Postagens

Mostrando postagens de fevereiro, 2009

Blitz: Eletromóveis du Dantas (BA)

Imagem
Recentemente, estive em Barreiras, principal cidade da região oeste da Bahia, uma das regiões que mais cresce no país. Tive a oportunidade de conhecer algumas redes que ainda nao conhecia pessoalmente, como a Insinuante e o Armazém Paraíba. Em um mercado que ainda busca um amadurecimento, e cria uma série de oportunidades, me chamou a atenção, frente à todos esses concorrentes conhecidos, a figura enorme desse senhor, provavelmente o Dantas, estampado de forma avassaladora em sua fachada (calma Kassab, é na Bahia, na Bahia ! rs). De perfil hiper-popular, oferecendo de moveis a eletrodomésticos, computadores e até bicicletas, o chamariz, de certa forma até egocêntrico funciona bem, e o jargão "Aqui o negócio é fechado na batida do martelo" vai de encontro ao perfil da loja e é replicado em comerciais e demais mídias. Aqui no Sudeste, especificadamente em São Paulo, caso de perfil similar ocorreu com a Ultrafarma ( http://www.ultrafarma.com.br/ ), onde o próprio dono surg

Blitz: Promoção Portas Fechadas - Pernambucanas

Imagem
Portas fechadas ? Eu fiz e refiz essa pergunta várias vezes tentando entender o conceito dessa promoção. Se o caráter de um varejo de perfil popular deve ser o de convidar a entrar todos que passam pela porta, deve sempre funcionar como uma "extensão" da rua ao cliente, o que uma promoção chamada de "portas fechadas" agrega. Porta fechada para mim, lembra loja fechada. Saldos, balanços, preços de fábrica, tudo a preço de custo, esses sim são jargões e slogans convidativo e eficazes. Com uma grande lona quase fechando a entrada, a promoção ainda utilizava o subtitulo: Nao da para ficar de fora. E eu pergunto: Se as portas estão fechadas, então como eu entro ? Um grande abraço e boas vendas (e cuidado com esses planos mirabolantes !) Caio Camargo FALANDO DE VAREJO http://falandodevarejo.blogspot.com

Blitz: Brasil Cacau - A Kopenhagen popular

Imagem
De olho no sucesso da Cacau Show, que com produtos de boa qualidade e preços populares (um dos carros chefes são as trufas de pouco mais de R$ 1,00), que aberta em 2001, já conta com mais de 600 pontos de venda no país, a Kopenhagen começa em breve a inaugurar as lojas de sua nova rede, voltada para a classe C, de olho no mercado aberto pela concorrente. A nova rede leva o nome de Brasil Cacau. O idéia é combater a concorrência, protegendo a marca Kopenhagen, que continuará focada em produtos exclusivos e sofisticados. Como um "teaser", a lona estampada traz a frase: "Em breve, o chocolate que vai deixar o Brasil apaixonado". Se os produtos e preços parecem estar bem planejados, resta saber que gosto o chocolate vai ter. Essencial para o sucesso. Um grande abraço e boas vendas Caio Camargo FALANDO DE VAREJO http://falandodevarejo.blogspot.com/

Dúvidas de leitores: Loja de conveniência: Organização no PDV

Pergunta enviada por Giselle de Santana Sales Olá Caio, bom dia! Estou fazendo um trabalho de empreendedorismo na faculdade e escolhi lojas de conveniências, na verdade terei que montar um plano de negócios, focar toda parte de lay out, estrutura de venda e atendimento. Visitei seu blog na internet, achei materiais ótimos, mas não consegui visualizar as fotos.... Fotografei algumas lojas, toda parte de gôndolas, geladeiras e puder verificar alguns erros na composição da exposição dos produtos, como materiais de higiene próximo a alimentos, cervejas com achocolatado e por ai vai.... Também notei que há uma poluição visual muito grande na área do PDV, isso é proposital? Acredito que muitas das vendas nesse ramo são compulsivas , mas é necessário essa quantidade tão grande de produtos em um único local ? Peguei muitos materiais no seu blog e acredito que ficarão ótimos nos meus slides, mas gostaria de colocar algo mais visual como fotos, você poderia me ajudar nessa questão? Att.

