânicos e frescos, queijo tipo cheddar, maionese artesanal, 180g de carne pura e grelhada), acompanhado por batatas fritas crocantes por fora e macias por dentro e o Choripán - famoso sandwich argentino (linguicinha artesanal 130gr, defumada e grelhada em fogo forte, alface, vinagrete e maionese artesanal), além dos Sandwiches Fit (Cheeseburger Madero Fit, Cheeseburger Madero Menos Sal e Cheese Chicken Fit), entre outras opções! Na ala das entradas, são concorridas as mini coxinhas de frango e os mini pastéis de carne e para adoçar o paladar, o Brigadeiro de Colher e o Brownie de chocolate, dois clássicos do cardápio . Há ainda opções vegetarianas e veganas, como o Burger Falafel Vegano - hambúrguer de 100g feito com grão de bico, gergelim e farinha de rosca, temperado com hortelã, salsinha, coentro, pimenta, páprica e cominho, com creme de palmito, tomate, alface e sem queijo. Na carta de bebidas,  as sodas artesanais são queridinhas nas versões maçã verde e limão.

No Madero Steak House, além das delícias do cardápio do Madero Container, há também mais opções como o estrelado Palmito assado com flor de sal e manteiga (260g), o tradicional Schnitzel (fatia de lombo bem fina e macia, servida à milanesa, envolvida em uma mistura de farinha de pão 220g), Filé mignon com molho de pimentas verdes, Penne com camarões e muitas outras delícias.

Em ambos há ainda a possibilidade de compra pelo aplicativo Madero APP, disponível na Apple Store e no Google Play -https://www.restaurantemadero.com.br/pt/delivery

Madero Shopping SP Market-  Av. das Nações Unidas, 22540 – LJ Anc 02 – Térreo. (11) 5681-8116- Horário: Salão: 11h30 às 19h APP: 12h às 21h45 Take Away: 11h30 às 19h. Estacionamento do shopping.

Madero Container Azevedo Soares

Rua Azevedo Soares, 945, Vila Gomes Cardim – (11) 2942-7471. 

Horário: Salão: abre no sábado das 12h às 22h. 

Aplicativo: 12h às 22h. Take Away: 12h às 22h

Estacionamento com 13 vagas (1 idoso e 1 pcd).

terça-feira, 27 de abril de 2021

Caderno Inteligente lança collab com youtuber Juliana Baltar

A partir desta segunda-feira, os fãs da influenciadora digital poderão contar com uma linha exclusiva do Caderno Be Joy by Ju Baltar  

O Caderno Inteligente, empresa criadora e líder do segmento de caderno de discos (discboud) no país, fechou uma parceria inédita com a youtuber Juliana Baltar, que reúne mais de 11 milhões de seguidores na plataforma.  



A partir desta segunda (26), os fãs da influenciadora digital poderão contar com uma linha exclusiva do Caderno Be Joy by Ju Baltar, disponível nos formatos A5 (R$79,80) e grande (R$121,00).   

Entre os diferenciais do caderno está a tecnologia de discos, que permite que os consumidores possam criar inúmeras possibilidades como encaixar novas folhas e arquivar as que já foram utilizadas sem desperdício de papel, desenvolver a mão layouts personalizados, criar templates e brincar com os refis de padronagens diversas.  

Para Cristiane Ribeiro, Diretora de Marketing do Caderno Inteligente, o planejamento de parcerias estratégicas como essa são essenciais para unir forças e agregar ainda mais valor aos consumidores CI. “O marketing digital tem ganhado cada vez mais relevância nos diversos segmentos do mercado mundial e consideramos um pilar bastante importante para construção do nosso relacionamento com o público jovem e para atrair o consumidor para o ponto de venda de forma criativa”, ressalta a executiva.   

Atualmente, o Caderno Inteligente está disponível em mais de 500 lojas espalhadas pelo Brasil, exporta seus produtos para Portugal, Espanha e França, e alcançou mais de 700 mil seguidores nas redes sociais.  

Produtos:  

Caderno Be Joy by Ju Baltar  

A5 (tamanho 16 X 22cm) - R$79,80   

Grande (tamanho 21 X 28cm) - R$121,00  


Onde comprar: www.cadernointeligente.com.br ou nos pontos de venda disponíveis em todo o Brasil.  

Entenda porque é importante saber a jornada do cliente no varejo

Para quem empreende no setor é essencial entender como o consumidor pensa e quais são as etapas do processo de compra

Saber quais são as necessidades do consumidor é imprescindível para qualquer setor — colocá-lo no centro é um ponto primordial para o sucesso das empresas. Independente da relação, seja ela de B2B (de empresa para empresa) ou B2C (de empresa para cliente), entender quais são as necessidades do consumidor ajuda a garantir uma experiência melhor, fidelizando seu público e elevando os resultados comerciais. 

As estratégias customer centric estão cada vez mais sendo utilizadas. O conceito se baseia em posicionar o cliente como elemento principal do negócio e, a partir disso,  construir a estrutura da empresa ao redor dele. O caminho da compra também é essencial e faz parte de iniciativas como a do customer centric que visam aprimorar processos. 

“Vender não é uma tarefa fácil e envolve muita estratégia. Compreender cada etapa do processo de venda ajuda a empresa a se destacar da concorrência, além de trazer insights para um processo mais certeiro”, comenta Jonatan da Costa, empreendedor há mais de 14 anos e atualmente CEO da Área Central, empresa especializada em gestão de centrais de negócios. 

O primeiro passo é conhecer e delimitar o público-alvo: “cada empresa possui um nicho específico de atuação, e precisa pensar em como alcançar esse público e quais abordagens são mais interessantes”, aconselha o empresário. Depois de definido o público-alvo, é preciso conhecer cada uma das etapas da jornada:

1. Aprendizado e descoberta

O público precisa conhecer o produto ou serviço ofertado. Neste início, é essencial estabelecer estratégias que ajudem o cliente a identificar pontos de necessidade na realidade dele e relacionar isso com o que a empresa pode oferecer. É importante produzir materiais que despertem curiosidade e possibilitem a interação e o desejo de saber mais. 

2. Reconhecimento do problema

Nesta etapa nem sempre o cliente sabe que tem um problema para ser resolvido, cabe à empresa mostrar que tipo de dor ele tem, para então responder suas dúvidas e mostrar como ele pode resolvê-lo através dos produtos ofertados. “A capacitação do time de vendas e a quantidade de informações que você oferece ao consumidor neste momento é fundamental para deixar o cliente pronto para a próxima etapa”, explica Jonatan.

3. Consideração da solução

Diante do “problema” identificado, o consumidor irá analisar as opções que ele tem para resolver sua necessidade. Aqui podem ser exploradas as vantagens da solução e o porquê ela é melhor que a do concorrente. 

4. Decisão de compra

É neste momento que o cliente decide se fecha o negócio. É hora de mostrar as vantagens que existem na aquisição de determinado produto. Além de destacar os diferenciais, pode-se pensar em estratégias como preços competitivos, facilidades na forma de pagamento, entre outros

5. Fidelização

O sucesso do negócio depende também da forma como os consumidores reconhecem a marca, recomendam para outras pessoas e voltam a fazer negócio. É essencial nutrir o relacionamento no pós-venda, enviando novidades, promoções e informações que façam sentido para o cliente e para o negócio.