Notícia: Shopping Centers investem em merchandising

Notícia publicada no DCI Para acessar o site, clique aqui SÃO PAULO - A Associação Brasileira de Shopping Centers - Abrasce - registrou aumento acumulado de 46,8% no merchandising dos malls de todo o Brasil em 2008. Esse dado não só comprova o crescimento dessa ferramenta de marketing, como também a influencia na decisão de compras, uma vez que está instalada no espaço de seu público alvo, que está com predisposição para receber esse estímulo. Representando 18,3% das vendas praticadas no varejo, o total de faturamento dos shopping centers brasileiros em 2008 atingiu a cifra de R$ 64,6 bilhões, com crescimento de 11,4% sobre o ano de 2007. Os dados foram monitorados pela Associação, que realiza mapeamento mensal do mercado .

Notícia: Varejo opta por seguro para prevenir calote

Notícia publicada no site da PEGN. Para acessar o site, clique aqui. No momento em que o índice de desemprego continua em ascensão e o risco de inadimplência dos consumidores ainda mostra sinais de crescimento, os principais varejistas do País, como Ponto Frio, Magazine Luiza, Leader e Grupo Pão de Açúcar, passaram a intensificar a oferta do seguro de crédito durante a compra de seus clientes. Em geral, essas redes já contabilizam a presença deste serviço em 40% de suas vendas, e em alguns casos a procura espontânea representa quase 10% dessas adesões, informa o Diário do Comércio e Indústria. No Ponto Frio, segunda maior do segmento de eletroeletrônicos e móveis do País, no braço de serviços financeiros PontoCred, resultado da joint venture com Unibanco Seguros & Previdência, a comercialização do seguro nas vendas a prazo foi iniciada em dezembro do ano passado. Neste mês, para alavancar as vendas no momento em que o consumidor está bastante cauteloso para gastar, principalmen

Dúvidas de leitores: Quanto investir para montar uma loja ?

Imagem
Pergunta enviada pelo leitor Eduardo Antunes Olá CAIO, Pode publicar se quiser... Estou com um problema....quero abrir uma loja de materiais de construção embaixo de minha casa que possui uma loja de 100m2, só que tenho muitas dúvidas...não sou do ramo e gostaria de saber se vc poderia respondê-las: 1 - Qto investir (Lj bairro) ? 2 - Recebo R$ 900,00 por mês de aluguel...com a loja eu ganharia mais ? 3 - Como consigo os endereços dos fornecedores ? 4 - Quais os primeiros itens que devo comprar ? 5 - Tenho lido muito a respeito dos layout das lojas...estou por dentro deste item. 6 - Que tipo de ajuda e de quem posso conseguir ? ( qto custa esta ajuda ). Obrigado, Eduardo Antunes Olá Eduardo Terei prazer em poder lhe responder. As suas dúvidas são comuns para quem está procurando investir em um negócio próprio. Há sempre há dúvidas quanto à investimento x lucratividade, se vale a pena, se o momento é certo, etc. Sobre investir e quant

Notícia: Pequena empresa é o novo nicho da Internet

Olha api que notícia interessante, principalmente para quem está estudando entrar na Internet e não sabe nem por onde começar... PEQUENA EMPRESA É O NOVO NICHO DA INTERNET Notícia publicada pelo DCI Por Erika Sena SÃO PAULO - Apesar do movimentado e incerto cenário de crise econômica que ameaça o setor de tecnologia no País, empresas especializadas em Internet encontraram um novo nicho de negócios que deve ajudá-las a enfrentar este período difícil - a criação de plataformas tecnológicas para inserir pequenas e médias empresas no mundo do comércio eletrônico. De olho nisso, o Universo Online (UOL) e a Locaweb lançaram, há pouco mais de um mês, ferramentas específicas para este tipo de empresas e já conquistaram, juntas, mais de 2.000 cadastros de lojistas que colocaram suas empresas no universo virtual. O Google e Buscapé, especializados em busca de conteúdo na web, ficaram encarregados de dar visibilidade a esses lojistas. A entrada de pequenas e médias empresas no varejo vir

Dúvidas de leitores: Serviços no varejo

Imagem
Pergunta enviada por Francieli Gasparin, de Caxias do Sul (RS) Bom dia Caio Parabéns pelo blog, e pelo sucesso.. Gostaria da sua ajuda na área de serviços no varejo. Estou fazendo minha monografia, e peguei a area de serviços, a qualidade de serviços no varejo. Portanto tenho que segmentar, e não sei qual tipo de varejo seleciono para aplicar a pesquisa, e qual tipo de serviço. O que você acha? Poderia me ajudar? Desde já agradeço Francieli Gasparin Olá Francieli. Vou tentar lhe ajudar da melhor maneira possível, entretanto, o tema é muito vasto e, escolher um foco, na minha opinião, deve ser um caminho que você deve escolher. Antes de escolher um foco, seja supermercadistas, varejo de construção, ou varejo de combustíveis, e por ai vai, acredito que o melhor caminho seja aquele no qual você possa encontrar melhores dados e maiores contatos. Se você possui alguma facilidade de contato, como conhecidos ou profissionais de um varejo em específico, aconselho que talvez seja o cam

Dúvidas de leitores: Seleção de profissionais para o varejo

Pergunta enviada por Clesia Ribeiro, de Florianópolis (SC) Boa tarde, Caio ! Nossa ,adorei seu blog... Estou fazendo uma pesquisa de varejo e encontrei seu blog e gostaria muito de sua ajuda para me ajudar a formular uma entrevista p/ contratação de vendedoras p/ lj de moda feminina. Tenho uma loja multi -marcas aqui em Florianopolis e gostaria muito de sua ajuda. Desde já agradeço pela atenção. Clesia Ola Clesia, Obrigado pelos elogios e seja bemvinda. Contratação. Essa realmente é uma questão delicada. O maior problema na hora de contratar, principalmente no caso dos pequenos varejos, é levar muitas vezes em conta a "emoção" do que a razão. De cavalheiros que contratam mocinhas apenas pela bela aparência, à pessoas que sao completamente desconfiadas de tudo, e por vezes até assustam os candidatos, vemos de tudo por aí. Antes de mais nada, eu recomendo altamente que você procure uma pessoa com experiência na área de RH para lhe ajudar com melhor resultado nessa sua

Notícia: Pequeno varejo cresce 10,8% em 2008

Notícia publicada no Diario do Grande ABC Por Soraia Abreu Pedrozo Apesar da crise financeira internacional, o pequeno varejo - que representa as micro e pequenas empresas - encerrou 2008 com alta de 10,8% nas vendas em comparação a 2007. Isso é o que aponta a Pesquisa Conjuntural do Pequeno Varejo realizada mensalmente pela Fecomercio (Federação do Comércio do Estado de São Paulo) com base em cerca de 600 estabelecimentos comerciais paulistas. O resultado foi impulsionado principalmente pelo desempenho do setor de materiais de construção, que registrou alta acumulada até dezembro de 29,9%. O segmento de móveis e decorações também contribuiu, com elevação de 9,4% nas vendas, seguido pelo ramo de vestuário, tecidos e calçados, com incremento de 8%. Em seguida, encontram-se medicamentos e perfumaria (5,9%), produtos alimentícios (3%) e eletrônicos (2,2%). Já o setor que mais sofreu queda no comércio no ano passado foi o de autopeças e acessórios com retração de 14,2% em 2008. AVA