Novos caminhos

O phygital (physical + digital) é um tipo de experiência que afeta diretamente a jornada do consumidor. O conceito que define a conexão entre o offline e o online na experiência do comprador, tornando-a ainda mais especial e atrativa, já era realidade antes mesmo da pandemia. Hoje, é praticamente impensável organizar uma estratégia de venda que não contemple os dois canais, dada a rápida digitalização dos processos e mudanças de consumo. “A tecnologia é uma grande aliada nas estratégias de venda das empresas, é essencial digitalizar-se para se manter competitiva e não perder oportunidade”, finaliza Jonatan. 

E-commerce: dicas para datas sazonais

Quando inicia o ano, muitos e-commerces começam a pesquisar as datas sazonais para o seu negócio. Por um lado, existem as chamadas “datas de varejo”, que são comuns a todas as marcas, por exemplo, Dia das Mães, Pais, Namorados, Natal. Porém, há outras que fazem mais sentido para um segmento do que para outro, por exemplo, o Dia do Geek, que faz todo o sentido para livrarias e cinema, mas pouco para um supermercado.



A dica principal não poderia ser outra que não esta: tenha muito cuidado com o que a sua marca vai comemorar. Tenha aderência ao segmento, ao seu consumidor e principalmente ao que a empresa oferece para o mercado. Datas sazonais existem aos montes; se olhar os calendários mais detalhados, verá que alguns dias têm três ou quatro comemorações simultâneas, como 21 de abril, feriado de Tiradentes, mas também é o Dia do Metalúrgico, Latinidade, Polícia Civil, Têxtil, aniversário de Brasília, Dia Mundial da Criatividade e Inovação e do funcionário da Polícia Civil.

Seguindo a primeira dica, você deve olhar e pensar qual deles é mais importante para a sua empresa e focar nesse, assim como, se identificar que nenhuma dessas datas tem aderência ao seu negócio, simplesmente não faça. As redes sociais, principal canal usado para campanhas sazonais, são para fortalecimento de marca, relacionamento e vendas. Se a data a ser comemorada não trouxer nenhum dos pontos acima, o conselho é não fazer nada, mas, se trouxer os três, é preciso mais do que um simples post, o que vem para a segunda dica.

Se a data for importante para o seu segmento, faça algo que enalteça primeiro as pessoas, depois a marca e por fim faça uma venda. Criar uma promoção de 10% no Dia das Mães, que é uma data tradicional de vendas, por exemplo, é válido. Em comemorações menores como o 13 de maio, Dia do Chefe de Cozinha, se você tem um restaurante funciona, mas siga o passo acima: enalteça a pessoa, ou as pessoas, depois a sua marca e por fim algo que seja estímulo de venda, este com o menor dos pesos.

A terceira dica se baseia em preparo. As grandes datas sazonais têm meses de preparação. Para o Dia dos Namorados, por exemplo, tem empresa que se prepara em abril. Pode parecer muito tempo, mas às vezes não é suficiente. Essas grandes datas foram criadas para ampliar as vendas, e as pessoas sabem tanto disso que as esperam para comprar algo que precisam. Comprar eletrodoméstico no Dia das Mães se tornou tradição tão forte que as pessoas esperam a data para comprar produtos para as suas casas mais do que para as mães. Há produtos que têm venda maior em datas sazonais, como flores no Dia dos Namorados.

A preparação passa pelo conceito de campanha, setup nas ferramentas, criação, textos para assessoria de imprensa, um estoque maior de produtos e logística que precisa ser reforçada. Se o produto é perecível, o planejamento precisa ser ainda mais detalhado, ou se a empresa promete entrega rápida, a logística precisa de algo a mais do que reforço: precisa de um planejamento de rotas mais efetivo, e nesse ponto de entrega vem a quarta dica.

Existem produtos não perecíveis, como geladeiras, que, se não forem vendidas em maio, não chega a ser um problema. Porém, há produtos, como flores e comida, que se não forem vendidos no dia seguinte podem ser jogados no lixo, o que é literalmente jogar dinheiro fora e deperdiçar o tempo que se ficou planejando tudo aquilo que na execução não deu o resultado esperado.

Última dica: não use a data sazonal para se promover, ou fazer apenas porque o mercado está fazendo. Não. Nenhuma empresa se destaca no mercado copiando o que os outros fazem. Faça porque é verdadeiro, genuíno e está dentro do propósito da marca, se possível, traga as pessoas da empresa para as campanhas. Isso agrega uma boa reputação de marca, pois mostra a empresa dando importância aos colaboradores.

Artigo escrito por Clóvis Souza, CEO da Giuliana Flores.

O custo do conforto

Inspirado no movimento “Do not call”, ligações telefônicas, sms ou aplicativo de mensagem não podem ser mais usados como meio de cobrança para consumidores residentes no Estado de São Paulo. O cliente que inscrever seu telefone no cadastro para bloqueio de telemarketing junto ao Procon, não poderá ser contatado, seja para divulgação do produto ou cobrança, sob pena de multas às empresas de telesserviço.



Dados do Procon de São Paulo apontam que desde 2009 o órgão registrou mais de 2,8 milhões de linhas telefônicas cadastradas para não receber ligações de telemarketing.    O website “Não me Perturbe", promovido pelas principais operadoras de telefonia do Brasil, já recebeu mais de 2 milhões de solicitações de bloqueio dessa espécie de telefonema. Nos EUA, desde 2003, o poder público solicita que as empresas de telefonia do país instalem em seus produtos tecnologias para que os consumidores possam bloquear automaticamente ligações de telemarketing.

O assunto é tão sensível que o próprio setor de telesserviços produziu um Código de Conduta que trata da limitação de dias e horários para ligação e até quantidade de vezes que o consumidor poderá ser contatado por dia.  Mas esse conforto, não nos enganemos, tem reflexo direto no aumento de juros e custo do dinheiro. 

Isto acontece, pois, o mercado em geral possui taxas de inadimplência e taxas de risco que são instituídas no setor, ou particularmente, e a precificação do produto ou serviço contém, além das taxas adequadas de estoque de inadimplência, a previsão do custo para reverter o passivo em recebíveis. 

Em uma régua de cobrança, quanto mais cedo houver a notificação do débito maior a chance de receber a dívida e, com o impedimento legal do uso do telemarketing ativo, aumentamos o risco de inadimplência, diminuímos o percentual das taxas de estoque de dívidas e o mercado regulará seu risco das seguintes formas: melhorando  a análise de crédito para diminuir o risco de calote, diminuindo o início da régua de cobrança com o modelo cartao postal, aumentando o preço do produto ou serviço, frente ao custo do risco e da multa.

Para o consumidor o alívio inicial reflete em aumento de juros nos empréstimos e dificuldade de crédito privado, para as empresas a legislação é interferência na livre iniciativa e risco de liquidez do seu estoque de dívidas e para o setor de telesserviço é prejuízo e demissão.