Manual de Merchandising: Espaço Plano

Imagem
Ola a todos Da série Manual de Merchandising , vamos falar de "ESPAÇO PLANO" Olhe esta imagem acima. No quadrinho (01), a gondola nao lhe parece fraca, vazia, dando uma aparencia de loja fraca, sem produtos, e provavelmente "até falindo" na cabeça do cliente ? Após aplicarmos a técnica de Espaço Plano no quadrinho (02), temos como resultado uma gôndola muito melhor abastecida, mais agressiva, e melhor para o ponto de venda, como no quadrinho (03). Se o estoque de um determinado produto estiver baixo, estes devem ser puxados para frente, utilizando sempre o limite do equipamento. Nem que a frente seja formada por apenas 1 embalagem, o interessante é criar esse quadro positivo de impacto visual. Esta técnica também é conhecida como "puxada de frente" Obs: Não se deve esquecer de respeitar a validade dos produtos, colocando à frente os produtos com vencimento mais próximo, no caso de duas ou mais embalagens. Vai à frente, para ser levado primeiro,

Manual de Merchandising: Verticalização de Produtos

Imagem
Ola a todos Estou retomando o "Manual de Merchandising", onde pretendo apresentar algumas técnicas de modo a expor, e por consequencia, vender melhor. O tema é bem complexo, vamos falar hoje de verticalização. Veja a imagem abaixo: Olhando para a imagem da esquerda, se eu lhe perguntar quantas cores ou modelos voce pode identificar, certamente, você levará mais tempo a responder do que comparando com a figura da direita. A novidade é que ambas as as fotografias possuem o mesmo numero de produtos. O "acerto visual" é criado através da verticalização dos produtos. E porquê funciona ? Simples. Temos como habito de leitura, o movimento da esquerda para a direita e de cima para a baixo. A "leitura da gondola funciona da mesma maneira: Lemos os produtos da esquerda para a direita. Assim sendo, podemos organizar produtos, tipos e cores utilizando dessa informação. Verticalização de Produtos Não há como, dado o giro de estoque que tem

Fachadas: Atraindo o cliente da maneira correta através de uma fachada interessante

Imagem
Ola a todos. O assunto de hoje é sobre fachadas Quem não gosta de ser bem atendido e sentir-se em um ambiente agradável quando entra numa loja? A organização interna é muito importante para conquistar a clientela. Mas não podemos esquecer que antes de chegar nesse ponto, o cliente precisa cruzar a porta, ou seja, precisa interessar-se a entrar na loja. É neste momento que se torna necessário o cuidado com a apresentação do estabelecimento, ou seja, com a fachada do local. De nada vai adiantar um ambiente interno prático e bonito, se a entrada da loja não chamar a atenção do cliente. O cuidado principal deve estar sempre voltado para o nome da loja . O ideal é colocar o nome do estabelecimento em destaque e, nas lojas de rua, a fachada deve apresentar a identificação do número e telefone. Informações como a marca de parceiros ou colaboradores, em excesso, podem "sufocar" o principal que é o NOME da sua própria loja. Além disso, muita informação provoca uma verdadei

Vendendo bem no Carnaval

Imagem
E é Carnaval. Chega a época de uma das comemorações mais importantes do país. Turismo, hotelaria, gastronomia e outros serviços aproveitam da presença maciça de turistas e foliões para lucrar mais. E o varejo ? E sua loja ? Como fazer para aproveitar mais essa onda de carnaval e folia ? O clima é o de festa, e o ideal é procurar ao máximo representar na loja este mesmo clima. O Carnaval é uma das poucas épocas do ano onde o excesso visual e sonoro é encarado como normal pelos clientes. Cores, panfletos, musica, tudo pode ser utilizado para criar um clima festivo e descontraído no ponto de venda. Papel picado: Papel picado, serpentinas e confetes dão o tom despojado e de ofertas que sua loja precisa. Na ausência ou na impossibilidade de contar com materiais como confetes prontos, simples jornais e revistas picados podem resolver a situação. Mas seja atento: Em quantidade pequena, parecerá mais sujeira e descuido do que folia. Por isso, não se acanhe: Abuse. Som: A variedade é ampla,