Artigo escrito por Alexandre Damasio Coelho é presidente da CDL  São Caetano do Sul e advogado.

segunda-feira, 26 de abril de 2021

Via Varejo muda marca e se transforma em VIA

Imagine Caminhos. Com essa assinatura e a nova marca, companhia mostra que já está indo além e que a inovação já uma realidade na empresa;

Nova marca ganha cores e tipografia mais modernas, que remetem a companhia do futuro que a Via quer ser, sem deixar para trás a tradição de empresa que realiza e continuará realizando os sonhos de milhares de brasileiros.



Para ir além do varejo, a Via mudou sua marca. Tirou o varejo do nome, mudou suas cores, seu logo, num posicionamento que traduz a grande transformação pela qual a companhia passou e simboliza os caminhos amplos que seguirá no futuro. "Via - Imagine Caminhos", o novo posicionamento reforça a estratégia de ser reconhecida como a melhor Via de compras de todos os brasileiros, onde, quando e como eles quiserem. A Via que revoluciona, inclui e transforma, inspirada por pessoas e negócios.

A nova marca é resultado de um processo conduzido pela consultoria Croma junto a executivos da empresa e diversos grupos de estudo, que trouxeram as diferentes visões que construíram a nova marca e o novo posicionamento: o que ela era, onde ela está e no que está se transformando. A mudança traz, além do nome, novas cores e tipografia. O verde escuro e amarelo, dão lugar às cores violeta, cinza e verde claro, que simbolizam a mudança do convencional, crescimento, renovação, seriedade e mudança, entre outros aspectos que essas cores transmitem. Já a nova assinatura "Imagine Caminhos", tem como inspiração os sonhos de pessoas e empresas e como a Via irá viabilizá-los todos os dias por meio da inovação, sem limites.

"Já estamos olhando para o futuro. A Via de hoje não é a mesma de ontem e também não será a Via de amanhã. Vamos buscar inovação o tempo todo. Esses movimentos pelos quais estamos passando na companhia reforçam todo esse comprometimento e trabalho", conta o CEO da Via, Roberto Fulcherberguer.

Os resultados da companhia, apresentados ao mercado em março, mostram que a Via não é mais uma empresa de varejo. Que já está indo além. No último ano, a Via se reiventou, rompeu e unificou as barreiras físicas e digitais das lojas, sites e apps, também se associou a startups que deram ainda mais velocidade ao seu sistema logístico e tecnológico, rejuvenesceu a marca Casas Bahia, reposicionou a marca Pontofrio, que agora passa a ser Ponto, e mudou todo a plataforma de marketplace, acelerando a entrada de novos sellers diariamente.

"Fizemos muita coisa em pouco tempo e entregamos resultados consistentes aos nossos acionistas, aos mais de 97 milhões de clientes, sellers e especialmente para nossos mais de 46 mil colaboradores. Essa é a Via que estamos construindo, que transmite confiança ao mesmo tempo em que transparecemos nossa inovação contínua, sem deixar de ser inclusiva", completa Fulcherberguer.

SOBRE A VIA

A Via é a via de compras de todos os brasileiros, onde, quando e como eles quiserem. É líder no varejo de eletrodomésticos e eletroeletrônicos no Brasil e há décadas está presente na mente, no coração e na casa dos brasileiros com o e-commerce e as lojas das marcas Casas Bahia e Pontofrio, além das vendas online do Extra.com.br, da fábrica de móveis Bartira, Asap Log, I9XP e banQi. Com cerca de 46 mil colaboradores, a companhia possui capital aberto na B3 desde 2013 e está presente em mais de 400 municípios brasileiros, 20 estados e no Distrito Federal, com a maior e mais digital rede logística do Brasil, conectando cerca de mil lojas físicas, 28 centros de distribuição e hubs de entregas com cerca de 97 milhões de clientes e oferecendo produtos, créditos, serviços e soluções desenvolvidas com a mais alta tecnologia.

Vitorena lança manteiga de coco e monodose de óleo de coco

Marca de alimentos gerida pela Tabor Products mostra as novidades no segmento com monodose de óleo de coco de 30 ml e a manteiga de coco



Vitorena foi pioneira em lançar a embalagem de 900 ml do óleo de coco no mercado Setor de saudáveis já corresponde a 20% do mercado de alimentos, com uma expectativa de aumento desse valor nos próximos anos

A marca Vitorena, já consolidada com produtos à base de óleo de coco e molhos de pimenta, com ingredientes melhores selecionados, irá lançar neste ano a monodose de óleo de coco de 30 ml e a manteiga de coco com vendas no varejo. Gerida pela Tabor Products, a marca de produtos alimentícios foi pioneira em lançar a embalagem de 900 ml do Óleo de Coco no mercado.

"Nossas embalagens foram desenvolvidas com foco em oferecer ao consumidor maior acesso ao óleo de coco que até então era um produto extremamente caro e pouco encontrado nos supermercados. Nosso objetivo é gerar acessibilidade ao mercado de saudáveis em questões de preço e distribuição ampla. Buscamos transformar hábitos comuns mais saudáveis.", afirma a Head de Marketing da Vitorena, Carolina Larios. Com zero gorduras trans, 100% puro, livre de glúten, conservantes e componentes artificiais, além de ser o único óleo de coco para alimentação sem cheiro e sem sabor, o produto é comercializado nacionalmente, e representa 70% do faturamento da empresa.

Segundo estudo da Euromonitor Internacional, o consumo de alimentos saudáveis, que já vinha ganhando força entre os brasileiros, foi acelerado pela pandemia, atingindo R﹩ 100 bilhões de vendas no país no ano de 2020. De acordo com os dados, essa foi a maior cifra para o segmento de alimentos desde 2006, quando o setor começou a ser monitorado pela consultoria. Em relação a 2019, o avanço foi de 3,5%. Investir em opções saudáveis, sem glúten e vegetarianas é uma tendência do mercado.

Os molhos de pimenta Vitorena são produzidos com ingredientes cuidadosamente selecionados que garantem a melhor qualidade do produto. "O nosso processo de fabricação é o mais artesanal possível.", completa.

Compromisso com a sustentabilidade

Um dos maiores desafios para o desenvolvimento sustentável está em soluções de embalagem do produto.

Por isso, buscando produtos com menor impacto ambiental possível, a Vitorena é certificada com o selo ‘Eu reciclo’, que garante que a produção seja totalmente compensada com a reciclagem de materiais.

Em uma parceria com a New Hope Ecotech, a Vitorena financia a reciclagem de um volume de materiais exatamente igual ao que é utilizamos para embalar os produtos, "zerando" o impacto nas embalagens.

Sobre a Tabor Products

A Tabor Products é responsável pelas marcas Vitorena (Alimentos), L’apiely Cosmétique (Higiene & Cosméticos) e Klaryus (Produtos de Limpeza) e tem em seu DNA a inovação, tecnologia e sustentabilidade para o desenvolvimento de seus produtos.

Bibi cria aplicativo para otimizar venda digital

Campanhas Prisma auxilia no contato com consumidores da marca via WhatsApp

Com a evolução da transformação digital no varejo, a Bibi criou o Campanhas Prisma, em 2020. O aplicativo foi desenvolvido para alavancar as vendas das mais de 130 lojas por meio da tecnologia. Nesta plataforma, já estão ativas diversas campanhas de relacionamento, que são disparadas via aplicativo de comunicação WhatsApp pelas vendedoras para sua base de clientes. Por lá, é possível acompanhar o status das conversas e ter uma visão geral do comportamento dos consumidores. A ferramenta identifica alguns padrões para que haja um contato ativo por parte das equipes. Isso impacta diretamente nas vendas e na fidelização dos clientes. Hoje, mais de 10% das vendas da rede são influenciadas por esta ferramenta.



"O Campanhas Prisma está disponível para franqueados e equipe de vendas da rede. O aplicativo visa otimizar os contatos da loja com os clientes cadastrados, via WhatsApp. Para ser eficaz, a ferramenta identifica três padrões com base em dados como análise de RFV, ou seja, recência, frequência e valor de compra. Em resumo, trata-se de uma técnica que visa identificar quais foram os clientes que fizeram compras recentes, quais são os mais frequentes e quais deles investem mais. A partir dessas informações são criadas as listas para um contato ativo eficiente, buscando entregar o conteúdo certo, para a pessoa certa, no momento certo", explica a presidente da Calçados Bibi, Andrea Kohlrausch.

Com relação ao contato com a equipe, cada nova campanha ativa a rede é comunicada e distribuída de forma automática por meio do aplicativo. Além disso, como garantia, a equipe responsável pela consultoria de campo apoia e trabalha ativamente na gestão, para que as metas propostas de contatos por campanha sejam realizadas no período em questão. "Tudo isso faz com que as equipes de vendas consigam aproveitar o tempo ocioso em loja. É uma nova forma de levar as novidades aos consumidores de forma rápida, eficiente e, principalmente, segura", finaliza Kohlrausch.

Sobre a Calçados Bibi

Promover o desenvolvimento natural e saudável para o público de 0 a 9 anos é uma das premissas básicas da Calçados Bibi. A marca é pioneira e líder em desenvolver produtos a partir de pesquisas e estudos científicos. Conquistou reconhecimento do setor a partir do desenvolvimento dos calçados atóxicos, fisiológicos e da tecnologia da exclusiva palmilha Fisioflex Bibi, que proporciona a sensação de andar descalço. Tudo para crianças ser criança. Fundada em 1949, a Bibi é referência no mercado de calçados infantis. Com fábricas em Parobé (RS) e em Cruz das Almas (BA), produz mais de 2 milhões de pares ao ano. Presente em mais de 70 países nos cinco continentes, no Brasil está em mais de 3.500 mil pontos de venda multimarcas, além do e-commerce e de uma rede de franquias com mais de 130 lojas. A empresa é ainda a única calçadista certificada pelo Selo Diamante de Sustentabilidade, que atesta o compromisso com as iniciativas nos processos industriais, bem como o desenvolvimento de ações em sintonia com os pilares estabelecidos pelo programa de Origem Sustentável: Ambiental, Econômico e Social.

Como transformar um negócio em franquia em oito passos

Consultores da NX Franquias orientam como expandir o empreendimento com segurança para o mercado do franchising e como saber se o negócio é franqueável

O sucesso de um negócio entre os consumidores é a porta de entrada para abrir uma franquia da empresa. Mas afinal, quais características um empreendimento tem que ter para se tornar uma rede?

Primeiro, é necessário entender que uma franquia é onde são replicadas suas operações em unidades relativamente independentes. A empresa franqueadora licenciará o uso da marca e transmitirá todo o know-how para o franqueado que já recebe um modelo de negócio totalmente pronto. Para cada unidade são cobradas as taxas de franquia, royalties, entre outros valores.

Parece algo simples, mas não é! Para aqueles que buscam expandir seu negócio para o mercado de franchising o primeiro passo que deve ser analisado é se o negócio é sólido e rentável.

Ricardo Branco, diretor executivo da NX Franquias (Núcleo de Expansão de Franquias), conta que o principal motivo que leva os empreendedores a se tornarem um franqueador está em aumentar o número de unidades, além da oportunidade de levar o empreendimento para outros lugares.

“A possibilidade de expansão rápida, principalmente comparado à unidades próprias, é o que mais atrai aqueles que buscam se tornar um franqueador. Além, ainda, da expansão com capital de terceiros; maior controle de suas unidades, visto regras estipuladas; aumento da rentabilidade no negócio, e ter normalmente o empreendedor a frente do empreendimento”, diz.

Planejamento e autoanálise

Branco explica que a grande maioria dos negócios, seja com foco em produto ou serviços, possui a possibilidade de expansão através do modelo de franquias. Mas que para isso é necessário um investimento um pouco alto.

Planejamento é a palavra que melhor define quem busca transformar o negócio em franquia. Também é necessário uma autoanálise a fundo do negócio buscando soluções simples e econômicas para conseguir replicar este processo nas unidades de franquias.

“Vale destacar a importância de oferecer um produto ou serviço diferenciados. O que aumenta as chances de novos investidores se interessarem pelo modelo de negócio e comprar uma operação”, avalia Branco.

Consultoria especializada

São tantas informações importantes que merecem um cuidado especial para não passarem despercebidas na hora de ser um franqueador. A NX Franquias – especializada na formatação de franquias e expansão de marcas – surgiu exatamente para tornar todo esse processo mais simples através da consultoria por contar com setores específicos para transformar uma empresa em uma franqueadora de sucesso.

A NX Franquias também conta com projetos de divulgação de novas marcas, como a Feira Virtual de Franquias (que ocorre uma vez por mês nos diversos estados do país), além da B2B Franchise, feira presencial de franquias com encontros pré-agendados, previsto para ocorrer este ano no mês de agosto.

“Contar com essa ajuda especializada faz com que o processo de formatação seja mais eficiente e rápido. Além de evitar problemas mais à frente, devido à má formatação, diminuindo custos por erros. Isso possibilita ainda transformar a empresa em um negócio mais sólido e seguro”, conclui Ricardo Branco, diretor executivo da NX Franquias.

Deveres da franqueadora

O suporte ao franqueado é tão importante quanto vender uma operação. A franqueadora é responsável por transmitir toda informação como suporte e treinamento para condução da operação, gestão e vendas. Um franqueado bem treinado e alcançando bons resultados dentro do empreendimento é a própria propaganda que o negócio dá certo.

Mas atenção! Antes de fechar qualquer acordo fique atento com o que consta na COF (Circular de Oferta de Franquia). Nela é possível observar os deveres de responsabilidade da franqueadora e do franqueado. A COF contará ainda com informações sobre os valores que precisam pagar a empresa, bem como suporte; minuta do contrato de franquia; balanço financeiro da empresa, entre outros dados de suma importância para abertura da unidade a ser fraqueada.

Dicas de um expert

Henrique Mol, presidente da holding Encontre Sua Franquia, detentora de sete marcas com mais de mil franqueados, e que possui know-how quando o assunto é criar e expandir o negócio para franquia, lista as principais dicas para quem quer transformar o seu negócio em uma rede.