Outros Blogs: PDV Ativo

Imagem
Ola a todos Hoje eu trago a vocês mais um blog interessante, o PDV Ativo. Á exemplo do que mostro na coluna Blitz aqui do blog, onde mostramos vitrines e conceitos inovadores, este é um blog dedicado integralmente ao trabalho realizado pelas equipes de promoções dentro dos pontos de venda. O mais interessante é que o blog tambem mantem um canal onde é possível enviar as fotos de seus trabalhos. Mande seus trabalhos ! Divulgue-os aqui no Falando de Varejo e agora também no PDV Ativo . O link do blog também já se encontra em nossa coluna de links Um grande abraço e boas vendas Caio Camargo FALANDO DE VAREJO http://falandodevarejo.blogspot.com

Notícia: Padronizar e personalizar serviços: dois lados da mesma moeda

Artigo publicado no Portal Fator Brasil Algumas empresas, especialmente as do ramo de prestação de serviços, ainda desconhecem o valor que a padronização somada à personalização tem para a qualidade de um sistema de gestão eficiente. Ao contrário do que uma primeira análise pode sugerir, muito mais do que antagônicas, ambas as abordagens são complementares. Entender que o seu cliente deve perceber o “padrão” do processo de atendimento é muito importante, porém não é tudo. Mais do que uma abordagem padronizada, a receita para avançar na escala de satisfação do cliente é adicionar, obrigatoriamente, uma dose adequada de um segundo “P” que é a “personalização”. A importância dessa padronização é tamanha que, desde 1º de dezembro de 2008, há uma série de regras que regulamentam o Serviço de Atendimento ao Consumidor das prestadoras de serviços de telefonia, televisão por assinatura, planos de saúde, aviação civil, empresas de ônibus, energia elétrica e sistema bancário. Abaixo, listo t

Notícias: Como evitar rupturas nas empresas familiares

Notícia publicada no Portal Fator Brasil O custo do dinheiro no Brasil faz com que os acionistas e proprietários das empresas familiares revertam as receitas que geram para o próprio negócio, dificultando o acúmulo de riqueza pessoal. Esta foi uma das principais questões discutidas ontem por cerca de 25 empresários - acionistas e herdeiros de empresas familiares - durante reunião no WTC Clube de Negócios de São Paulo. Segundo o consultor Fernando Curado, presidente do Comitê de Empresas Familiares do WTC Clube de Negócios, é preciso que as empresas desse segmento aprendam a separar as riquezas pessoais do próprio negócio, para manter a saúde financeira tanto da empresa quanto da família. Em sua palestra, ele destacou também que é comum os problemas das empresas familiares serem atribuídos a diferenças de relacionamentos pessoais mas muitas vezes essas questões têm origem econômica ou até tecnológica e acabam tornando-se pessoais quando não são detectadas a tempo. A próxima reunião do C

Notícia: Varejo prevê inflação com novo ICMS

Notícia publicada pela Gazeta Mercantil C3(Gazeta Mercantil/1ª Página - Pág. 1) (Cintia Esteves) São Paulo, 19 de Fevereiro de 2009 - Os empresários do varejo paulista estão preocupados com os rumos que suas redes podem tomar devido à entrada de novos produtos no regime de substituição tributária. Para o setor, o ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) pago antecipadamente pelo fabricante pode provocar uma "inflação forçada" no comércio e fazer, até mesmo, com que as redes percam clientes. Jorge Gonçalves Filho, diretor -geral da C&C, maior varejista de materiais de construção do País, teme que alguns clientes, como pequenas construtoras, passem a comprar diretamente da indústria, já que os fabricantes não precisam aplicar a margem de valor agregado neste tipo de venda. Para o coordenador adjunto da administração tributária da Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo, Guilherme Rodrigues Silva, a preocupação não tem fundamento. "As marg