  • Tenha um especialista juntamente ao projeto para lhe ajudar no processo;
  • Analise a maturidade do negócio em processos e know-how;
  • Entenda o potencial de expansão da marca, perfil de cliente, mercado e concorrentes para estratégias de mercado alvo na expansão;
  • Avalie se o seu negócio possui diferenciais competitivos diante de seus concorrentes, que atraem atenção de empreendedores e clientes;
  • É importante entender este processo de transformação de uma marca em franquia como um projeto para ter clareza nos recursos necessários, tempo e etapas;
  • Orientamos antes de querer transformar sua marca em franquia, entender melhor quais são os desafios de uma marca que atua no franchising, para alinhamento de expectativas e responsabilidades;
  • Modele o negócio para que tenha atitudes de uma franquia, layout, comunicação, marketing;
  • Compreenda o perfil do empreendedor que vai buscar no mercado, com características para serem futuros franqueados.

“Expandir seu negócio por meio da venda de unidades de franquias possibilita aumentar o reconhecimento da marca. Se antes ela era reconhecida em uma determinada região, com a expansão e instalação de novas operações possibilita também ser reconhecida em novos territórios, novas regiões, estados, e até mesmo, com o tempo, levar a marca para fora do país”, afirma Mol, que acrescenta que o processo de formatação de uma franquia é extenso e dura em média seis meses para ser concretizado.

Sobre a NX Franquias

O NX Franquias – Núcleo de Expansão de Franquias foi criado em 2021, ainda em meio à pandemia, como objetivo oferecer ao mercado soluções para empresas que querem transformar seu negócio em rede de franquias, franqueadoras que querem expandir seus negócios e empreendedores que querem ter o seu negócio através do sistema de franquias. Fazem parte do projeto a Feira Virtual de Franquia, a Franchise B2B, Canal Henrique Mol, Portal Top Franquias e FXF – Formatação e Expansão de Franquias. Conduzido por Henrique Mol e Ricardo Branco, experiente no setor de franquias, faz parte dos negócios da holding Encontre Sua Franquia, com sede em Belo Horizonte, Minas Gerais.

Vans inaugura no Sul do país

Desembarcando pela primeira vez na história no Sul do País, a Vans faz uma primeira escala em Florianópolis e aterrissa definitivamente em Porto Alegre


A Vans, marca original dos esportes de ação e ícone global da expressão criativa, orgulhosamente retoma o seu plano de expansão de lojas para o ano de 2021 com a inauguração das suas duas primeiras Vans Stores na região Sul do país, a Vans Store Beiramar Shopping e a Vans Store Iguatemi Porto Alegre.

Presente oficialmente no país desde 1998, ao longo dos seus 23 anos em solo brasileiro, a Vans esteve constantemente marcando presença na região Sul, através da realização de eventos de marca, patrocínio de skatistas, surfistas e skateparks, além da força pujante dos revendedores autorizados parceiros nos dois estados.

Simultaneamente à expansão da participação da Vans em todo o Brasil, atualmente, o sul do país é uma das principais regiões responsáveis pelo crescimento e manutenção do negócio nacional, além de ser considerada um dos mercados mais estratégicos para o estruturado e sustentável plano de expansão da marca de longo prazo.

Cravando oficialmente a primeira bandeira Checkerboard na região, a Vans faz escala na cidade Florianópolis e inaugura a Vans Store Beiramar Shopping, localizado no coração da Ilha da Magia. Sendo considerada por muitos como um dos principais berços dos esportes de ação de todo o Brasil, a capital catarinense também é o lar majoritário dos integrantes da família dos esportes de ação da Vans Brasil: os skatistas Pedro Barros, Vinícius Kakinho, Yndiara Asp e Kalani Konig e o surfista, Noah Machado.

Inaugurada no dia 15 de Abril, a Vans Store Beiramar Shopping, assim como todas as Vans Stores do planeta, conta com o conceito mais atualizado de varejo global da Vans, oferecendo as experiências, as campanhas e os produtos da marca encontrados nos mercados ao redor de todo o mundo. A primeira loja da região recebe as principais coleções de tênis, como os queridos Classics, em inúmeras variações de cores, materiais e execuções; a inédita linha desenvolvida especificamente para o skate, os Vans Skate Classics; e é claro, os chinelos práticos, confortáveis e best-sellers, Slide-Ons. Além dos icônicos calçados, a Vans Store Beiramar Shopping apresenta os lançamentos de vestuário e acessórios da marca que incorporam o estilo de vida moderno e esportivo dos californianos em combinação com os catarinenses.

Logo após cumprir a sua primeira etapa de desembarque no Sul, a Vans finaliza o seu percurso e aterrissa definitivamente na capital gaúcha para no dia 22 de Abril, abrir as portas da sua primeira loja no Rio Grande do Sul, a Vans Store Iguatemi Porto Alegre.

Também contemplando o elevado e mais atualizado padrão global varejista da Vans em sua concepção, a Vans Store Iguatemi Porto Alegre apresenta as campanhas mais procuradas da marca, como o icônico e atemporal Classic Old Skool em versões disponíveis para todas as idades, a moderna e versátil família de tênis UltraRange e a franquia de camisetas confortáveis e duráveis da marca californiana, a linha Off The Wall Tee. Para finalizar, o ponto ainda recebe uma extensa variedade de acessórios, como por exemplo mochilas e pochetes; gorros, bonés e meias; carteiras, cintos e cadarços; além de chaveiros em miniatura do clássico Old Skool e do icônico Slip-On Checkerboard.

Todos os dezesseis pontos físicos da marca - doze Vans Stores (duas na região Sul, cinco no estado de São Paulo, duas na cidade Belo Horizonte, duas no Rio de Janeiro e uma na cidade de Fortaleza) e os quatro Outlets distribuídos entre os estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Goiás - as Vans Stores da Região Sul também incorporam o plano de segurança e de saúde nacional da Vans para combater o vírus da Covid-19. O Enxoval Covid é composto por ações que visam garantir a saúde, a segurança e a integridade das equipes de todas as unidades, quanto dos consumidores. Utilização obrigatória de máscaras, controle e limitação do número de clientes simultâneos, pontos de álcool em gel na loja e distanciamento seguro de 2 metros são as principais medidas adotadas pela Vans seguindo todas as orientações das organizações da saúde.

Além da tradicional venda física, todas as lojas da Vans têm o compromisso em atender às necessidades de segurança e de conforto dos seus consumidores através das modalidades de venda físicas-digitais, integrando os canais e plataformas de marca, são elas: Venda Link, Prateleira Infinita e Retire e Entregue por Loja.

O processo da modalidade "Venda Link" é simples, prático e seguro:

• Entre em contato por WhatsApp com um dos especialistas de cada uma das dez lojas da Vans;

• Consulte se a sua região é atendida pela metodologia de venda "Venda Link";

• Verifique a disponibilidade dos produtos desejados;

• Efetue o pagamento através do link Cielo 100% seguro;

• Escolha o método de entrega de acordo com a sua preferência: delivery (frete grátis para compras acima de R﹩299,99 em regiões atendidas), retirada drive thru a combinar com os especialistas de cada loja e até mesmo o envio pelos Correios.