Notícia: Pequeno varejo fecha 2008 com alta de 10,8%

Notícia publicada pelo site PEQUENAS EMPRESAS, GRANDES NEGÓCIOS Para acessar a matéria, clique aqui As vendas do pequeno varejo (micro e pequenas empresas) fecharam 2008 com crescimento acumulado de 10,8%, segundo a Pesquisa Conjuntural do Pequeno Varejo (PCPV) da Fecomercio. Em dezembro, o comércio varejista cresceu 15,2%, descontados os efeitos da inflação, puxados pelos setores de Materiais de Construção, com alta acumulada até dezembro de 2008 de 29,9%, Móveis e Decorações (9,4%) e Vestuário, Tecidos e Calçados (8%). Em relação ao desempenho mensal, o segmento de Materiais de Construção passou de uma queda de 4,4% em novembro para um crescimento de 0,5% em dezembro. Já o setor de Móveis e Decorações teve queda de 3,5% e novembro com recuperação em dezembro para 5,9%. O destaque de crescimento no mês de dezembro de 2008 foi para o ramo de Vestuário, Tecidos e Calçados, que havia recuado 0,2% em novembro para uma alta de 46,4% no último mês de no ano passado. Segundo a pesquisa

Notícia: Brasil já venceu a pior parte da crise, diz Ipea

Notícia publicada pelo Portal UOL Para acessar a notícia, clique aqui Rio de Janeiro, 18 fev (EFE).- O Brasil já passou pelo pior momento da crise financeira e pode esperar uma melhoria inclusive no primeiro semestre deste ano, diz um estudo divulgado hoje pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). Segundo a entidade pública de estudos econômicos, os efeitos da crise internacional, que provocaram um "dezembro negro" para a indústria, podem ser superados nos próximos meses com as ações já adotadas pelo Governo, entre as quais se destacam reduções de impostos e aumentos de créditos. "Existem vários elementos que permitem inferir uma possível melhoria nas condições econômicas do país nos próximos meses, ou pelo menos no segundo semestre de 2009", afirma o estudo. "Em outras palavras: o cenário recessivo observado nos países desenvolvidos não se estenderá à economia brasileira", acrescenta. A divulgação da análise coincidiu com as declaraç

Evento: Associação Comercial de São Paulo discute o futuro do varejo

Imagem
Ola a todos A Associação Comercial de São Paulo, ACSP, estará realizando um evento sobre as tendências de varejo, vistas na última NRF. Há alguns tempos atrás, antes da feira se realizar, o blog entrevistou Alberto Serrentino, da Gouvêa de Souza (GSMD) , que explicou a importância do evento (NRF) para o varejo. Um dos temas interessantes a serem abordados será a questão da crise, e como ela nos afetará no futuro próximo. Imperdível. Maiores informações pelo tel: (11) 3244-3535, ou por e-mail: gmiachon@acsp.com.br Associação Comercial de São Paulo discute o futuro do varejo A Associação Comercial de São Paulo (ACSP) realiza, na terça-feira (03/03/09), das 8h30 às 12h30, à Rua Boa Vista, 51 - 11º andar, um evento sobre tendências do Varejo discutidas na NRF (National Retail Federation). As palestras, que serão realizadas por profissionais do mercado que estiveram na NRF, em janeiro deste ano, debaterão tendências no varejo no mercado nacional e internacional. Programação: 08h3

Dúvidas de leitores: História do varejo de construção no Brasil

Pergunta enviada por Marcelo Costa, de Curitiba (PR) Meu nome é Marcelo, estou fazendo o curso de pós graduação em gestão empresarial na UFPR de Curitiba. Estou fazendo um trabalho sobre materiais de construção, e gostaria de saber se você tem o conceito de "home center" e algum histórico sobre a chegada delas no Brasil. Desde já agradeço. "O importante da educação não é apenas formar um mercado de trabalho, mas formar uma nação, com gente capaz de pensar." (José Arthur Giannotti) - vou deixar a frase - ótima ! Aliás, vou deixar essa frase no rodapé do blog - permanentemente. Atenciosamente Marcelo Costa Olá Marcelo. Sim ! Tenho esse conceito A história completa desse varejo você vai encontrar no livro “Comércio de Materiais de Construção – Fatores de Progresso”, de autoria de Geraldo Hélio Guimarães Amorim. Esse livro foi editado numa parceria promocional entre a Anamaco e a Deca, datado de , e acredito que é uma das raras publicações a respeito. Eu recom

Dúvidas de leitores: O que é melhor para a fachada ?

Imagem
Pergunta enviada pelo leitor João Victor Almeida, da Divinor (Salvador/BA) Olá Caio, Nós somos aqui de Salvador-BA, e nesse período de baixa nas vendas, pensamos em renovar a fachada da nossa loja. Li seu artigo sobre fachadas e acredito que será de grande ajuda sua opinião. Trabalhamos com forros, divisórias e iluminação, temos o layout da fachada, (que infelizmente não pode ter mais do que 60cm de altura), e gostaria que, por favor, desse uma olhada e opinasse a respeito. Agradeço desde já. João Victor Almeida Olá João Victor Existem duas coisas que são necessárias levar em consideração. Antes de considerar qualquer anúncio ou letreiro disposto em uma fachada, o que devemos levar em consideração é principalmente a visibilidade deste, o quanto este será visível. De acordo com essas questões relativas à localização e disposição de informações, podemos saber onde deve ser exposto da maneira correta o logotipo, onde devemos dispor informações, se vale a pena dispormos m

Notícia: Cross merchandising para driblar a crise

Notícia publicada no site Administradores Para acessar a matéria no site, clique aqui Por * Christiany Zanotto Sena - www.administradores.com.br Diante da crise global que envolve os grandes mercados e, mais ainda, com a preocupação e a insegurança gerada pelas previsões negativas sobre o consumo em todo o mundo, o setor supermercadista brasileiro precisa apostar na inovação para manter as vendas e o crescimento do setor. Neste cenário, o cross merchandising se configura como uma grande e atrativa alternativa do segmento. Trata-se de um investimento criativo para incentivar a compra não-planejada pelo shopper. O cross merchandising é definido como o sistema de exposição no qual o produto é exibido em um local diferente de seu ponto natural na gôndola. O alvo do cross merchandising inclui produtos considerados "acessórios", que geralmente não constam na lista básica de compras do consumidor e, por isso, não foram planejados. O principal objetivo do sistema é forçar a lemb

Notícia: Preços caem pelo 2º mês seguido em SP

Notícia publicada no site da Gazeta Mercantil Para acessar a matéria no site, clique aqui As ofertas de veículos nas concessionárias e as liquidações dos setores de vestuário e eletroeletrônicos levaram o Índice de Preços no Varejo (IPV), calculado pela Federação do Comércio de São Paulo (Fecomercio), a registrar a sua segunda queda consecutiva. Em janeiro, o IPV recuou 0,2%, na comparação com dezembro, quando o índice já havia recuado 0,04%, ante o mês de novembro. O segmento de Veículos apresentou em janeiro queda de 3,46%, na comparação com dezembro, enquanto Vestuário, Tecidos e Calçados, recuou 0,71%, e Eletroeletrônicos, 0,74%. "Apesar das duas quedas, ainda não podemos assegurar que existe uma tendência de redução para os próximos meses. Houve um realinhamento dos preços", avalia Julia Silveira Ximenes, economista da Fecomercio. Na contramão, registraram alta nos preços os setores de Supermercados (0,40%), Feiras (2,12%), Drogarias e Perfumarias (0,79%), Móve

Notícia: Rede de varejo pede recuperação judicial para se proteger de dívida

Imagem
Notícia publicada no site G1. Para acessar a matéria no site, clique aqui Casa e Vídeo ganha prazo para apresentar plano de recuperação.Parte da diretoria da companhia foi implicada em ação da PF. A rede fluminense de varejo Casa & Vídeo pediu recuperação judicial para se proteger contra dívidas de pouco mais de R$ 300 milhões e cerca de 500 credores. A informação foi dada pelo advogado Fábio Carvalho, representante da consultoria Alvarez e Marçal, que cuida da reestruturação da empresa. Carvalho fez questão de frisar que as dificuldades financeiras da companhia eram anteriores à operação "Negócio da China" , desencadeada pela Polícia Federal (PF) em novembro de 2008 e que levou à prisão, na época, de 13 integrantes da cúpula da rede de varejo. O advogado explicou que as dificuldades de crédito da empresa começaram com a piora da crise econômica, ainda em setembro, situação agravada pela operação da PF. Demissões O presidente da Casa & Vídeo, Fernando Luzio, reve