Contatos Venda Online:

Vans Store Iguatemi Porto Alegre (Porto Alegre, RS) - (51) 99377-8747

Vans Store Beiramar Shopping (Florianópolis, SC) - (48) 99133-1006

Vans Store Shopping Eldorado (São Paulo, SP) - (11) 96580-9099

Vans Store Ipanema (Rio de Janeiro, RJ) - (11) 99220-9844

Vans Store Iguatemi Fortaleza (Fortaleza, CE) - (85) 9797-4662

Vans Store Iguatemi Campinas (Campinas, SP) - (19) 97126-9044

Vans Stores Belo Horizonte (Belo Horizonte, MG) - (31) 98400-1515

Vans Store BarraShopping (Rio de Janeiro, RJ) - (21) 99909-0676

Vans Outlet Teodoro Sampaio (São Paulo, SP) - (11) 96322-6694

Vans Outlet Premium (Itupeva, SP) - (11) 96324-3891

Vans Outlet Premium (Duque de Caxias, RJ) - (11) 99275-5503

Vans Outlet Premium (Alexânia, GO) - (11) 98755-2683

Vans Store Morumbi Shopping (São Paulo, SP) - (11) 98162-1277

Vans Store Ibirapuera (São Paulo, SP) - (11) 98402-6673

Vans Stores Bourbon Shopping (São Paulo, SP) - (11) 95855-5025

A metodologia "Prateleira Infinita" exclui toda e qualquer possibilidade de esgotamento do estoque físico da loja e consequentemente contribui para uma experiência positiva de compra: sem ruptura e frustrações. Ao visitar a loja, o consumidor pode se interessar por um modelo que não esteja disponível em estoque físico no momento, desse modo, a equipe utilizará uma plataforma online para checar o estoque virtual do produto desejado pelo cliente, onde o mesmo pode efetuar a compra dentro da loja e receber o pedido diretamente em sua casa.

Para finalizar, todas as doze Vans Stores (Estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Ceará; cidades de São Paulo, Campinas, Rio de Janeiro e Belo Horizonte) e os quatro Outlets (São Paulo, Itupeva, Duque de Caxias e Alexânia) contam com a modalidade "Retire e Entregue por Loja" .

Visite o site oficial da Vans , adicione os produtos desejados no carrinho e verifique se o seu pedido está apto para ser aplicado à modalidade. O "Retire e Entregue por Loja" é uma modalidade gratuita, além de reduzir tempo de entrega:

- Entrega pela loja: Receba grátis em casa através de uma Vans Store perto de você (em caso de troca, entre em contato com a loja);

- Retirada na loja: Agende a retirada grátis em uma Vans Store perto de você.


SERVIÇO:

VANS STORE BEIRAMAR SHOPPING

Beiramar Shopping - Piso L3 - Sala 313/374

Rua Bocaiúva, 2468 - Centro

Florianópolis - SC

CEP: 88015-902

Horário de funcionamento: segunda a sábado das 10h às 22h

Domingos e feriados das 14h às 20h


VANS STORE IGUATEMI PORTO ALEGRE

Iguatemi Porto Alegre - Segundo Piso - Loja 233

Avenida João Wallig, 1800 - Passo d’Areia

Porto Alegre - RS

CEP: 91349-900

Horário de funcionamento: segunda a sábado das 10h às 22h

Domingos e feriados das 11h às 20h


Sobre a Vans

A Vans®, parte da VF Corporation (NYSE: VFC), é a marca original de tênis, vestuário e acessórios para action sports. As coleções autênticas da Vans® são vendidas em 84 países através de uma rede de subsidiárias, distribuidoras e lojas parceiras. A Vans®  possui mais de 2.000 lojas ao redor do planeta, incluindo lojas próprias, franquias e portas parceiras. A marca Vans® promove a expressão criativa na cultura jovem com os action sports, arte, música e cultura de rua além de entregar plataformas progressistas como o Vans Park Series, Vans Triple Crown of Surfing®, Vans Pool Party, Vans Custom Culture e o hub cultural e espaço para a música internacional House of Vans. No Brasil, a Vans é distribuída exclusivamente pela Arezzo&Co.

segunda-feira, 19 de abril de 2021

Mr. Cat entra no mercado de roupas masculinas

Referência no segmento de calçados, empresa carioca agora faz também camisaria assinada pelo estilista Maxime Perelmuter, head de estilo da marca

Uma das maiores referências do país no segmento de calçados e acessórios, a Mr. Cat vai começar a ocupar outras prateleiras do armário masculino a partir do dia 15 de abril. Prestes a completar 40 anos de vida, a marca carioca, hoje presente em 26 estados com 180 lojas e forte presença digital, abre a temporada de comemorações com o lançamento de uma linha de roupas, batizada de Up, e assinada pelo estilista Maxime Perelmuter.

A estreia acontece com uma coleção de oito peças, que são roupas fáceis de usar no dia a dia, itens essenciais que representam os novos clássicos do guarda-roupa contemporâneo.

“Será um movimento natural para o homem que calça Mr. Cat há 40 anos se interessar também pela coleção de roupas da marca com a qual ele já se relaciona, acredita e gosta há tanto tempo. Essa iniciativa praticamente triplica nosso mercado endereçável, pois o mercado consumidor de roupas é três vezes maior que o de calçados. Estrearemos com uma coleção bem estruturada e assertiva, fácil, como o homem gosta de se vestir, e que certamente irá surpreender nossos clientes. No primeiro momento, teremos a parte de cima, mas pode ser que em algum momento a Mr. Cat passe a ter o look total. A ideia é ir ampliando o mix – adianta Alexandre Sá, CEO da empresa.

O novo conceito de lojas da marca já foi criado para atender a esse movimento. Boa parte dos pontos de venda da Mr. Cat terá provador para que o consumidor possa experimentar as clássicas polos, em três diferentes versões, sendo uma comemorativa do aniversário de 40 anos; as camisas sociais, com modelos em tecido Oxford, jeans e linho 100%; as tshirts de algodão orgânico e o windbreaker. Todos os modelos estarão também disponíveis na flagship digital da marca em www.mrcat.com.br

- Conforto significa confiança e, por isso, valorizamos novos clássicos com design simples, calmo e com detalhes que fazem a diferença. Criamos itens essenciais para serem usados no dia a dia, independente da estação _ diz Maxime, o head de estilo.

Fundada em 1981, a Mr. Cat é uma verdadeira instituição carioca. Produz por ano mais de um milhão e meio de calçados que carregam a marca do Rio de Janeiro pelo Brasil e caminham pelo mundo todo. Em março de 2019, a empresa foi vendida para o fundo americano HIG Capital e, desde então, cresce sob nova gestão. A linha de roupas chega junto com a transformação digital e com um olhar para o futuro que pretende fazer com que, assim como a marca, o produto seja eternamente jovem, transcendendo estações e gerações.

O varejo descobre a cabotagem e as vantagens da multimodalidade

Quando o assunto é logística, a cabotagem é um modal que tem ganhado força e vem crescendo de maneira sustentada a dois dígitos ao ano na última década. Apesar dos efeitos da pandemia, cerca de 1 milhão de TEU’s (unidade equivalente a um contêiner de 20 mil pés) foram transportados por navios porta-contêineres, em 2020, de acordo com a Associação Brasileira de Armadores de Cabotagem - ABAC, ligando o país de ponta a ponta, por meio dos portos brasileiros.

De certa forma, este crescimento contínuo é reflexo de uma aposta no modal que se iniciou no final dos anos 90, com objetivo de implementar no mercado um serviço de cabotagem porta a porta . A novidade chegou para estimular a competição e criar uma alternativa ao transporte rodoviário. Desde então, duas décadas se passaram e o modal tornou-se uma realidade. Atualmente, mais de 20 navios operam rotas regulares em toda a costa brasileira em operações que vão muito além do transporte propriamente dito e complementado por serviços adicionais como armazenagem de carga, transporte terrestre e gestão logística.

Os avanços estruturais e tecnológicos do setor atraíram os olhares do mercado varejista, que passou a embarcar de forma relevante na cabotagem contribuindo significativamente para o crescimento do modal. Quando cito o varejo, me refiro às grandes redes de supermercados, atacadistas, magazines, home centers, etc. Isto significa que muitos produtos que temos em casa certamente passaram pelos contêineres transportados ao longo da costa brasileira. Vale ressaltar que este é um segmento altamente exigente e que demanda um elevado nível de atendimento, o que faz com que as empresas precisem estar constantemente atualizadas para suprir esta nova demanda.

Atentos a este cenário, a Log-In desenvolveu, no ano passado, a plataforma digital Log-Aí, em que o cliente tem acesso seguro e completo à gestão de todas as cargas transportadas, desde o pedido até o comprovante de entrega. O desenvolvimento da plataforma contou com a participação de alguns clientes que apontaram suas dificuldades durante o processo logístico e deram sugestões de melhorias. Um deles foi uma gigante brasileira do segmento de Atacado e Varejo. Iniciativas assim possibilitam ampliar as oportunidades dentro deste importante mercado e entregar um nível de serviço cada vez mais exigido pelos clientes.

As empresas que investem em inovação podem sentir a assertividade destas decisões ao receberem retornos positivos em relação aos resultados. Somente no ano passado, 130 novos clientes testaram o transporte multimodal pela primeira vez com a Log-In. Destas empresas, grande parte estão inseridas no setor varejista onde fazemos a entrega da mercadoria em um centro de distribuição indicado pelo cliente, ou mesmo diretamente em uma loja onde os produtos vão direto para as gôndolas.

Não tenho dúvidas em afirmar que o cliente que substituir parcialmente sua logística pela cabotagem passará a obter ganhos diretos e indiretos relevantes em seu custo logístico total. Isso representa uma economia que vai desde o frete até o seguro da carga, passando por redução significativa dos níveis de avarias e eliminando boa parte da necessidade de logística reversa.

Quem também se beneficia com a adoção da cabotagem é o meio ambiente. O transporte marítimo é um modal extremamente sustentável com níveis de emissão de CO² três vezes inferior ao tradicional transporte rodoviário. Ou seja, a emissão de gases poluentes chega a ser 300% menor se comparado ao transporte dessa mesma carga transportada por caminhões. As vantagens aparecem também no consumo de combustível, o bunker, que pode ser até oito vezes menor se realizarmos a mesma comparação com o diesel utilizado pelos caminhões, segundo a Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (FIESC).

As empresas com responsabilidade socioambiental, que prezam a sustentabilidade de seus negócios e possuem estratégias bem definidas de ESG (do inglês Environmental, Social and Governance) - aspectos que regem sua conduta nas áreas ambiental, social e de governança -, certamente optarão pela cabotagem como forma de atingirem suas metas estabelecidas no programa. A adoção de um modelo mais sustentável para a cadeia logística é uma mudança cultural e urgente para as empresas.



Artigo escrito por Maurício Alvarenga, Diretor Comercial da Log-In Logística Intermodal , empresa 100% brasileira, de soluções logísticas, movimentação portuária e navegação de cabotagem integrada a outros modais .

Lista: 7 tendências para o pequeno varejo no pós-covid-19

O varejo como atividade de intermediação entre a produção e o consumo sempre existirá. A tendência é que o setor demande mais inteligência, rapidez e profissionalismo. Tempos difíceis, com grandes incertezas econômicas, fazem com que os padrões sociais preestabelecidos se transformem em uma rapidez descontrolada. Esse processo abre  oportunidades para novas ideias, novos comportamentos, e  impactam diretamente o hábito do consumo.

Abaixo, conheça sete tendências para o varejo no período  pós-covid-19

Ferramentas digitais 

Uma pesquisa realizada pelo Sebrae aponta que, em 2020, houve um aumento de mais de 80% no  uso do WhatsApp como meio de venda. A tecnologia fez do escambo um grande celeiro de ferramentas. Nas vendas, a tecnologia pode ser usada para tomada de decisão, para divulgação de produtos, para coletar dados de consumo e para gerar novas formas de vender. 

Encontre o perfil do cliente

Achar o tipo ideal de consumidor ficou mais fácil e barato. Com acesso detalhado aos dados de compra, localização e de mídia social, a possibilidade de ser mais assertivo nas vendas é maior.. Com as restrições econômicas esses dados são essenciais para a sobrevivência do pequeno negócio.

Segmente

Segmentar o pequeno negócio é a chave do varejo no pós-covid-19. Entender o consumo geográfico, demográfico, e comportamental passam a ter a mesma importância que estoque, limpeza e capital de giro. Quase todas as mídias sociais têm alguma forma de análise de tráfego e os grandes players, como o Google e HSM Experience, concorrem em cursos do Sebrae.

Facilitar a compra

No varejo, os meios de pagamento devem ter pouco atrito. O Pix e o QRCode cabem em qualquer tamanho de negócio. A oferta proativa demanda conhecer o cliente, e isso é importante. Por exemplo, acrescentar biscoitos para pet ou barras de cereal para um nicho de consumo estimula a compra por impulso.  Facilitar o ato de compra é a nova ideia. Levar e pagar depois faz da compra mais afetiva e impulsiva - basta uma análise de crédito e meios de pagamentos ágeis. Receber pedidos pelo WhatsApp e pagamentos pelos smartphones ou cartões com tecnologia por aproximação será cada vez mais habitual.

Consumo local

Valorizar o consumidor local demanda menos estoque e menor logística de entrega. Focar em uma área territorial e nas pessoas dessa região é uma boa estratégia. Plataformas de reuniões, home office e o movimento “faça você mesmo” são irreversíveis. 

Novo espaço 

A loja não é só um imóvel. A loja está em todo o lugar e, por isso, pode ser menor. O estabelecimento pode ter menos área de estoque, pode ser meramente expositiva, coletiva e colaborativa. Recentemente, houve a divulgação que franqueadoras têm mudado seu modelo de negócio e diminuído em 30% o tamanho da loja física.

Anticonsumo e consumo crítico

Devemos entender que a pandemia aumentou o consumo crítico e fez com que o consumidor entendesse a essencialidade do consumo, o minimalismo e o anticonsumo. O pequeno negócio no pós-covid-19 terá que informar os fornecedores, suas práticas éticas, descartes de materiais, e o que fará com as informações. O pequeno negócio tem que agregar à venda o seu propósito. Pesquisa realizada pelo Instituto de Inteligência de Mercado, aponta que 55% dos consumidores dizem que irão priorizar marcas e produtos sustentáveis.

Não podemos afastar que o varejo sempre foi um setor tecnológico. Desde o uso da calculadora até o mapeamento de comportamento do consumidor. Mas, neste momento, enquanto o pequeno empresário habituava-se ao consumidor 4.0 - que opina, indica e interage diretamente com a marca e o físico e virtual, a pandemia mudou a velocidade das coisas e esse é nosso novo desafio: mudar rapidamente nosso jeito de fazer comércio.



Artigo escrito por Alexandre Damasio Coelho, presidente da CDL  São Caetano do Sul e advogado.

Vendas caem 30% durante a fase emergencial do plano São Paulo

Segundo FCDLESP, a nova fase do Plano São Paulo trouxe impactos significativos para o balanço de vendas no estado

Com medidas mais restritivas, a fase emergencial do Plano São Paulo iniciou em 15 de março e foi até dia 11 deste mês. Durante o período, o comércio permaneceu fechado em todo o estado. De acordo com um levantamento realizado pela FCDLESP (Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Estado de São Paulo), as recomendações resultaram em queda de 30% para o setor. 

“A fase emergencial trará impactos significativos para o balanço trimestral do varejo. A queda de 30% no volume de vendas é alarmante. Reforçamos que é preciso manter a economia minimamente ativa, pois sem apoio financeiro, os estabelecimentos não conseguem se manter”, explica o presidente da FCDLESP, Mauricio Stainoff.

Segundo o levantamento realizado pela entidade, com a participação das principais CDLs do Estado de São Paulo, além da queda significativa, o comércio de rua foi o mais afetado pela nova fase do Plano São Paulo. Para os lojistas, os estabelecimentos estão mais adaptados à realidade da pandemia, mas ressaltam que, a instabilidade do Plano São Paulo e a falta de planejamento prévio impactam diretamente as vendas do varejo. 

Cenário atual 

Mesmo com baixa expectativa de vendas, cerca de 9 em cada 10 comerciantes participantes da pesquisa, acreditam que o Take away - serviço de retirada do pedido no estabelecimento e o retorno do auxílio emergencial amenizam o impacto negativo no volume de vendas. “Em tempos de total fechamento, é preciso manter a opção de retirada no produto ou pedido no balcão do estabelecimento, isso estimula o consumidor. Esperamos que a volta do auxílio emergencial traga um equilíbrio para esse cenário”, ressalta Stainoff.

No período da fase emergencial, os empresários relatam que o e-commerce apresentou o melhor desempenho. Sem a possibilidade de realizar as compras em lojas físicas, os consumidores optaram por manter o consumo pelo ambiente digital. Além disso, para o varejo, a Páscoa deste ano não apresentou resultados positivos. Apenas supermercados e lojas do segmento de chocolate apresentaram um bom desempenho nas vendas.

Lojistas estão mais preparados para comércio online

Pandemia abriu as portas do mundo virtual para muitos negócios. Comerciantes foram forçados a se adaptar às redes sociais em 2020 e estão mais fortalecidos para novos períodos de isolamento

O isolamento social imposto pela pandemia do novo coronavírus mudou os hábitos de consumo dos brasileiros no último ano. De acordo com dados da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), entre abril e setembro (segundo e terceiro trimestres) de 2020, 11,5 milhões de pessoas fizeram sua primeira compra virtual. A associação também registrou mais de 150 mil novas lojas online no período. Em Goiânia e cidades da região metropolitana tiveram que conviver com novos períodos de fechamento do comércio, que estão se alternando com períodos de abertura, mas agora os comerciantes estão mais preparados para as vendas virtuais e devem obter resultados melhores. 

O uso das ferramentas digitais foi a verdadeira salvação para muitos negócios em 2020. Um exemplo é o do comerciante Arineu Lemes Vieira, de 52 anos. Ele possui a loja Estação Fofura no Shopping Estação Goiânia há 11 anos, vendendo pijamas e chinelos de quarto, e até o primeiro fechamento não atuava no mundo digital. “Iniciei vendendo pelo WhatsApp e depois criei as redes sociais, Instagram e Facebook. Se não fosse por elas não estaria nem aqui falando do assunto, teria fechado as portas”, relata ele sobre a importância de ter se adaptado ao comércio eletrônico.

Comerciante há 21 anos, Arineu pegou dicas para trabalhar com as redes sociais com o filho, que atualmente é quem cuida mais das postagens, juntamente com uma vendedora da loja. “Ano passado, quando houve a reabertura do comércio, o movimento de pessoas seguiu pequeno e minhas vendas virtuais seguiram em torno de 60%”, revela ele, que faz entregas em Goiânia e região. Com os novos decretos, Arineu acredita que o fluxo deve se manter. “Antes tinha o auxílio emergencial, agora não, então penso que as pessoas pouparão mais. Em todo caso, estou preparado para as vendas online e tenho estoque de produtos”, afirma.

Experiência prévia

Rochany Max Silva, proprietária da loja de calçados femininos Santa Rô, situada no Shopping Estação Goiânia há 12 anos, já mantinha as redes sociais do estabelecimento antes do primeiro isolamento social imposto em 2020. “Antes do fechamento eu já tinha os perfis e fazia vendas pelo WhatsApp, mas não dava muita atenção. Depois eu fiquei mais atuante”, conta. A comerciante atualmente faz postagens diárias nas redes sociais, além de promoções. 

“Eu posto fotos todos os dias, tanto no feed quanto nos stories. Adquiri experiência com o manejo das redes com o tempo. Esse aprendizado, ainda que forçado, de certa forma, foi muito importante para a manutenção do negócio em 2020, mesmo com pequena queda no nível geral da atividade”, destaca Rochany. Agora, com o início da vacinação, ela está otimista em um tempo, melhor confiante de que poderá inclusive crescer. “Espero que com nossa experiência venhamos a nos desenvolver mais. O nosso objetivo é aumentar em ao menos 50% nossas vendas virtuais”, revela. 



Proprietária da Boutique da Lê, também localizada no Shopping Estação Goiânia, Letícia Francielly Nascimento, já atuava nas redes sociais antes da pandemia, com perfil da loja especializada em roupas femininas tanto no Facebook quanto no Instagram. Para ela, as vendas em 2020 foram boas e a lojista revela o sucesso para o engajamento virtual. “Faço postagens todos os dias e mostro meu dia a dia nos stories também, o público gosta. Além disso, faço parcerias com blogueiras e sorteios virtuais”, conta a lojista, que vê uma boa receptividade de suas clientes.